sexta-feira, 29 de agosto de 2008

Michael Jackson : 50 anos

Michael Joseph Jackson (Gary, Indiana, 29 de agosto de 1958) é um músico norte-americano, atuante como cantor, compositor, produtor, diretor, dançarino e instrumentista que começou a carreira aos cinco anos de idade como líder vocal do grupo Jackson 5.

Lançou-se em carreira solo no início da década de 1970, ainda pela Motown, gravadora responsável pelo sucesso do grupo formado por ele e os irmãos. Em idade adulta, gravou o álbum mais vendido da história, Thriller; acumulou recordes e prêmios; e colocou um total de vinte canções no topo das paradas de sucesso.

Nos anos 80, foi o criador de um estilo totalmente novo de dança, utilizando especialmente os pés. Nos anos 90 se envolveu em escândalos de abuso sexual de menores. Por isso, interrompeu a carreira em duas ocasiões: em 1993 e em 2003, quando foi indiciado por sete crimes, julgado e inocentado perante júri popular. Atualmente prepara o lançamento do décimo álbum de estúdio para o ano de 2008.

Biografia

Michael é o sétimo de nove filhos de Joseph e Katherine Jackson. A família inteira – incluindo os irmãos mais velhos, Rebbie, Jackie, Tito, Jermaine, LaToya e Marlon, e os mais novos, Randy e Janet – viveram juntos em uma pequena casa de dois quartos, e o pai sustentava a casa a duras penas trabalhando num moinho. Por vontade da mãe, mas contra o desejo do pai, as crianças tornaram-se Testemunhas de Jeová e passaram a praticar a evangelização de porta em porta.

De acordo com as regras rígidas do pai, as crianças eram mantidas trancadas em casa enquanto ele trabalhava até tarde da noite. Entretanto, as crianças escapavam freqüentemente para as casas dos vizinhos, onde cantavam e faziam música. Os irmãos mais velhos mexiam na guitarra do pai Joseph sem sua permissão enquanto ele estava no trabalho. Até que um dia Joseph tomou consciência do talento de seus filhos e resolveu ganhar dinheiro com isso, e assim sair de Gary e ir para a Califórnia, para mais tarde serem contratados pela Motown.

Carreira solo

Em 1978, Michael co-estrelou The Wiz no papel do espantalho com sua companheira de gravadora, Diana Ross, como Dorothy. As canções do filme foram arranjadas e produzidas por Quincy Jones, que tinha simpatia por Michael. Após assinar o contrato com a Epic em 1978, Michael trabalhou com Quincy em muitos álbuns.

Depois do inesperado sucesso do álbum Destiny, dos Jacksons, em 1978, Michael teve a oportunidade de retomar a carreira solo, que havia abandonado em 1975 quando o grupo formado por ele e os irmãos deixou a Motown. O astro tinha conquistado respeito junto à diretoria da Sony Music depois de compor e produzir sete canções para os Jacksons, entre elas "Shake Your Body (Down To The Ground)", que colocou o grupo de volta às listas dos mais vendidos nos Estados Unidos e no mundo.

Michael começou a gravar Off The Wall durante a primavera norte-americana de 1979. Com a produção de Quincy Jones, Jackson selecionou dez canções que deram forma ao primeiro álbum solo lançado por ele em idade adulta. Off The Wall causou furor entre o público e a mídia especializada. A mistura de black music e disco do álbum tornou-se referência nos anos que se seguiram. Michael ganhou seu primeiro Grammy com o compacto de "Don't Stop 'Til You Get Enough", uma canção escrita e produzida por ele. Foram dois anos de constante exposição no rádio e na televisão. Foi a primeira vez que um artista colocou quatro músicas de um mesmo álbum entre as dez mais tocadas tanto no Reino Unido quando nos Estados Unidos. Em 1980, Off The Wall já era o álbum de black music mais vendido da história. Os números chegam, atualmente, a 25[milhões de cópias.

Apesar de ter vendido com um único álbum solo mais do que os Jacksons haviam conseguido na carreira de 11 anos, Michael resolveu continuar com os irmãos, atendendo a pedidos da mãe.

Depois de lançar mais um disco com os Jacksons em setembro de 1980 e cumprir uma apertada agenda de divulgação que incluía especiais no rádio e uma seqüência de 39 espetáculos pelos Estados Unidos, Michael tinha pouco tempo para gravar o álbum que sucederia Off The Wall. Ainda assim, aceitou um convite do cineasta Steven Spielberg para narrar a história do filme E.T., O Extraterrestre (1982) em um disco que ainda incluiria a canção inédita "Someone In The Dark".

Jackson resolveu trabalhar nos dois projetos simultaneamente, o que gerou desconforto na Sony Music. O disco narrado por Michael seria distribuído pela MCA Records no mesmo mês em que a gravadora tinha agendado o lançamento de Thriller. A Sony Music entrou na Justiça e conseguiu cancelar o projeto. Enquanto isso, Jackson concluiu as gravações de Thriller. O álbum foi finalizado em seis meses e lançado em novembro de 1982, depois de vários adiamentos.

Thriller é atualmente o álbum mais vendido da história, com mais de 104 milhões de cópias vendidas no mundo. Nos dois anos que se seguiram ao lançamento, o álbum foi a maior sensação da América, influenciando não somente a música, como também a dança, a moda e a televisão. Thriller chegou à primeira posição entre os mais vendidos dos Estados Unidos no dia 21 de fevereiro de 1983 e permaneceu lá por 37 semanas, um recorde. Sete compactos foram lançados e dois conquistaram o primeiro lugar, "Billie Jean" e "Beat It".

Thriller foi também um marco na luta contra a discriminação racial na indústria fonográfica. Jackson tornou-se o primeiro artista negro cuja música estava no ar na MTV, com o videoclipe de "Billie Jean", dirigido por Steve Baron. A canção "Beat It", que tinha participação do guitarrista Eddie Van Halen, fez rádios de rock, na época orientadas a um público essencialmente branco, tocarem a canção de um negro; e fez rádios de black music tocarem rock. Um feito inédito até então.

Durante a divulgação de Thriller na noite de 16 de maio de 1983, 3 mil celebridades norte-americanas lotaram um teatro em Los Angeles para assistir a uma apresentação comemorativa dos 25 anos da gravadora Motown. De suas casas, 50 Milhões de norte-americanos acompanharam pela TV a apresentação dos vários artistas negros, até que os Irmãos Jacksons entram e dão um show a parte que encantou a todos, mas eles vão embora, até que Michael Jackson se viu sozinho no palco. Ele começou a cantar "Billie Jean" , sucesso do álbum que havia lançado seis meses antes. De repente, Michael parou de cantar, andou até o canto esquerdo do palco e voltou... deslizando de costas. A cena, que ficou gravada para a posteridade, é impressionante: são 3 mil queixos caídos. Naquela noite, mais do que mostrar pela primeira vez o passo que batizou como "Moonwalk" (algo como "andando na lua"), Michael Jackson foi dormir consagrado como nada menos que o Rei do Pop. "Foi aquele momento que cristalizou o status de celebridade de Michael Jackson", cravou a prestigiada revista americana Rolling Stone. "Moonwalk, no mundo do entretenimento, só é comparável ao andar de vagabundo de Chaplin, à sequência de Gene Kelly em Dançando na Chuva e aos passos de Fred Astaire no filme Núpcias Reais". Pois depois daquela apresentação, tanto Fred Astaire quanto Gene Kelly foram atrás de Jackson para parabenizá-lo. Foi quando o astro estreou o chapéu e jaqueta pretos e a famosa luva de lantejoulas. Em dezembro daquele ano, Michael e o diretor John Landis estabeleceram também novos horizontes para a produção de videoclipes, quando um curta-metragem de 14 minutos foi lançado para promover a canção "Thriller" ao custo de 600 mil dólares, elevado para os padrões da época.

Também em tempo para o Natal de 1983, um segundo dueto entre Jackson e Paul McCartney chegou às lojas. "Say Say Say" tornou-se o sexto número um de Jackson na América e o nono do ex-Beatle.

Em 27 de janeiro de 1984, Michael Jackson sofreu um acidente enquanto gravava o segundo comercial para a televisão do contrato de 5 milhões de dólares que havia assinado para ser garoto-propaganda da Pepsi. O cabelo do astro foi incendiado por fogos de artifício. Ele teve queimaduras de segundo grau no couro cabeludo. Michael foi liberado do hospital um dia depois da internação.

Em março de 1984, Jackson lançou em VHS o videoclipe de "Thriller" acompanhado por um documentário sobre os bastidores da produção. A fita, intitulada Making Michael Jackson's Thriller, vendeu 14 milhões de unidade e tornou-se a mais vendida de todos os tempos, até ser superada pela do filme Titanic, de James Cameron, em 1997. Em maio seguinte, Thriller entrou para o livro dos recordes e Michael ganhou uma estrela na Calçada da Fama, em Hollywood. Ao final de 1984, Jackson já havia conquistado 94 prêmios por Thriller. Na cerimônia do Grammy Awards daquele ano, o astro estabeleceu um novo recorde conquistando oito prêmios. A marca foi igualada pelo guitarrista mexicano Carlos Santana com o álbum Supernatural, em 2000.

2008: Thriller 25th

Em 11 de fevereiro de 2008, Jackson lançou Thriller 25th, uma edição do seu 25 º aniversário do lançamento do seu mais celebre álbum, Thriller. É composto por dois discos, um disco original que contém as nove faixas originais e as faixas remixadas, uma canção que não entrou para o album original, chamada "For all time", uma voz sobre Vincent Price, e será incluído em extradições.Will i.am, Fergie, Kanye West, e Akon, com lançamentos, a par do único álbum. O segundo disco é um DVD que contém tres vídeos: das canções: Thriller, Billie jean, beat it e Jackson's performance de "Billie Jean" a Motown 25. Internacionalmente, "The Girl is mine 2008" foi lançado como single na europa, enquanto nos Estados Unidos, "Wanna Be Startin 'Somethin' 2008" foi o primeiro single, ambos dos quais foram moderadamente bem sucedida.

Thriller 25 foi um sucesso comercial, depois de ter feito particularmente bem como uma nova emissão, atingindo um máximo de número um em oito países, a Europa e o Reino Unido . Ela chegou ao TOP #2 nos Estados Unidos, TOP #3 no Reino Unido, e TOP #10 em mais de trinta Paises. Thriller 25th passou três semanas em primeiro lugar na França, e duas semanas, em primeiro da Argentina, Bélgica, e no Reino Unido. Ela foi certificado ouro em 11 países. Na Polónia, o álbum foi certificado ouro, atingindo o número seis. Na França, Thriller 25th recebeu uma certificação ouro de dois tempos, e que mais tarde foi certificada platina na Polônia.

Nos Estados Unidos, Thriller 25th foi o segundo álbum mais vendido de sua semana de estreia, vendendo 166000 exemplares. Foi inelegivel para o Billboard 200 chart como um re-lançamento, mas entrou no Pop Catalog Gráficos no número um, onde permaneceu durante nove semanas consecutivas e não tinha as melhores vendas neste gráfico desde dezembro de 1996. Este foi o melhor lançamento Jackson desde invincible em 2001, com um valor estimado de 500000 exemplares e 1,8 milhões de cópias vendidas em 12 semanas.

Álbuns de Estúdio:

* Got To Be There (1971)
* Ben (1972)
* Music and Me (1973)
* Forever, Michael (1975)
* Off The Wall (1979)
* One Day in your Life (1981)
* Thriller (1982)
* Farewell my Summer Love (1984)
* Bad (1987)
* Dangerous (1991)
* Invincible (2001)

Coletâneas e Semi-Coletâneas:

* The Best Of (1975)
* Anthology (1995)
* HIStory: Past, Present and Future – Book I (1995)
* Blood On The Dance Floor (1997)
* The Millennium Collection (2000)
* Greatest Hits: History - Vol I (2001)
* Number Ones (2003)
* The Ultimate Collection (2004)
* The Essential (2005)
* Visionary: The Video Singles (2006)
* Thriller: 25th Aniversary Edition (2008)
* King Of Pop (2008)

Fonte: Wikipedia

Um comentário:

Anônimo disse...

Gostei muito dele mas foi pena por ele fazer tantas plasticas nao sei para que estava muito bonito se nao tivesse estragado o corpo....