domingo, 8 de junho de 2008

Última noite do Rock In Rio Lisboa reúne 90 mil pessoas para ver Muse, Offspring e Linkin Park


Na última noite de shows da terceira edição do Rock In Rio (RIR) Lisboa, o parque da Bela Vista recebeu um público de 90 mil pessoas, o mesmo número do primeiro dia, 30 de maio. Diferentemente das noites anteriores, quatro bandas de peso no rock internacional dividiram o mesmo espaço.

O palco Mundo contou com as apresentações dos cubanos do Orishas, dos britânicos do Kaiser Chiefs e Muse, e dos aguardados The Offspring e Linkin Park, dos Estados Unidos.

Durante os cinco dias de shows (30 e 31 de maio, 1, 5 e 6 de junho), 354 mil pessoas assistiram aos shows de bandas vindas de várias partes do mundo, distribuídas entre três palcos. O palco Mundo, o maior de todos com 90 metros de comprimento e 28 metros de altura, recebeu os artistas mais aguardados pelo público.

O palco Sunset, com design minimalista, foi idealizado para receber apresentações alternativas, grande parte delas nacionais. Foi neste palco que ontem apresentaram-se os mineiros do Pato Fu, convidados pelos portugueses da banda Clã. A tenda eletrônica recebeu DJs de vários países.

A organização e os seus patrocinadores sociais arrecadaram o valor de 562 mil euros para o projeto social do evento. A próxima parada do Rock In Rio é Madrid, com início marcado para fim de junho. O festival retorna a Portugal em 2010.

Orishas
O público do último dia foi composto por pessoas que esperavam rock and roll, desafio para os Orishas, banda cubana radicada em Paris. A musicalidade cubana indefectível com frases de hip hop, gradualmente foi conquistando a platéia.

O sol e o calor contribuíram para adesão do público, que após as primeiras músicas participavam da festa latina conduzida pelo rapper Yotuel e seus amigos Ruzzo e Roldán. Os pontos altos do concerto foram os temas "Nací Orishas", conhecido em Portugal, e "Que Pasa", a última do setlist da banda.

Kaiser Chiefs
Da cidade de Leeds, no norte da Inglaterra, os Kaiser Chiefs não se fizeram de rogados por serem a segunda banda e executaram um show com muita energia, um dos mais comentados entre os grupos de rock que se apresentaram no evento. Ao som de hits como "Born To Be a Dancer", "Everyday I Love You Less and Less" e "Ruby", a multidão foi convencida logo no início de que o show seria intenso e dançante.

Grande parte do êxito e reconhecimento do público se deve ao elétrico Ricky Wilson, vocalista da banda, ousado em palco e fora dele. Escalou uma das torres de som e de lá gritou "We are the Kaiser Chiefs!", foi de encontro ao público e pulou durante toda a apresentação. O final não poderia ser diferente: a multidão impressionada e Wilson deitado no chão recompondo-se.

Muse
O trio britânico Muse, composto por Matthew Bellamy (voz/guitarra), Christopher Wolstenholme (baixo) e Dominic Howard (bateria), iniciou o show com o tema "Knights of Cydonia", do álbum "Holes and Revelations". Com o vocalista sentado ao piano, a primeira música cresceu de forma bem executada, comprovada pela adesão entusiasmada do público.

Temas de "Black Holes and Revelations", como "Supermassive Black Hole" e "Starlight", foram alguns dos destaques, assim como os obrigatórios "Plug In Baby" e "Stockholm Syndrome". Com uma evidente capacidade de adaptação ao público, esquivando-se do tempo limitado de 60 minutos para sua apresentação, o Muse se estabeleceu como uma das bandas mais representativas no cenário do rock internacional.

The Offspring
Como todas as bandas que se apresentaram no palco Mundo do RIR Lisboa, o Offspring revisitou êxitos de toda carreira. O punk rock dos norte-americanos comandados pelo vocalista Dexter Holland e por Noodles, fizeram a temperatura do parque subir vertiginosamente. Sempre rápidos mas com pouca atitude em palco, conseguiram empolgar as pessoas que estavam nas extremidades do parque da Bela Vista.

Antigos sucessos como "Bad Habit", "All I Want" e "Have you Ever", fizeram a alegria dos fãs. Também executaram temas do álbum que será lançado em junho, "Rise and Fall, Rage and Grasse". O hino do Offspring, a música "Self Esteem", foi o momento maior de todo o show. Por trás da aparência jovial do Offspring, estão 24 anos de estrada, comprovados pela eficácia que os músicos imprimiram neste último dia de RIR.

Linkin Park
Com a casa lotada os Linkin Park tomaram conta da festa, que só retorna a Portugal em 2010. O new metal de Mike Shinoda e Chester Bennington rendeu a legião de fãs portugueses logo na primeira música, "What I've Done", do seu novo álbum "Minutes to Midnight". Os líderes da banda por diversas vezes ultrapassaram a distância entre o palco e o público, subindo nas grades que os separavam, com o microfone em punho.

Por todo o parque ouviu-se uma só voz cantando o refrão de "Somewhere I Belong". Temas de "Hybrid Theory", o disco de maior sucesso da banda, tiveram respostas eletrizantes do público. Tocaram ainda "Pushing Me Away", "Breaking the Habit" e "A Place for My Head". Com um histórico de vendas de 50 milhões de álbuns e dois prêmios Grammy na bagagem, o Linkin Park executou um concerto orgânico, e o público, com sua voz, converteu-se em um integrante da banda no último show do RIR Lisboa.

(Por Renato Mendes - Lisboa)

Nenhum comentário: