quinta-feira, 13 de março de 2008

Max e Iggor Cavalera terminam briga e criam novo grupo

Nem parece, mas a força que move 'Inflikted', o pesadíssimo disco de estréia do grupo Cavalera Conspiracy, é o amor fraternal. Por trás de temas barras-pesadas, como 'Terrorize' e 'Ultra-Violent', está a alegria do reencontro dos irmãos Max e Iggor Cavalera.

Fundadores do Sepultura, do qual nenhum dos dois faz mais parte, eles ficaram uma década inteira sem se falar, "fora uns telefonemas para desejar Feliz Natal".
Ano passado, porém, Iggor quebrou o gelo e a combustão entre sua bateria e as guitarras e voz do irmão deram origem às 11 explosivas músicas do novo trabalho, aguardado pelos fãs como se fosse uma volta às origens do Sepultura.

"Mas tudo é novo no Cavalera Conspiracy. Não ficamos apenas imitando o passado. Tem muita reunião fajuta por aí, mas a nossa é de verdade", garante Max, por telefone, de Phoenix, Estados Unidos, onde está "exilado" há oito anos.
Muito por conta da briga, agora superada, com Iggor. "A última vez que estive por aí foi em 2000 (numa apresentação com sua banda Soulfly no Abril Pro Rock, em Recife). Preciso tomar um caldo de cana urgentemente", brinca.

'Inflikted' lembra, na execução das músicas, a época mais "pesada" do Sepultura, especialmente dos discos 'Arise' e 'Beneath The Remains', que são do início dos anos 90. "O que eu quis fazer é influência da raiva e agressividade (sonoras) daquela época. A idéia era ser curto e grosso mesmo", diz Max.

Pelo jeito, funcionou. O Cavalera Conspiracy se apresentou uma única vez, ano passado, antes de um show do Soulfly, nos Estados Unidos. "Tocamos quatro músicas e o pau comeu, estava assim de moleque sangrando. Vou te dizer: depois disso, ficou ruim pro Soulfly."

Mulher foi motivo da briga da dupla

Max e Iggor brigaram feio no fim de 1996, quando o Sepultura estava no auge de sua carreira internacional. Até hoje é o grupo brasileiro de mais sucesso no exterior.

Eles lavaram quilos de roupa suja em público: a banda havia demitido Glória, mulher de Max, do cargo de empresária, e ele decidiu então também se demitir do grupo.

"Tocamos muitas vezes nos mesmos festivais, mas nunca nos cruzamos. Deve ser o destino", palpita Max.

Depois do reencontro, ano passado, ele e Iggor reuniram o guitarrista Marc Rizzo e o baixista Joe Duplantier para formar o Cavalera Conspiracy. O grupo já tem uma série de shows agendados, mas nada ainda no Brasil. Iggor, que deixou o Sepultura em 2006, andava se ocupando como DJ. "Mas ele é como eu, metaleiro de Belo Horizonte. Sou o culpado por trazê-lo de volta ao metal", orgulha-se Max.
Já o Sepultura segue fazendo shows e deve lançar disco este ano, mas os Cavalera, pelo menos por enquanto, não pensam no velho grupo. "Agora é a hora do Conspiracy."

Nenhum comentário: