quinta-feira, 21 de agosto de 2008

Festa do Peão de Barretos começa nesta quinta

A Festa do Peão de Barretos, considerada o maior evento do gênero da América Latina, começa nesta quinta-feira e promete levar uma infinidade de pessoas à cidade conhecida mundialmente como a "Capital do Rodeio". É a turma do chapéu que acompanha as montarias, shows e uma série de atividades no 53º ano do festival sertanejo. A organização de Os Independentes, o grupo fundador da festa, estima que 800 mil visitantes passem pelo recinto até dia 31 de agosto.

De acordo com os organizadores, os 800 mil visitantes não são contados como pessoas porque um mesmo freqüentador pode ir uma ou mais vezes ao recinto. A média, por enquanto, seria de 500 mil pessoas. Muito acima dos quase 108 mil habitantes da cidade.

A estrutura do Parque do Peão é gigantesca. A área tem dois milhões de metros quadrados e a arena tem capacidade para abrigar 35 mil pessoas sentadas.

E o investimento é pesado. Para montar essa estrutura que altera a rotina de Barretos, Os Independentes investiram R$ 15 milhões. A festa movimenta todos os setores econômicos do município. Há mais de quatro meses não são encontradas vagas em hotéis.

Segundo a organização, a 53ª Festa do Peão deve movimentar algo em torno de R$ 200 milhões em um raio de 200 quilômetros.

Para o diretor artístico da festa, Cássio Leite, isso é resultado das grandes proporções do evento, que atrai pessoas de todo Brasil. Para isso, além das montarias com os principais peões nacionais, os shows são um outro atrativo.

As apresentações passam pelas duplas sertanejas e contam com grupos de pagode e até a musa do axé, Cláudia Leitte, que toca na madrugada de sábado, por volta da 1h.

"Procuramos trazer bandas que atinjam todas as tribos porque aqui dentro a pessoa vai encontrar o sertanejo, o axé e, se percorrer o parque do peão, vai se deparar até com musica eletrônica", adianta o diretor artístico.

A escolha dos artistas é uma das atividades mais criteriosas do evento. "Terminando a festa deste ano, vamos avaliar quem mais agradou e pode voltar no ano que vem", entrega o diretor.

Ele conta que o público encontrará grandes atrações durante os dias da festa e algumas novidades. Leite cita as duplas Edson e Hudson, César Menotti e Fabiano e Bruno e Marrone, que no próximo sábado subirão de uma só vez ao palco. "Eles vão tocar quatro músicas juntos e o palco comportará as três bandas. Vai ser uma loucura em um show inédito e criado para Barretos", explica o diretor artístico.

Uma preocupação do público é sempre o atraso das apresentações. No entanto, o diretor artístico da Festa de Barretos garante que a organização é criteriosa nesse ponto e os artistas se apresentarão no horário previsto pela programação.

A superstição também ronda o evento. O rodeio obrigatoriamente começa às 19h53, em referência aos 53 anos da festa.

Quem for até Barretos poderá conferir as sete modalidades do rodeio. A mais famosa dela é a de touro. Na montaria, o peão precisa permanecer por oito segundos em cima do animal. A grande final será no dia 31.

Empresas de ônibus criam horários extras para atender a festa e, para quem for de carro, o estacionamento comporta 14 mil veículos. Como não há mais vaga em hotéis, para facilitar a vida do turista e dos freqüentadores o camping pode receber nove mil pessoas.

Na área do parque existem 500 banheiros públicos e 96 orelhões. O reforço policial foi trazido de várias cidades paulistas e contará com uma média de 500 homens por dia, além dos profissionais espalhados pelas rodovias próximas. O evento também conta com postos de atendimento médico e seis ambulâncias. Uma feira interna traz cerca de 100 expositores e a praça de alimentação reúne mais de 30 opções de comida.

História
A Festa do Peão de Boiadeiro de Barretos começou em 1956 como o primeiro evento do gênero realizado na América Latina. Segundo o site da organização, "desde a primeira edição, realizada embaixo de uma de lona de circo, até hoje, o evento não apenas cresceu e se solidificou, como se tornou a mais importante referência cultural sertaneja do interior brasileiro".

Há 53 anos, a festa era realizada em dois dias e em circos alugados, com apresentações da catira, danças do folclore brasileiro, conjuntos de violeiros, queima do alho e desfile típico com carros de boi e conjuntos folclóricos e o popular pau de sebo. Não havia eleição para a rainha e o clube escolhia uma moça da cidade para ser a representante da festa.

Por: Cláudio Dias/Terra

Nenhum comentário: