terça-feira, 29 de julho de 2008

Cantor Leoni começa a disponibilizar uma música de graça por mês em site

Ex-Kid Abelha e co-autor de "Exagerado" aposta em novo formato de divulgação.
"Dá pra rir e dá pra chorar" é a primeira faixa da seqüência.

O cantor Leoni, compositor de grandes sucessos do Kid Abelha e ex-líder da banda oitentista Heróis da Resistência, começou a disponibilizar uma música inédita por mês, para download grátis, dentro de seu site oficial - deixando o formato CD de lado.

Co-autor de “Fixação”, “Pintura íntima”, “ Como eu quero” e de "Exagerado" (com Cazuza), o carioca deixou o Kid Abelha ainda nos anos 80 e algum tempo depois conseguiu formar um grupo pequeno, mas fiel, de seguidores de seu trabalho. Com o estouro do site de relacionamentos Orkut nesta década, ele conseguiu movimentar diversas comunidades (a maior delas tem cerca de 47 mil pessoas) dedicadas à sua carreira e chamar quase 13 mil pessoas para se inscreverem em seu próprio site.

"Vai que o Orkut acaba ou o MySpace [também um site de relacionamentos] vai para o espaço", brinca Leoni. "Eu queria manter esse contato mais próximo com os fãs."

No site oficial, o cantor já adotou várias idéias correntes na nova ordem do mercado musical. Fãs conversam diretamente com ele, fazem pedidos, mandam fotos de apresentações e existe até uma "carteirinha Leoni" que dá desconto em shows.

Uma delas vai ser de o fã enviar uma gravação em vídeo de sua própria versão de "Dá pra rir e dá pra chorar", a primeira canção do projeto. O criador do vídeo eleito pelos próprios internautas do site de Leoni terá a oportunidade de fazer um dueto com o cantor na estréia de seu show em outubro, no Canecão. Ainda terá direito a passagem e estadia no Rio de Janeiro para sua participação.

Escrita em parceria com outro ex-Kid Abelha, o baterista Beni Borja, Leoni define "Dá pra rir e dá pra chorar" como “música para cima” e “bem rock ‘n roll”. “A letra, no entanto, é meio desesperada e bipolar. Fala de um cara que acabou de se separar e tem que conviver tanto com as coisas boas de estar solteiro quanto sobre as dificuldades do período pós-separação”.

O cantor diz que essa nova forma de divulgar sua música tem efeitos também no modo de compor. "Tem uma coisa que é bacana. Eu não tenho que pensar se a música vai ser tocada na rádio, coisa que as gravadoras pensavam antes. Se alguma rádio quiser tocar, ótimo, mas a idéia não é essa", afirmou.

"A idéia é dar para o público que já gosta de mim a minha música. O problema do mercado de hits não é que você tem que agradar todo mundo. Você tem, na verdade, que 'desagradar' o menor número de pessoas. Tinha, por exemplo, que diminuir a duração de uma parte instrumental porque alguém podia não gostar..."

Fonte: G1

Nenhum comentário: