segunda-feira, 30 de junho de 2008

Vida de Tim Maia no cinema e na TV

Biografia escrita por Nelson Motta será adaptada para as telonas e para as telinhas

O escritor, produtor musical e crítico de música Nelson Motta anunciou que seu livro Vale Tudo – O Som e a Fúria de Tim Maia, será adaptado para o cinema e para a televisão. Motta fez a revelação a João Gordo no programa Gordo Visita, que vai ao ar pela MTV nesta segunda-feira, às 23h30.

Motta, que lançou a biografia de Tim no começo deste ano, disse que na televisão a história do músico, morto há 10 anos, será contada em um seriado. O autor não contou à João Gordo quem vai protagonizar o cantor, bem como as datas de lançamento do filme e da série.

Visitando a casa de Motta, João Gordo ainda ouviu histórias do surgimento da bossa nova e da vida pessoal do produtor.

Fonte: Revista Rolling Stone

domingo, 29 de junho de 2008

Ivete e Carlinhos Brown levam Carnaval de Salvador para o Rock in Rio Madri

Como já era previsto, um público jovem e animado compareceu em peso hoje ao festival Rock in Rio Madri para pular e cantar com duas estrelas do Carnaval de Salvador: Ivete Sangalo e Carlinhos Brown, este último adorado pelos espanhóis.
Explosiva, exuberante e bonita, Ivete foi a encarregada de abrir as apresentações deste sábado no palco Mundo, para o qual levou muito axé e capoeira, e também um pouco de lambada e salsa.

Acompanhada por 12 músicos e cinco bailarinos, a cantora, que encontrou tempo para trocar de roupa várias vezes, manteve grande parte da platéia hipnotizada durante o espetáculo, principalmente com o macacão de couro preto e o vestido curto e branco que usou para realçar seu corpo.

Com um rápido problema no som, que soube contornar com muito rebolado, Ivete deliciou os espanhóis e um bom número de brasileiros que se amontoaram para assistir à sua agitada apresentação.

Sem deixar o ritmo cair uma só vez, a artista levou o público ao delírio quando cantarolou alguns versos de "Corazón Partío", hit do espanhol Alejandro Sanz, e, já no fim da apresentação, percorreu o palco de um lado para o outro com bandeiras do Brasil e da Espanha.

Depois de Ivete, o próximo a subir no palco mundo, com um penacho na cabeça, foi Carlihnos Brown, que levantou a platéia com sucessos como "Magdalena", "Pandeiro-deiro" e "Carlito Marrón".

Acostumado ao carinho dos espanhóis, o baiano subiu e desceu do palco várias vezes. Com uma bandeira do Brasil e vestindo a camisa da seleção espanhola de futebol, classificada para a final da Eurocopa, o cantor fez toda a Cidade do Rock pular ao ritmo de seus tambores.

Quem compareceu ontem à abertura no Rock in Rio Madri, viu que os espectadores deste sábado eram bem diferentes, talvez pelo fato de muitos que foram conferir as atrações do segundo dia serem das redondezas, o que ajudou a criar um clima de festa de bairro.

Apesar do forte calor, o público de hoje, de faixa etária menor, não parou de dançar.

Muitos dos adolescentes presentes também foram assistir à apresentação dos alemães do Tokio Hotel, que horas antes de subirem ao palco, não hesitaram em apostar na vitória de seu país sobre a seleção espanhola na final de amanhã da Eurocopa.

Em entrevista antes do show, os integrantes da banda, os gêmeos Bill e Tom Kaulitz, Georg Listing e Gustav Schäfer, também disseram que, após uma recente apresentação em Barcelona, se sentiram muito bem recebidos pelas fãs espanholas.

Além disso, admitiram terem tido muita sorte em sua meteórica carreira - três discos em três anos -, algo que ainda estão "digerindo".

Outro grupo de grande apelo junto aos espanhóis, o madrileno El Canto del Loco, liderada por Dani Martín, ficou com a missão de encerrar a noite de espetáculos no palco principal da Cidade do Rock, que depois recebeu os dj's Cristian Varela e Carl Cox para uma maratona de música eletrônica.

Outras atrações deste sábado no Rock in Rio Madri, a banda sueca Mando Diao e os espanhóis do Ragdog e do Standard se apresentaram no palco Hot Stage, dedicado ao rock alternativo.

Fonte: EFE/Ig

sábado, 28 de junho de 2008

Dia 1º de Julho: Chupa que é de uva

Bandas: Aviões do Forró, Rasta Chinela, Forró K-Chiblema
Tendas Eletrônica: D.J. David e D.J. Tonny
Onde: Planet Hall
Quando: 1º/Julho/2008
Horas: 22:00

Rock in Rio Madri terá 60 atrações


Em 2003, fugindo do dólar alto na América Latina, o Rock in Rio, maior festival de rock brasileiro, migrou para Lisboa, onde se tornou bienal, movimentando a cada edição cerca de 25 milhões. A franquia mostrou tanto êxito que hoje chega a outra capital européia, Madri - na verdade, a uma cidadezinha nas cercanias da capital, Arganda del Rey, que receberá cerca de 350 mil pessoas.

Arganda del Rey recebe 60 estrelas de todas as gerações do pop, do rock e da eletrônica: Neil Young, Bob Dylan, Police, Jack Johnson, Alanis Morissette, Stereophonics, Franz Ferdinand, Shakira, Jamiroquai, Goldfish, Carl Cox, os brasileiros Carlinhos Brown e Ivete Sangalo, e a troublemaker Amy Winehouse (eternamente dúvida, mas com contrato assinado com o festival). O investimento é maiúsculo, bem maior do que em Lisboa (cerca de US$ 35 milhões só na construção da Cidade do Rock, que ocupa uma área de 200 mil metros quadrados).

O Rock in Rio Madri se converte assim no maior festival espanhol de música - os atuais reúnem em média 70 mil espectadores. A Cidade do Rock, a exemplo das outras da franquia Medina, foi concebida como um parque temático, com desfiles de moda, pistas de snowboard e de skate, restaurantes, tendas chill-out e outras opções de entretenimento.

O publicitário Roberto Medina, de 60 anos, já antecipou a notícia de que o Rock in Rio voltará ao Brasil em 2014, por ocasião da Copa do Mundo de Futebol. Mas ele agora também está em negociações para levar o festival ainda mais longe: à China. Pretende visitar Pequim em setembro, após o Rock in Rio Madri, para negociar a empreitada. Também garantiu as edições do festival em Lisboa em 2010 e 2012.

Fonte: Agência Estado

Após internação, Amy Winehouse canta para mais de 46 mil

A cantora Amy Winehouse, uma das atrações mais esperadas do show que comemora os 90 anos do líder sul-africano Nelson Mandela, se apresentou sem incidentes, segundo o site do canal de TV E! Entertainement.

A cantora participou do evento em três atos. Primeiro subiu ao palco com todos os outros artistas para cantar Parabéns a Você para Mandela.

Depois, em seu show propriamente dito, apresentou seus dois maiores sucessos: Começou com Rehab após um tempo de ajuste do microfone, e depois emendou Valerie, música que canta no disco do produtor Mark Ronson.

Amy voltou mais uma vez ao palco do Hide Park para cantar Free Nelson Mandela, dos Specials, na companhia das outras estrelas que participaram da festa.

Diferente de seu show no Rock in Rio Madri, no qual caiu em pleno palco, Amy mostrava uma aparência saudável. Para celebrar o aniversário de Mandela, 46.664 pessoas assistiram ao show (46664 era o número de Nelson Mandela na prisão).

Amy Winehouse esteve internada recentemente após um colapso em sua casa. No hospital, a cantora teria descoberto um enfisema pulmonar, causado por cigarro e outras drogas.

Redação Terra

sexta-feira, 27 de junho de 2008

Marcus Menna retorna e diz que nasceu de novo

Ao som do mantra da batida pesada de grupos de heavy metal como o Iron Maiden, o ex-vocalista do LS Jack, Marcus Menna, vem se recuperando das complicações decorrentes de uma lipoaspiração, em julho de 2004, que o deixaria fora da cena musical por quatro anos. "Continuo um roqueiro!", diz, com orgulho no olhar.

Roqueiro, mas - pelo menos em disco - com uma pegada mais leve. E esperançoso. O cantor e compositor está lançando o CD acústico É preciso saber viver, com letras dizendo "Vou deixar a vida me levar", "Eu vejo a vida melhor no futuro" ou "Você não sabe quanto eu caminhei pra chegar até aqui....".

São sucessos do Skank, Lulu Santos, Cidade Negra, Barão Vermelho e Jota Quest, além, claro, da faixa-título, clássico de Roberto e Erasmo - músicas que refletem bem seu momento atual -, ao som informal de violões, como em uma reunião de amigos. E eles estão mesmo presentes no CD.

Rogério Flausino, Toni Garrido, Wilson Sideral e Zé Henrique gravaram participações, dividindo os vocais com Menna. Todos fizeram questão de registrar palavras de companheirismo no início das canções que participaram.

"Agradeço a Deus pela minha recuperação e por poder voltar a cantar", diz Marcus Menna no encarte do disco. "Sua afinação é impecável", garante Patrícia Peres, sua professora de canto há um ano e meio.

Não é a toa que ele tem a palavra "voz" tatuada em letras góticas em seu braço direito. Além da trilha sonora de Queensryche e Whitesnake, seu processo de reabilitação é auxiliado por aulas de música e reavaliações periódicas com a equipe multidisciplinar da Rede Sarah de Hospitais de Reabilitação.

"O CD é mais um passo fundamental para sua recuperação e retorno às atividades profissionais", disse a doutora Lúcia Braga, neuropsicóloga e diretora presidente da Rede Sarah.

Os principais sucessos da antiga banda de Marcus Menna, o LS Jack, também foram regravados no disco. As versões acústicas de Você chegou, Carla e Uma carta tiraram as músicas de trás da cortina de guitarras, teclados e bateria para colocá-las na frente dos holofotes, destacando muito mais as sutilezas das canções e reafirmando sua força pop.

O encarte do CD traz telefone de contato para shows, mas ainda não há nenhum confirmado. Marcus Menna - que vem ensaiando com sua banda em um estúdio na Barra da Tijuca, bairro onde mora - acredita que daqui a dois meses estará reestreando nos palcos.

"A música sempre esteve presente na minha 'outra vida'", refere-se ao período anterior à cirurgia. "Agora eu voltei e não paro mais. Estou com muita vontade de dividir a energia com o público de novo".

Enquanto não reencontra os fãs diretamente, Menna troca informações com eles pela Internet. A rapidez dos acontecimentos nas maneiras de se consumir música nos últimos anos fez com que ele experimente agora, lançando um novo disco, um momento bem diferente da época em que integrava o LS Jack.

Pesquisando em sites como o myspace ou visitando blogs e comunidades dedicadas a ele ou a sua ex-banda na Internet, Menna se atualiza.

"É um novo momento, em que as possibilidades se abriram e eu acho isso muito positivo". Para dividir suas atenções com a música e as descobertas virtuais, só mesmo a nova namorada, Priscila (ele não está mais com Carla, sua ex-mulher com quem tem uma filha, Luana, hoje com 4 anos) e a paixão pelo futebol e pelo Flamengo.

"Uma vez Flamengo, Flamengo até 'remorrer', porque morrer eu já morri uma vez, estou aqui de volta, nasci de novo, meu coração voltou a bater".

Fonte: JB Online

Rock in Rio Madri começa com três minutos de silêncio "por um mundo melhor"

Com três minutos de silêncio "por um mundo melhor", começou nesta sexta-feira (27) o festival Rock in Rio Madrid, que abre suas portas pela primeira vez na capital espanhola.

Durante o já tradicional ritual de iniciação do festival, os espectadores agitaram bandeiras brancas como sinal de um mundo melhor, após o silêncio ser quebrado por "Imagine" de John Lennon, interpretada pela Jovem Orquestra e Coro da Comunidade de Madri.

Em sua programação, o Rock In Rio Madri contará com os brasileiros Carlinhos Brown e Ivete Sangalo, além de celebridades internacionais como Bob Dylan, Police e Amy Winehouse, entre outros.

O evento irá ocorrer em 28 de junho e em 4,5 e 6 de julho. É a primeira vez que a Espanha recebe o Rock in Rio.

Segundo Roberto Medina, detentor dos direitos do evento, está sendo analisada a possibilidade de levar o festival ao México ou mesmo voltar a realizá-lo no Rio de Janeiro, onde nasceu em 1985, antes da Copa do Mundo de 2014.

Depois de três edições na Cidade Maravilhosa (1985, 1991 e 2001), Medina passou a organizar o evento em Lisboa, onde o festival acontece bianualmente desde 2004.

Fonte: AFP/Uol

D2 troca de gravadora

O rapper Marcelo D2 não terá mais seus discos lançados pela Sony/BMG. De acordo com comunicado oficial divulgado na tarde desta quinta-feira, 26, a EMI fechou contrato com o ex-líder do Planet Hemp nesta semana.

O anúncio ainda afirma que assim que o cantor voltar de Portugal, onde faz show nesta sexta-feira, os trabalhos de gravação de um novo disco vão começar. O lançamento está previsto para novembro.

Fonte: Revista Rolling Stone

Pamella Paiva participa da trilha de filme hollywoodiano

A cantora brasileira Pamella Paiva acaba de conquistar um espaço de destaque na indústria fonográfica norte-americana.

Radicada em São Francisco, onde fez diversos shows como integrante da banda Speed Queen, com o também brasileiro Horácio Ferres, a compositora resolveu apostar na carreira solo e já prepara seu primeiro EP em terras americanas.

A canção "Miracle", uma das quatro já gravadas para o debut, foi escolhida para integrar a trilha sonora do próximo filme dos atores Rob Schneider e Steve Buscemi, chamado "The Chosen One", que tem estréia prevista para este ano nos EUA.

Quem auxilia Pamella nesse primeiro trabalho é o produtor Joel Jaffe, que já trabalhou com artistas conhecidos como Joe Satriani e Carlos Santana.

Fonte: Ig

Zeca Pagodinho canta em homenagem aos 15 anos do AfroReggae

Zeca Pagodinho agitou o público no show em homenagem aos 15 anos do grupo do AfroReggae na noite da última quarta-feira, no Theatro Municipal do Rio de Janeiro.

Happin Hood, Fernanda Abreu e o rapper Marcello Silva, Olodum e a Banda 190 da Polícia Militar também se apresentaram no evento.

Além dos shows, a festa seguiu com a 9° Edição do Prêmio Orilaxé que condecorou pessoas que colaboram com projetos sociais e ajudam o AfroReggae.

Entre os famosos presentes estavam Letícia Sabatella, Luciano Huck, Luana Piovani, Dado Dolabella e Regina Casé, homenageada por apoiar a causa.

Premiação
O prêmio foi entregue para 15 categorias. Entre os premiados estão os músicos Rappin Hood, Roberta Sá e Siba e a Floresta, de Pernambuco, nas categorias, respectivamente, de melhor cantor, cantora e grupo musical.

O novo Ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc, recebeu o prêmio de políticas públicas, e a bailarina Mercedes Batista, primeira negra a integrar o Corpo de Baile do Theatro Municipal, inventora do balé afro no País, levou o Orilaxé na categoria Tradição Afro-Brasileira, entre muitos outros nomes de diversas áreas.

O AfroReggae chega aos 15 anos com quatro núcleos de cultura fixos, 14 grupos artísticos e 74 projetos espalhados pelo Brasil e pelo mundo, em países como Índia, China e Inglaterra.

Fonte: O Dia

quinta-feira, 26 de junho de 2008

Saia Rodada lança novo DVD "Nossa Festa"

Depois de uma longa espera finalmente o DVD saiu, mas valeu a pena esperar. O novo trabalho ficou ótimo. São 29 músicas com imagens gravadas em Maceió-Al, João Pessoa-Pb ( Saia Elétrica – Fest Verão ) e no carnaval de Salvador-Ba.

Quem já assistiu pode perceber que, a cada trabalho, a banda tem se mostrado mais íntima com as câmeras. Natália e Raí fizeram a festa com os convidados especiais: Xandy, Geraldinho Lins,Asa de Águia e Marcelo Marrone.

Visite o site: www.saiarodada.com.br

Turnê de Madonna já vendeu mais de 1 milhão de ingressos

Os fãs de Madonna podem dar à nova turnê da cantora um recorde, informou a promotora de shows Live Nation na quinta-feira (26), procurando desmentir os boatos de que a Material Girl esteja perdendo a popularidade.

A empresa de Los Angeles afirma que foram vendidos mais de 1 milhão de ingressos - o que corresponde a mais de 90% do total - para os shows da turnê "Sticky & sweet", que começa em Cardiff, País de Gales, em 23 de agosto.

A Live Nation quer se transformar em uma empresa de música abrangente, oferecendo aos artistas contratos para gravações e negócios no setor de merchandising, além de promover turnês.

Madonna é uma das principais artistas contratadas pela Live Nation. Dizem que o contrato assinado com ela vale US$ 120 milhões.

O jornal New York Post informou na terça-feira (24) que os ingressos de Madonna não estão se esgotando em alguns lugares, como o estádio Dodger, em Los Angeles, onde foram vendidos apenas 27 mil dos 43 mil ingressos.

O porta-voz da Live Nation, John Vlautin, confirmou os números de Los Angeles, mas disse que as vendas mundiais devem registrar mais de US$ 250 milhões, o que bateria o recorde para performance feminina, atualmente detido pela própria Madonna.

A turnê "Confessions on a dance floor", feita há dois anos, arrecadou US$ 195 milhões.

O mês de junho tem sido difícil para a Live Nation - segundo rumores, a empresa pagou demais a artistas como Madonna e o rapper Jay-Z.

A companhia perdeu o presidente, Michael Cohl, na semana passada, devido a uma rixa com o chefe-executivo, Michael Rapino, por causa da estratégia.

Cohl, que coordenava o setor de artistas da empresa, queria assinar vários deles rapidamente, mas Rapino queria apenas quatro ou cinco por ano. Cohl agora é consultor da companhia.

Há ainda o temor de que a desaceleração da economia norte-americana prejudique a venda de itens supérfluos, como ingressos para shows de rock, que podem custar até 200 dólares, dependendo do artista. E é justamente de grandes artistas que vem a maior fatia dos lucros da Live Nation.

A administração da empresa informou que a economia não afetou seus negócios, segundo Vautin.

Fonte: G1

Junior Lima fala sobre sua nova banda

No dia 18 de dezembro de 2007 foi o último show da dupla Sandy & Junior, depois de 17 anos cantando juntos. A apresentação fazia parte da turnê “Acústico MTV”, que nesta semana atingiu a marca de 125 mil cópias, de acordo com a Associação Brasileira de Produtores de Disco (ABPD).

No começo do ano, foram divulgadas diversas matérias sobre a sua banda junto com Peu Sousa (ex-Pitty) e Champignon (ex-Charlie Brown Jr.). Na época, contavam que eles estavam procurando um vocalista. Essa procura acabou. Em entrevista, Junior Lima contou como estão os primeiros passos de sua banda.

“A formação é bem interessante. Eu fico na bateria, Peu na guitarra e o Champignon no baixo. O vocalista é um cara desconhecido, mas, logo mais, ele será o mais conhecido da banda (risos)”, falou Junior. Peu complementou. “Nós não sabemos se ele vai usar o nome próprio ou usar algum nome artístico. O verdadeiro nome do Axl Rose é William, depois ele colocou Axl. Vai ver se eu falo o nome dele aqui e depois muda. Posso adiantar que é um nome bem peculiar”.

Peu fez grandes elogios sobre o desempenho de Junior na bateria. “Cara, bateria sempre foi o meu instrumento mesmo. O resto era mais para preencher mesmo. Era uma necessidade minha como compositor e artista. A minha primeira bateria eu ganhei quando tinha três anos de idade”

Eles falaram também como está a rotina dos ensaios. “Estamos nos preparando, compondo para o quanto antes mostrarmos para o público. Ainda não temos uma data de quando vamos lançar um disco, mas aguardem. Promete ser uma banda de primeira linha”, falou Junior.

“Ainda não podemos definir o som. Na verdade, essa é a coisa mais difícil de fazer. Cada música está com uma pegada diferente. Sei que quando a galera for ouvir o nosso som vai reconhecer. Todos os músicos têm uma personalidade muito forte, e isso reflete em nossa música”, confidenciou o baterista.

O mistério sobre o nome do grupo continua. “Existem algumas coisas, mas é ainda sigiloso. Quando for possível, vamos falar. Agora não podemos”, Junior se esquivou.

Agora, para eles retornarem aos palcos vai demorar mais um bocado... “Antes de fazer alguma apresentação, nós temos que nos preparar bastante. Outra coisa, é melhor estarmos com o CD pronto e as músicas já rolando por aí. É melhor a galera conhecer primeiro o nosso repertório aí partimos para a estrada. Todos nós estamos com muita vontade de tocar ao vivo. Toda vez que estamos tocando pensamos que estamos no palco”, finalizou.

Por Brunno Constante (MTV)

Internauta que postou músicas novas do Guns n’ Roses recebe visita do FBI

Na semana passada, o blogueiro Kevin Skwerl fez a alegria de milhares de fãs do Guns N’ Roses ao disponibilizar nove músicas do aguardado Chinese Democracy para audição em seu site. O antiquiet.com chegou a entrar em colapso com o número de acessos. Passadas algumas horas, Skwerl recebeu uma ligação dos advogados de Axl Rose - tirou as músicas do ar, e deu o assunto por encerrado. Mas para Axl, não está: o internauta recebeu ontem a visita de dois agentes do FBI, buscando os originais dos arquivos colocados no blog.

Skwerl atua como webdesigner, mas já trabalhou no departamento de distribuição da gravadora Universal. Os agentes foram até o local onde ele trabalha hoje, sem aviso. “Quando voltei do almoço, eles estavam esperando por mim no lobby. Foi um pouco assustador ver que eles sabem onde eu trabalho”, disse o designer à Rolling Stone EUA.

De acordo com o designer, os originais foram apagados de seu computador a pedido dos advogados de Axl. Os agentes visitariam o internauta novamente na manhã de hoje, desta vez em sua casa. Quanto à possibilidade de sofrer ações legais, Skwerl diz não estar preocupado. “É uma ‘área cinzenta’ legal, já que [os arquivos] não eram para download, e não era o produto finalizado. Nós não tínhamos certeza de quem era o dono das gravações. Sinto que vou sobreviver a isso”.

Chinese Democracy

Três das nove músicas disponibilizadas no Antiquiet eram inéditas: “Rhiad and the Bedouins”, “If the World” e uma faixa sem título.

Chinese Democracy vem sendo produzido há cerca de 14 anos – desde 2006, Axl adia o lançamento do disco. De acordo com informações divulgadas no último mês de abril, o álbum finalmente estaria pronto, chegando às lojas até o fim de 2008.

Fonte: Revista Rolling Stone

Teatro Mágico lança seu novo disco, '2º ato'

Exemplo de grupo que consegue sobreviver na independência dentro do difícil mercado musical brasileiro, o Teatro Mágico tem como trunfo um "pacote" que não oferece apenas música e, sim, uma "experiência". Algo que é totalmente consonante com o entretenimento que é comercializado nos dias de hoje. Daí o sucesso do grupo, que acabou de lançar o álbum "2º ato", distribuído de graça na internet.

Para quem está ouvindo o nome da banda pela primeira vez ou tem apenas uma vaga noção, o Teatro Mágico é uma autodenominada trupe liderada pelo paulista Fernando Anitelli e que começou a fazer sucesso em pequenos círculos até atingir um alcance nacional entre o público jovem. No Orkut, inúmeras comunidades são dedicadas à banda.

A "experiência" que proporciona o Teatro Mágico é uma mistura de "nova" MPB com arranjos pop e uma performance circense, com malabares e integrantes maquiados de palhaço, além de uma mensagem parte social, parte valorização da expressão pessoal.

Com uma forma de abordagem diferenciada, Anitelli, dono da marca Teatro Mágico, criou também uma empresa de entretenimento moderna, com consciência de que seu sustento não vem mais exclusivamente da venda de CDs. Percebeu isso antes do Radiohead e de "In rainbows". Vem faturando com shows lotados, para alguns milhares de pessoas, e a venda de CDs e DVDs (por preços condizentes com a realidade atual) e de merchandising da banda.

Tudo o que foi dito soa como ofensa da pior espécie para os fãs do Teatro Mágico, já que a mensagem primordial nas músicas e nas apresentações é o ideal hippie "por um mundo melhor", turbinado por um espírito de auto-ajuda século 21 e maquiado por suposta intelectualidade - "evoca-se na sombra uma inquietude / uma alteridade disfarçada"; "aborto certas convicções", dizem trechos da vinheta "Amadurecência", faixa inicial de "2º ato".

Neste segundo álbum, Anitelli prossegue com letras pretensiosas e que geralmente dão um resultado ruim. "Pena", faixa que versa sobre o próprio trabalho do Teatro Mágico, escrita com Maíra Vianna, traz linhas como "a matemática da arte em papel de pão" - que já deve rivalizar com os momentos líricos mais infelizes de Humberto Gessinger.

"O mérito e o monstro" mistura uma estrutura de canção à Zeca Baleiro, refrão NX Zero, reggae e scratches, ou seja, um saco de gatos que pode desagradar até o próprio fã de Teatro Mágico. "Abaçaiado" traz introdução eletrônica e cantos indígenas para desembocar em um forró universitário e guitarras distorcidas no refrão, com neologismos vergonha alheia ao longo da letra.

Mas não se pode negar que Anitelli sabe trabalhar muito bem diversos clichês da MPB e do pop que soam potentes e novidadeiros dentro da "experiência" que a trupe oferece, principalmente ao vivo.

E, mais uma vez, só merece elogios a forma inovadora como a empresa Teatro Mágico se comporta no mercado musical - talvez sejam mais ortodoxos internamente, já que Anitelli é o proprietário do grupo nos moldes normais. No entanto, ironicamente, é o tipo de louvor que causa certo estranhamento dentro do pretenso espírito humanista-socialista que traz a banda.

Baixe o disco do Teatro Mágico aqui.

Fonte: G1

Álbum ao vivo do My Chemical Romance pode ser ouvido de graça

The Black Parade Is Dead, novo disco do My Chemical Romance, poderá ser ouvido de graça na página da banda no MySpace, a partir desta sexta-feira (27). O disco foi gravado ao vivo, na cidade do México, em outubro do ano passado, no último show da turnê do disco The Black Parade, para um público de 20 mil pessoas.

Este é o segundo álbum ao vivo do My Chemical Romance e o lançamento oficial está marcado para a próxima terça-feira, 1º de julho. A banda também liberou algumas prévias de The Black Parade Is Dead no YouTube e o vídeo da canção “Dead!”.

Além do CD, um pacote especial em formato de caixão prevê o DVD de um show realizado em Nova Jersey, máscaras e um certificado de óbito. Em maio, um casal inglês culpou a banda e a moda emo pelo suicídio da filha, hipótese rechaçada enfaticamente pelo MCR e por fãs do grupo.

Fonte: Ig

quarta-feira, 25 de junho de 2008

Vem ai São Pedro Tôa Tôa


São Pedro Tôa Tôa
Onde: Rancho Uchôa
Quando: Dia 05/Julho/2008
Camisas a venda na sede: Residencial Gil Moreira - Pça. do Gil
Vitória da Conquista - Bahia
Informações: 3422-2005

Rock in Rio pode ir para outras cidades da Europa e China

O festival de música Rock in Rio, que será inaugurado na sexta-feira, em Madri, deve acontecer em outras cidades da Europa e, inclusive, na China, segundo os planos de Roberto Medina, que detém os direitos do evento.

"Vou visitar Pequim no final de setembro para discutir a possibilidade de organizar o festival na China", contou Medina, presidente do Rock in Rio.

"Muitas pessoas de países da Ásia e da Europa estão interessadas em realizar o festival", afirmou ainda.

Medina analisa ainda a possibilidade de levar o evento ao México e talvez voltar a realizá-lo no Rio de Janeiro, onde nasceu em 1985, antes da Copa do Mundo de 2014.

Depois de três edições na Cidade Maravilhosa (1985, 1991 e 2001), Medina passou a organizar o evento em Lisboa, onde o festival se celebra bianualmente desde 2004.

O festival de Madri contará com os brasileiros Carlinhos Brown e Ivete Sangalo, além de celebridades internacionais como Bob Dylan, Police e Amy Winehouse.

Medina destaca a importância de sua iniciativa dentro da vontade do Brasil de aumentar sua presença no exterior, já que o Rock in Rio "exporta um modelo que nasceu brasileiro, é uma idéia única no mundo e é mais que uma empresa que investe no exterior".

O Rock in Rio de Madri começa em 27 e 28 e prossegue nos dias 4, 5 e 6 de julho.

A Cidade do Rock, situada em Arganda del Rey, na periferia de Madri, espera um público de 300 a 350 mil espectadores. Contará com uma passarela de moda, uma pista de snowboard e outra de skate, além de restaurantes, lojas e até uma creche visando ao público mais familiar.

Fonte: AFP/Terra

Bee Gees podem voltar aos palcos

A banda Bee Gees, famosa nos 70 pelos hits da disco music Stayin' Alive e Night Fever, pode voltar aos palcos após um hiato de cinco anos. Robin Gibb, integrante do grupo, disse que um retorno é muito possível, só depende de uma resposta positiva de seu irmão Barry, também membro do Bee Gees.

A banda, que foi formada em 1958, em Brisbane, Austrália, quando os irmãos Gibb ainda eram bem jovens, finalizou suas atividades após a morte do integrante Maurice, em 2003.

Depois da morte de Maurice, seus irmãos Barry e Robin continuaram a se apresentar, mas sem o nome Bee Gees.

A última vez que a dupla se apresentou foi em Miami, EUA, em 2006.

Em entrevista à BBC News, Robin Gibb disse que ele está muito aberto à idéia de voltar com o Bee Gees desde que Barry concorde. Robin também disse que ainda não sabe se voltará a usar o nome Bee Gees.

"Nós decidimos isso (não usar mais o nome Bee Gees) de forma muito emotiva. Se isso vai mudar ou não, não sabemos. É uma coisa pessoal e faremos isso no momento certo", explicou Robin.

Fonte: Terra

Museu na Paraíba conserva músicas e memória de Luiz Gonzaga

Nascido em Exu (PE) e amado em Campina Grande (PB), Luiz Gonzaga pedia, em uma música que cantava com o filho, Gonzaguinha: "pense neu". Desejo atendido. Há 16 anos, José Nobre de Medeiros, 67 anos, transformou sua coleção de recortes de jornal, vinis, CDs, instrumentos e roupas do "rei do baião" em peças de museu.

Numa pequena casa, no bairro residencial do Cruzeiro, é possível encontrar todo o acervo musical do forrozeiro. O Museu Fonográfico Luiz Gonzaga é particular, não recebe nenhuma verba de governo, de organizações não-governamentais ou de empresas e se mantém com simplicidade. É que Nobre não aceita ajuda de político algum, para evitar o uso eleitoreiro do local.

No total, mais de 3 mil materiais fonográficos e 300 recortes de jornais são conservados ali. Como o local não oferece as condições adequadas para manter as peças há vinis de tiragem limitada, discos de cera de carnaúba (antecessores frágeis dos vinis) e fitas cassetes (que emboloram caso não sejam mantidas em ambientes arejados) todo o acervo está sendo digitalizado.

"A importância dele (Gonzagão) é grandiosa, não só para a música, mas também para a literatura. Através do rei do baião, Luiz Gonzaga, reconhecemos a importância do Nordeste. Ele foi um ícone para a nossa música e para a história do nosso povo porque retratava as nossas regiões e falava da situação de cada um de nós", defende o assistente do museu, Rogério Pereira.

Todo ano, no dia 13 de dezembro, a área externa do museu esta sim, ampla e espaçosa vira cenário de shows de artistas locais, que tocam músicas consagradas de Luiz Gonzaga. A data marca o nascimento do homenageado pelo museu e também um dos dias mais movimentados da casa. No período junino, a procura também aumenta mas não muito "porque ele fica longe dos festejos", explica Pereira.

Para o próximo aniversário do rei do baião, uma homenagem especial: uma estátua que está sendo confeccionada em Pernambuco será colocada na área externa do museu, ao lado de outras duas, a de Padre Cícero e de Frei Damião.

"O Nobre (dono do museu) disse que servirão para proteger espiritualmente o rei Luiz Gonzaga", conta o assistente.

Pereira, aliás, também é um fã apaixonado pelo forrozeiro. Tanto que não recebe nada pelo trabalho, que considera um hobby.

"Enquanto o nosso diretor, eu mesmo e os admiradores do trabalho do Gonzagão estivermos vivos, trabalharemos para preservar a história dele. E a gente tenta passar isso para as crianças também, para não deixar todo esse trabalho se perder", planeja.

O Museu Fonográfico Luiz Gonzaga fica aberto de segunda a sexta-feira, das 11h às 17h.

Fonte: Agência Brasil

Cantor Genival Lacerda vira tema de documentário

Em 2004, quando Genival Lacerda foi convidado para fazer uma participação especial no longa de ficção Foliar do Sertão, da cineasta Carolina Paiva, nem o cantor nem a diretora poderiam imaginar que dali surgiria uma produtiva parceria. Carolina, então, começou a filmar Genival em entrevistas e shows ao vivo. A partir deste material, a cineasta está montando um documentário sobre este ícone do forró-brega, com previsão de lançamento para dezembro deste ano.

Com o título de O Rei da Munganga, o documentário tem como objetivo destrinchar a vida e obra deste compositor nordestino, nascido em Campina Grande, na Paraíba, em 1931.

Na ativa aos 77 anos de idade, Genival Lacerda acumula no currículo sucessos como Severina Xique Xique, De quem é esse jegue? e Radinho de Pilha, além de 40 LPs lançados e inúmeros CDs. Sem dúvida um verdadeiro ícone popular.

O novo filme da cineasta, que está em fase de pós-produção, é mais uma produção de sua carreira onde a música é a característica principal. Antes de rodar O Rei da Munganga, Carolina já havia produzido documentários sobre o funk carioca, sobre o samba (focado na Estação Primeira de Mangueira) e sobre ritmos populares brasileiros.

Segundo a cineasta, que conversou com o JB Online, a idéia de compor um filme sobre o compositor surgiu meio que por acaso, a partir da participação do cantor no filme de ficção da cineasta, Foliar Brasil, de 2004. Nele Genival interpreta o "coroné João".

"Ele chegou no set e encantou a equipe toda. Chegou a se intrometer numa cena do filme, pois tinha um personagem que era uma costureira, e ele cruzou a fazenda aonde estávamos filmando e gritou: 'Paivinha essa costureira tem que ser costureiro e gay; tá cheio aqui...'. Aí não tive como não fazer; e a cena ficou com um costureiro gay, que ainda usou como figurino uma roupa de Genival", afirma a diretora.

Carolina contou que foi a partir daí que surgiu a idéia de rodar o filme, mas somente um ano depois a cineasta teve certeza de que filmaria com Genival. Foi depois de assisti-lo se apresentar no Forrócaju, em São João do Aracaju, no Sergipe, para um público de 100 mil pessoas que cantavam todas as suas músicas em coro. Na hora de filmar, a cineasta contou que o cantor mostrou-se sempre simpático e receptivo.

"O contato com ele é sempre divertido, ele fez 77 anos, agora em junho; mas parece que tem 20 anos. É um eterno jovem, pois só anda com eles; já que seus músicos na sua maioria são jovens. Sempre foi super receptivo, assim como o seu filho que também é o produtor dele, João Lacerda. Ele entrou no filme como co-produtor; eu converso sobre tudo com o João, desde os elementos de pesquisas que preciso até a falta de patrocínio", conta.

A cineasta contou que atualmente, depois de rodar com Genival no Nordeste e no Rio, está em busca de um patrocínio final para dar início a pós-produção do filme, que já está praticamente pronto.

"O filme, agora, está editado off line; só precisa realmente da pós-produção; mas estamos necessitando de um patrocínio final. Se tudo der certo, em dezembro desse ano, o filme estará pronto. Pretendemos rodar festivais nacionais e internacionais e exibi-lo no Canal Brasil e na TV Brasil", afirma.

Carolina contou que depois que O Rei da Munganga for finalizado e lançado, ela irá retomar o roteiro de seu próximo longa de ficção, batizado de 98 Minutos, que foi interrompido por conta do filme de Genival Lacerda. Além disso, a cineasta também tem como sonho lançar uma TV Web no mercado, já que segundo ela não haverá diferença no futuro entre TV, internet e celular.

Fonte: JB Online

CD e DVD trazem Paralamas e Titãs 'Juntos e Ao Vivo'

Os fãs das duas maiores e mais longevas bandas brasileiras de pop rock, Titãs e Paralamas do Sucesso, têm à disposição a partir desta semana novos CD e DVD com atuações colhidas na excursão que as duas bandas fizeram juntas pelo País a partir de novembro do ano passado.

Este é o terceiro encontro musical dos supergrupos nacionais (já fizeram CDs em 1988 e 1992).

Bom, segundo os próprios músicos anunciam, Paralamas e Titãs - Juntos e Ao Vivo (EMI), pela primeira vez, é uma jam session de verdade. Ou seja: Paralamas encaram clássicos dos Titãs, e vice-versa. E a base musical é feita conjuntamente por todos, como se fosse uma big band.

"Cada um escolheu as músicas do repertório do outro. Diversão, por exemplo, que a gente nem tocava mais em shows, eles escolheram para o disco. Já o (Sérgio) Britto queria muito A Novidade, e nós escolhemos essa. A gente ficava se vingando uns dos outros e realizando os desejos de cada um", brinca Paulo Miklos, cantor dos Titãs.

De fato, as bandas revisitam um repertório que remonta os 25 anos de carreira de cada grupo. Canções antigas, que estavam perdidas em suas discografias, como Trac-Trac e Óculos (Paralamas) e Go Back e Comida (Titãs) estão de volta - em geral, umas e outras filtradas pela interpretação típica de cada grupo.

"O disco tem essa característica, de refletir essas nossas carreiras que são um pouco espelhadas", diz Miklos. "Mais do que a proximidade, o coleguismo, havia entre a gente também uma competição saudável. Esses trabalhos mostram a proximidade real que a gente tem. Havia algo de estimulante, de perceber os caminhos que o outro estava trilhando."

Fonte: Ig

Oasis dá nome a novo álbum

A banda britânica Oasis anunciou nesta terça-feira, 24, que lança seu novo álbum em 6 de outubro, um mês depois da data inicialmente prevista pelo grupo. De acordo com Noel Gallagher, guitarrista e compositor da banda, Dig Out Your Soul será um álbum de groove, que “não tem músicas com a estrutura de versos e refrão”.

O grupo também definiu qual será o primeiro single do álbum sucessor de Don’t Believe The Truth, de 2005: “The Shock of Lightning”. Noel explicou ao semanário britânico NME que a canção é praticamente uma demo, já que foi mixada em cima da primeira gravação que a banda fez.

Dig Our Your Soul é o primeiro álbum do Oasis lançado pelo selo próprio da banda, o BigBrother, em parceria com a Sony/BMG. O trato foi anunciado na última semana.

Fonte: Revista Rolling Stone

Paralamas toca com Ivete e grava novo disco entre Rio e Salvador

O Paralamas do Sucesso está trabalhando no sucessor do álbum Hoje, lançado em 2005. O grupo carioca começou a pré-produção de seu novo trabalho no Rio e viajou a Salvador para gravar algumas bases no estúdio Guetto, de Carlinhos Brown. Lá, receberam visita de Ivete Sangalo, o que acabou virando uma jam entre os músicos.

O disco terá parcerias entre Herbert Vianna e Brown e está previsto para ser lançado em outubro. O baterista João Barone explicou que a escolha do estúdio de Brown para registrar as novas composições do Paralamas se deve "à busca pela vibe perfeita".

"Estivemos neste mesmo estúdio em outubro passado, para ensaiar a participação do Brown no show 'Paralamas & Titãs'. Ficamos muito empolgados e resolvemos gravar nosso novo álbum neste local, pois percebemos que a atmosfera que reina nesse pedaço de Salvador é especial."

Quanto à visita de Ivete, Barone contou que ela e Geraldo Azevedo estavam gravando em um estúdio próximo, em meio aos festejos de Santo Antônio. "Herbert aproveitou e promoveu o seu já tradicional sarau, tocando e cantando um monte de músicas ao violão, junto com Ivete, que - para surpresa geral - tomou conta de minhas baquetas e mandou ver na bateria, acompanhando Herbert com algumas batidas muito bem executadas", elogiou o baterista.

Fonte: Ig

terça-feira, 24 de junho de 2008

Leona Lewis recebe oferta de US$ 2 milhões por um único show

De acordo com o jornal britânico Daily Mirror a cantora pop inglesa Leona Lewis recebeu a oferta de US$ 2 milhões de para fazer uma apresentação particular na festa de um multimilionário não relevado pelo veículo.

A bagatela paga à cantora a coloca no panteão de artistas como o ex-Beatle Paul McCartney, que costuma receber quantias similares em ocasiões como essa.

A fama da estrela autora do hit Bleeding Love, que em 2006 venceu o X Fator - o equivalente britânico de Ídolos -, tem ascendido rapidamente.

Seu primeiro álbum, Spirit, a colocou no topos das parada americanas, tanto com o disco quanto o single Bleeding Love - feito que um artista inglês não conseguia realizar há quase duas décadas.

Estima-se que a vendas de Spirit já tenham alcançado a marca de US$ 12 milhões. Uma fonte ligada à cantora disse ao Daily Mirror que a Leona doa a maior parte de sua renda a instituições de caridade.

Fonte: Terra

Leona Lewis - Bleeding Love (Music Video)


Mutantes nas Olimpíadas

“Minha Menina” será veiculada em campanha mundial de marca patrocinadora do evento

A música “Minha Menina”, da banda brasileira Mutantes, é a trilha sonora da nova campanha do McDonalds, com temática olímpica. A rede de fast-food é patrocinadora oficial do evento, que começa em agosto, em Pequim.

O comercial foi criado pela DDB Group, uma das maiores agências de publicidade do mundo. Inicialmente, ele será veiculado apenas nos EUA, mas se tornará uma campanha mundial nas próximas semanas.

Feita com uma música brasileira, a campanha mostra dois times de garotos jogando nosso futebol.(assista o comercial)


Fonte: Revista Rolling Stone

segunda-feira, 23 de junho de 2008

Pai de Amy Winehouse diz que ela está com enfisema pulmonar

A cantora britânica Amy Winehouse está com enfisema, uma doença pulmonar crônica que desenvolveu ao fumar crack e cigarros, confirmou o pai da artista, Mitch Winehouse.

Em uma entrevista ao jornal Sunday Mirror, o pai da cantora explicou que a doença de sua filha, internada na última segunda-feira em um hospital de Londres após sofrer um desmaio, ainda está em uma fase inicial.

"Os médicos lhe disseram que se voltar a fumar drogas isto não apenas arruinará sua voz, mas a matará", declarou.

A cantora, de 24 anos, prometeu deixar as drogas e se submeter a um programa de desintoxicação, embora seu pai tema que seu círculo de amizades a leve a descumprir sua palavra.

"Digo aos traficantes de droga, e eles sabem quem são, que se fornecerem crack para Amy terão que assumir a responsabilidade", advertiu Mitch Winehouse.

O pai da cantora também não quer ver sua filha com "amigos como Pete Doherty", cantor da banda britânica Babyshambles e usuário de drogas confesso.

"Que esperança terá se está cercada de pessoas que usam drogas", perguntou.

Os problemas de saúde de Amy Winehouse colocam em dúvida a sua participação no show que acontecerá na próxima sexta no Hyde Park, de Londres, para celebrar o aniversário de 90 anos do ex-presidente sul-africano Nelson Mandela.

Fonte: EFE

Brasileiro que chegou a Londres com US$ 25 abre show do R.E.M

Em 2006, a música Trains to Brazil colocou o grupo de rock inglês Guillemots nos trilhos do sucesso. Dedicada a Jean Charles de Menezes, o brasileiro morto no metrô pela polícia londrina no ano anterior, a música chamou atenção para o estilo refinado da banda, que tem o guitarrista paulista Ricardo Bambine, o MC Lord Magrão, entre seus integrantes. O grupo acaba de ter seu segundo CD, Red, lançado no Brasil. E embora os Guillemots ainda batalhem show a show, a história teve final feliz para Magrão.

"Vim para a Europa com a idéia de fazer música. Fui para Barcelona em 2004, mas deu tudo errado. Morei um tempo na rua porque não tinha dinheiro para o aluguel", lembra ele.

Da Espanha, Magrão foi para Londres com apenas US$ 25 no bolso. Morou de favor com uma amiga e lavou muitos pratos antes de encontrar o inglês Fyfe Dangerfield (voz, piano), a canadense Aristizábal Hawkes (baixo) e o escocês Greig Stewart (bateria) e formar o Guillemots.

Enquanto a banda caminhava, Magrão sofreu para regularizar sua situação de imigrante. "Tinha visto de turista, depois meu passaporte venceu... Foi um ano e meio de sufoco", recorda.

Hoje, com o Guillemots prestes a abrir uma turnê para o R.E.M. no Reino Unido, Magrão, que acaba de comprar um apartamento ("de quarto e sala e financiado", avisa), acha que teve sorte.

"Parece até mentira. Grana mesmo nós não temos, mas vivemos do que gostamos e pagamos as contas. E fazer música é melhor que lavar louça", diz.

Seu próximo sonho é trazer o Guillemots ao Brasil. "Estamos à espera de um convite, para passar férias de graça no Brasil", brinca.

Fonte: EFE

Com brasileiros confirmados e Winehouse como dúvida, Rock in Rio vai a Madri

O festival Rock in Rio Madri começará na próxima sexta-feira, na capital espanhola, com dois fins-de-semana de música e diversão, tendo Ivete Sangalo, Carlinhos Brown, Bob Dylan, Shakira, The Police, Neil Young, Alejandro Sanz, Franz Ferdinand e Amy Winehouse entre suas atrações.

Para receber o evento, a organização do festival preparou, em Arganda del Rey, nos arredores de Madri, um espaço de 200 mil metros quadrados, o qual foi batizado de Cidade do Rock, mesmo nome dado ao local que recebeu os shows da terceria edição do festival no Rio de Janeiro, em 2001.

Além dos dois palcos para os shows, foram erguidas tendas para desfiles de moda, uma refrescante pista de neve e inúmeras lojas e praças de alimentação.

Do último fim de semana de junho e a 1º de julho, um elenco de artistas bastante heterogêneo se apresentará no evento. Lendas do rock como Bob Dylan e o The Police dividirão os palcos com fenômenos do pop adolescente, como a banda alemã Tokio Hotel, e estrelas internacionais como Shakira, Lenny Kravitz e Amy Winehouse.

No dia 28, o evento contará com a participação de artistas brasileiros como Carlinhos Brown e Ivete Sangalo.

A grande incógnita do festival de música será o dia 4 de julho, para quando está prevista a apresentação de Amy.

A britânica, que conseguiu uma grande atenção da mídia com seu álbum "Back to Black", teve uma péssima apresentação há menos de um mês no Rock in Rio Lisboa e, dependendo de sua saúde, não terá condições de realizar seu show na edição espanhola.

Bob Dylan, lenda viva da música, será o protagonista indiscutível do fechamento do Rock in Rio Madri, em 6 de julho.

Fonte: EFE

Oasis fecha acordo com Sony BMG

Gravadora dos irmãos Gallagher vai atuar em parceria com gigante da indústria fonográfica; novo álbum deve sair até o final do ano

O Oasis assinou um contrato com a gravadora Sony BMG para o lançamento de seus três próximos álbuns, informou o site britânico Gigwise. O Big Brother Recordings, selo dirigido pelos irmãos, vai atuar em parceria com a gravadora para aumentar as áreas de distribuição de seus discos.

“Esse acordo permitirá que a Big Brother se una ao melhor do setor independente e das majors em um âmbito mundial. (...) Isso permite que a banda tenha as vantagens de todas as oportunidades apresentadas pelos novos modelos de negócios [da indústria musical], além de manter total controle sobre seu próprio destino”, afirmou Alec Mckinlay, da equipe do Oasis, um dos responsáveis pelo fechamento do contrato.

Os álbuns antigos da banda também fazem parte do acordo, e passarão a ser distribuídos em parceria com a Sony BMG. O selo dos Gallagher deverá dividir os lucros com a major.

Don´t Believe the Truth, ultimo de inéditas da banda , saiu em 2005.Um novo álbum deve chegar às lojas até o final de 2008.

Fonte: Revista Rolling Stone

sábado, 21 de junho de 2008

Sobrinha de Gretchen estréia na música com funk sobre virgindade

Um vídeo estrelado por Caroline Miranda, sobrinha de Gretchen, é um dos novos fenômenos da Internet. Desde que foi disponibilizado, há pouco mais de uma semana, o clipe figura na lista dos mais vistos no YouTube, sendo que é o campeão desta semana, com quase 200 mil acessos.

"Meu Selinho", primeiro trabalho da garota de 19 anos, foi gravado ao lado do paulista MC Lip e debate a suposta virgindade da cantora. Enquanto Lip defende que virgindade "é coisa do passado", Caroline se esquiva e afirma no refrão: "não quero perder o selinho, eu só quero dar beijinho", para depois arrematar, "ai, minha tia não vai gostar".

Apesar da grande audiência, os internautas se dividem entre os que elogiam a postura da nova funkeira e o oportunismo do tema da música.

Em entrevista recente, Caroline disse que sua tia a intimou a assumir o posto de "bumbum mais popular do país", no lugar da famosa Mulher Melancia, que também ensaia uma carreira no funk.

Depois de "Meu Selinho", Caroline pretende gravar outra canção – é "Baba Cachorrão", escrita por Thammy Gretchen, que almeja atualizar o "Melô do Piripipi", sucesso na voz de Gretchen de década de 1980.

Fonte: Ig

Nova York se prepara para show histórico de João Gilberto

No ano em que a bossa nova completa meio século de vida, um dos fundadores do movimento tocará no Carnegie Hall, em Nova York --um local histórico que ajudou a disseminar o ritmo brasileiro mundo afora.

O violão suingado de João Gilberto estará no palco durante o JVC Jazz Festival, no domingo (22), a fim de lembrar como seu jeito sutil e discreto de cantar e tocar samba transformou para sempre a música brasileira.

"A bossa nova é considerada um sinônimo de música brasileira fora do nosso país", afirmou o crítico Zuza Homem de Mello, que publicou recentemente um livro sobre João Gilberto, 77. O crítico é também curador de uma mostra sobre o movimento musical que ocorrerá em São Paulo, em julho.

A novidade surgiu oficialmente em 1958 com "Chega de saudade", canção que consagraria uma das parcerias mais bem-sucedidas da música brasileira, a parceria entre as composições de Tom Jobim e as interpretações de João Gilberto.

"João Gilberto foi a voz da bossa nova, e o compositor foi Antônio Carlos Jobim", disse recentemente o músico brasileiro Sérgio Mendes, radicado em Los Angeles.

O Brasil atravessava então um período de otimismo e modernização, com a construção de uma nova capital, uma economia em ritmo acelerado e um líder eleito democraticamente, Juscelino Kubitschek, que ficou conhecido como "o presidente bossa nova".

A nova batida conquistou os jovens jazzistas do Rio de Janeiro e tornou-se rapidamente popular entre a classe média.

Músicos norte-americanos como Burt Bacharach, que viajaram à época para se apresentar no Rio, entraram em contato com ritmo. E muitos jazzistas, entre os quais Stan Getz e Charlie Byrd, adotaram o novo estilo em suas composições e discos.

O som popularizou-se na metade dos anos 60 quando "Garota de Ipanema," na gravação de Astrud Gilberto, João Gilberto e Stan Getz, tornou-se um sucesso internacional.

"A internacionalização da bossa nova ocorreu por causa do jazz. Os primeiros que a ouviram foram os jazzistas, muitos dos quais norte-americanos que visitaram o Brasil no final dos anos 50 e levaram discos ao regressarem para os EUA", disse Zuza Homem de Mello.

Mas foi somente com o histórico show do Carnegie Hall, em 1962, que a bossa nova, apresentada por brasileiros, começou a conquistar o mundo. João Gilberto é considerado um gênio por uma legião de fãs devido à forma como combina o violão e a voz, conduzindo-os muitas vezes de forma inesperada.

Considerado como um perfeccionista, João Gilberto exige um esmero técnico absoluto ao se apresentar. E o músico raramente sai de seu apartamento no bairro do Leblon, no Rio. Em vista disso, será algo especial para seus fãs vê-lo em Nova York e ouvi-lo tocar novamente no Carnegie Hall.

Fonte: G1

sexta-feira, 20 de junho de 2008

Padre Marcelo lidera ranking dos mais vendidos da história do país

Músicas para Louvor o Senhor, primeiro disco gravado pelo Padre Marcelo Rossi, é o álbum mais vendido da história da música brasileira. O ranking, apurado pelos jornalistas Luiz André Alzer e Mariana Claudino e publicado esta semana, afirma que o trabalho vendeu mais de 3 milhões e trezentas mil cópias no país.

Lançado em 1998, o álbum catapultou a popularidade do padre carismático. De lá para cá, ele lançaria outros seis discos, chegando ao sétimo CD dez anos depois. Paz Sim, Violência Não - Volume 1, gravado ao vivo no Autódromo de Interlagos, em São Paulo, está chegando às lojas este mês.

Em segundo lugar na lista aparece Xuxa e seu terceiro LP (3 milhões e duzentas mil cópias). A apresentadora volta a aparecer na quinta posição com seu disco seguinte, na sexta colocação com o Xegundo Xou da Xuxa e em oitavo lugar com seu primeiro lançamento, de 1986.

A dupla sertaneja Leandro e Leonardo também ocupa mais de um posto entre os dez mais vendidos. Eles ficaram com a terceira e sétima posição somando quase seis milhões de discos vendidos.

A lista faz parte do livro "Os 10 Mais", obra que reúne mais de 250 rankings dos mais diversos assuntos.

Confira a lista dos dez discos mais vendidos do país:

1 Músicas para Louvar o Senhor - Padre Marcelo Rossi (1998): 3.328.468 cópias
2. Xou da Xuxa 3 - Xuxa (1988): 3.216.000
3. Leandro & Leonardo - Leandro & Leonardo (1990): 3.145.814
4. Só pra Contrariar - Só pra Contrariar (1997): 2.984.384
5. 4º Xou da Xuxa - Xuxa (1989): 2.920.000
6. Xegundo Xou da Xuxa - Xuxa (1987): 2.754.000
7. Um Sonhador - Leandro & Leonardo (1998): 2.732.735
8. Xou da Xuxa - Xuxa (1986): 2.689.000
9. Mamonas Assassinas - Mamonas Assassinas (1995): 2.468.830
10. Terra Samba ao Vivo e a Cores - Terra Samba (1998): 2.450.411

Fonte: Ig

quinta-feira, 19 de junho de 2008

Arnaldo Antunes confirmado no Festival de Inverno

Arnaldo Antunes é mais uma atração confirmada para o Festival de Inverno Bahia em Vitória da Conquista, que acontece nos dias 22,23 e 24 de Agosto.

Arnaldo Antunes (São Paulo, 2 de setembro de 1960) é um músico, poeta e artista visual brasileiro, mais conhecido por sua participação como integrante do grupo de rock Titãs. Em suas principais áreas de atuação artística, a música, a poesia e a arte visual, demonstra a influência de sub-gêneros modernistas ou pós-modernistas.

Em 1978 ingressou em Letras da FFLCH-USP, onde seguiria o curso de Lingüística, não fosse o sucesso dos Titãs lhe tomar todo o tempo entre shows, gravações, ensaios, turnês e entrevistas. Desligou-se da banda em 1992, depois de dez anos de grupo, por conta de suas direções artísticas. Apesar de sua saída, Arnaldo continuou compondo com os demais integrantes do grupo e várias dessas parcerias foram incluídas em discos dos Titãs, assim como em seus discos solo.

No ano de 2002, formou em parceria com os amigos Marisa Monte e Carlinhos Brown o trio Tribalistas, pelo qual lançaram o álbum homônimo. Também atuou como ensaísta na Folha de São Paulo, onde deixou evidente o substrato teórico que transparece no seu trabalho estético. Lançou no final do ano de 2007 o primeiro DVD de sua carreira, o Ao Vivo No Estúdio, que passeia por toda sua carreira e que conta com as participações especiais do ex-titã Nando Reis, do titã Branco Mello, do Ira! Edgard Scandurra e dos tribalistas Marisa Monte e Carlinhos Brown.

Confira a agenda do artista clicando aqui.

Menor máquina de karaokê do mundo cabe na palma da mão

Este é o Hi-kara, o menor karaokê do mundo. O aparelho tem uma tela de LCD de 2,4 polegadas e vem com microfone e fone de ouvido. A fabricante Takara Tomy, do Japão, começará a vendê-lo no país em outubro, a 10.500 ienes (R$ 156). O lançamento aconteceu na quinta-feira (19), em uma feira de brinquedos em Tóquio.

(Foto: Reuters/Yuriko Nakao)

Raridades do The Smiths na rede

Novo álbum do The Smiths na rede. É oficial ou um bootleg?

Rare chegou às lojas virtuais sem aviso. Fãs questionam autenticidade do lançamento

Uma coletânea de raridades da extinta banda The Smiths ganhou as prateleiras virtuais de lojas como Amazon e iTunes nesta semana, mas causou estranheza entre os fãs do grupo.

O disco, chamado Rare, foi lançado sem nenhum aviso prévio ou campanha de marketing da gravadora que detém os direitos sobre as canções do grupo. Os internautas já questionam o lançamento, afirmando que é apenas um bootleg não-oficial.

De acordo com o website britânico Gigwise, internautas vêm reclamando do álbum em fóruns de discussão, afirmando que algumas das músicas anteriormente apresentadas em outros bootlegs do The Smiths aparecem com a mesma qualidade em Rare, sem nenhum tratamento sonoro profissional.

Até o momento, a Warner Music não fez nenhum pronunciamento oficial sobre o assunto. Para conferir o tracklist de Rare, clique aqui.

Fonte: Revista Rolling Stone

Tom Zé lança o álbum "Dança-êh-Sá ao vivo: O Fim Da Canção" gratuitamente na Internet

Em parceria com a gravadora Trama, o cantor e compositor Tom Zé lança o disco "Danç-Êh-Sá Ao Vivo: O Fim Da Canção" nesta sexta-feira (20). O disco é uma versão ao vivo de "Dança-Êh-Sá: Dança dos Herdeiros do Sacrifício" (2006) e inaugura oficialmente o Álbum Virtual, onde os internautas poderão baixar gratuitamente obras musicais por tempo limitado no site oficial do novo projeto do selo.

Em entrevista realizada nesta quarta-feira (18), o artista baiano falou sobre o lançamento e suas perspectivas sobre os novos caminhos da música no panorama digital pautado pelas novidades tecnológicas. A idéia surgiu com a gravação de um show do cantor, realizada nos estúdios da gravadora Trama no final de 2007, em parceria com o Canal Brasil. Segundo a assessoria da Trama, todos os futuros lançamentos da gravadora seguirão este modelo. Os próximos lançamentos virtuais da gravadora serão a reedição do primeiro álbum do grupo Macaco Bong, "Artista Igual Pedreiro", e um disco de inéditas de Ed Motta, em julho e agosto, respectivamente.

Da mesma forma que seu contemporâneo Gilberto Gil, Tom Zé lança mão da rusticidade para encarnar o astronauta libertário que retratou em "2001", antiga parceria sua com o grupo Os Mutantes, inspirada no filme "2001: Uma Odisséia no Espaço" (1968) do cineasta Stanley Kubrick. O cantor faz analogia com a obra do cineasta para definir o atual rumo de sua carreira com o lançamento do álbum virtual. "Sinto-me como se saísse da Idade Média diretamente para uma estação orbital, como no filme de Kubrick", diz Tom Zé sobre o lançamento de álbum virtual na Internet.

Um dos artistas mais prolíficos e criativos do cenário da música popular brasileira, Tom Zé ressalta as novidades de seu novo álbum, rechaçando quaisquer possibilidades de estagnação criativa ao reeditar material antigo. "As canções estão praticamente irreconhecíveis, completamente modificadas na medida em que tocamos e encontramos novas soluções musicais e metamorfoses para esses temas. Fizemos uma nova edição, ao vivo, do meu disco lançado em 2006. As canções têm os mesmos nomes, mas neste álbum também incluímos 'Xiquexique', uma composição minha em parceria com José Miguel Winsnik", destacou.

"Dança-Êh-Sá: Dança dos Herdeiros do Sacrifício" foi originalmente inspirado na resposta obtida com jovens brasileiros por meio de dados aferidos em pesquisa realizada pela MTV em 2005, que revelou tendência coletiva ao hedonismo, consumismo e irresponsabilidade social. Obra de um artista que sempre pautou seu trabalho pelo uso criativo e inteligente da palavra, Tom Zé remontou aos primórdios da humanidade e nossa herança africana oriunda de teorias antropológicas, para elaborar um disco um álbum sem letras, endossando o ponto-de-vista de Chico Buarque, que há alguns anos proclamou o fim da canção.

"Também fiquei perplexo com o resultado e, em contrapartida ao pessimismo generalizado, resolvi peitar o desafio de criar um disco sem letras, de acordo com os anseios da juventude, que revelou não se importar muito com o aspecto lírico de álbuns de música. A pesquisa da MTV me levou a algo que não tem nada a ver com a etimologia dicionarizável da canção e assim ingressei em um universo pós-canção", explicou.

Mas o compositor mantém o otimismo e esperança, conforme declarou. "Somos um país jovem e somos herdeiros da África, em função da miscigenações e toda uma variedade de questões. Isso é fato, pois quando nossa juventude se apresenta em países nórdicos, por exemplo, todos se impressionam justamente com nossas conexões com o continente africano, por esse caldo cultural infusório", avalia.

Por: Marcus Marçal (UOL)