terça-feira, 30 de setembro de 2008

´Enya anuncia novo álbum para novembro

A cantora irlandesa Enya anunciou hoje o lançamento de seu novo álbum, "And Winter Came", que coincide com o 20º aniversário de "Orinoco Flow", considerado o single de maior sucesso da música New Age.

"Orinoco Flow" fez com que Enya, nome artístico de Eithne Patricia Ní Bhraonáin, se tornasse mundialmente conhecida e disparou as vendas de seu segundo álbum solo, "Watermark", que alcançou o primeiro lugar das paradas britânicas em setembro de 1988 e vendeu 200 mil cópias em poucas semanas.

Com isso, a cantora irlandesa, que iniciou sua carreira artística no grupo Clannad, tornou-se um marco na música New Age, e alcançou o número de 70 milhões de discos vendidos.

Enya lançará seu sétimo álbum solo, "And Winter Came", no dia 11 de novembro, conforme anunciou sua gravadora hoje em comunicado.

Para este álbum, que contém 12 faixas, a cantora irlandesa contou com seus colaboradores freqüentes, o produtor Nicky Ryan e a compositora Roma Ryan.

Fonte: Agência EFE/Uol

Em filme, Patrícia Pillar lança olhar saudosista sobre Waldick Soriano

"Waldick - Sempre no Meu Coração" começa com o cantor Waldick Soriano na estrada, rumo a Caetité (BA), sua cidade natal, observando a paisagem, com uma bebida na mão, repassando sua trajetória.

E é um tom saudosista que percorre todo o documentário, dirigido pela atriz Patrícia Pillar, que o Canal Brasil exibe hoje à noite na TV.

Assistir ao filme após a morte do cantor, no último dia 4, reforça ainda mais essa característica, quase inevitável ao falar de um artista que já passou pelo auge de sua carreira e se aproximava do fim da vida.

Em Caetité, o cantor relembra a época em que trabalhou no campo e no garimpo e sua paixão por filmes de caubói --origem do hábito de usar sempre um chapéu, de lado.

Após uma série de shows pelo Nordeste, vamos a São Paulo, onde ele veio tentar a sorte como cantor, ainda jovem, antes de se tornar, com sua voz grave e suas letras simples, um dos maiores cantores e compositores da música brega no Brasil --ou romântica, como prefere.

A câmera registra ainda uma conversa mal resolvida entre pai e filho, o cantor falando de seus amores. Ainda no início do documentário, Waldick reclama: "O espírito do poeta se apega demais".

Waldick - Sempre no Meu Coração
Quando: hoje, às 22h
Onde: no Canal Brasil

Fonte: Uol/Folha

segunda-feira, 29 de setembro de 2008

Nando Reis dia 03 de Outubro em Conquista

Nove Mil Anjos lança primeira música na internet

Nove Mil Anjos, nova banda de Junior Lima, irmão da Sandy, está disponibilizando gratuitamente sua primeira música na internet. A faixa de estreia do projeto chama-se "Chuva Agora" e pode ser baixada no site oficial da banda.

Junior toca bateria no grupo que tem Champignon no baixo, Peu Sousa na guitarra e Perí nos vocais. Nove Mil Anjos fará sua estréia oficial no VMB no próximo dia 2 de outubro e seu primeiro álbum deve ficar pronto entre o final de 2008 e o início de 2009 com a produção do argentino Sebastian Krys.

Fonte: Igpop

Single do Coldplay traz mapa do Brasil na capa

O terceiro single de Viva la Vida or Death and All His Friends, último disco do Coldplay, será "Lost!" ("perdido", na tradução), coincidentemente também a terceira faixa do álbum. O curioso é que a banda escolheu para utilizar na capa um trecho do mapa do Brasil, o mesmo inserido no encarte de Viva La Vida, entre os estados do Mato Grosso e Mato Grosso do Sul.

O single terá, além da faixa-título, outras três músicas, apesar da banda ainda não ter divulgado quais. O lançamento está marcado para o dia 10 de novembro, exclusivamente em lojas digitais.

O grupo segue em turnê pela Europa e em outubro viaja para os Estados Unidos. Já em dezembro deve chegar às lojas o EP Prospekt's March, com faixas que ficaram de fora de Viva la Vida.

Fonte: Igpop

Novo CD do Guns 'n' Roses pode ser lançado até o final do ano

"Chinese Democracy", CD inédito do Guns 'n' Roses que teve seu lançamento adiado diversas vezes, pode finalmente chegar às lojas até o final deste ano.

Segundo o site da Billboard, o grupo liderado por Axl Rose estuda uma maneira de lançar o aguardado álbum. A publicação aponta que a banda estaria fechando acordo com uma cadeia de lojas norte-americana para um acordo de exclusividade.

O último lançamento inédito da banda foi ainda com a formação original em setembro 1991. Na época, o grupo lançou os CDs "Use Your Illusion I" e "Use Your Illusion II". Já em 1993, o grupo lançou "The Spaghetti Incident", uma compilação de covers.

Após o desmembramento da banda, Axl recrutou novos músicos e promete o lançamento do novo álbum desde a metade da década de 90.

Fonte: Terra

Paul McCartney vai lançar disco de música eletrônica em novembro

Ex-Beatle gravou 'Electric arguments' sob a alcunha de The Fireman.
Músico trabalhou em parceria com o produtor Youth.

Paul McCartney vai lançar um disco de música eletrônica sob o pseudônimo de The Fireman. “Electric arguments”, o terceiro trabalho do ex-Beatle com o produtor Youth, sai em novembro e deve misturar diversos estilos, segundo reportagem da BBC.

A dupla tentou manter sigilo sobre sua verdadeira identidade quando seu primeiro disco foi lançado, em 1993, mas a informação acabou vazando e foi divulgada na imprensa.

Em 1998, Sir Paul e Youth lançaram “Rushes”.

Uma das faixas do novo álbum será disponibilizada para download aos adeptos da campanha “Adopt-A-Minefield”.

Este será o primeiro disco de McCartney desde o lançamento de “Memory almost full”, do ano passado.

O álbum chegou ao terceiro lugar nas paradas americanas e vendeu cerca um milhão e meio de cópias no mundo todo até agora.

Fonte: G1

domingo, 28 de setembro de 2008

Skol Beats reúne 15 mil em São Paulo

De Justice a Gui Boratto, festival teve 14 horas de música eletrônica.
Nona edição do evento terminou às 8h deste domingo (28).

A dupla paulistana Killer on the Dancefloor foi a primeira atração a se apresentar no Skol Beats, pouco depois das 19h de sábado (27) no Sambódromo do Anhembi, em São Paulo. Misturando trechos de músicas da Madonna e outras faixas dançantes, o grupo aqueceu uma parte do público que optou por chegar cedo ao festival, que reuniu 15 mil pessoas das 18h às 8h de domingo (28), segundo a organização.

Desta vez, a produção acertou ao reduzir as dimensões do evento, o que resultou em pouquíssimas filas nos bares e banheiros limpos até o final. Ponto positivo também para a equipe de limpeza, que contribuiu para o conforto nas pistas. Que tudo isso sirva de exemplo para as próximas edições.

Nem a garoa fina que insistia em cair no início desanimou os fãs de música eletrônica, que enfrentaram uma verdadeira maratona. Enquanto nas duas tendas tocavam a dupla Flow & Zeo e o DJ Mario Fischetti, no palco principal os cearenses do Montage animaram com uma apresentação performática movida a electro-rock.

Atração mais esperada desta esdição do Skol Beats, a dupla francesa Justice correspondeu às expectativas de quem esperava as batidas quebradas do duo. Gaspard Augé e Xavier de Rosnay chegaram precedidos pela cruz iluminada no centro do palco e mandaram no começo a peso-pesado “Waters of Nazareth”.

Ao lado dos franceses, chamavam atenção 19 amplificadores Marshall, ícones rock ‘n roll. Curiosamente, as caixas faziam só figuração, já que não estavam ligadas de fato. Um dos pontos altos foi quando o Justice tocou “D.A.N.C.E.”, seu maior sucesso, com um coral infantil e um piano sozinhos fazendo uma longa introdução, até que finalmente entrasse a quebradeira.

Digitalism supera problemas técnicos e não decepciona

O que não faltou foi gente gritando “sobe o som!” no início da apresentação do duo alemão de electro Digitalism. O volume no palco principal estava baixo e prejudicou a performance dos DJs Jens Moelle e Ismail Tüfekçi.

O problema foi resolvido quase 20 minutos depois, felizmente no momento em que a dupla tocava uma de suas melhores faixas: “Digitalism in Cairo”. E assim os fãs puderam dançar como mereciam.

Músicas como “Pogo” - que já ganhou um remix dos brasileiros do Cansei de Ser Sexy -, “I want, I want” e “Idealistic” foram as que mais empolgaram o público, graças aos vocais animados dos DJS, que não se cansavam de gritar “São Paulo” e “Brasil”.

Brasileiros mandam bem

O brasileiro Renato Cohen, que se apresentou em uma tenda menor, fez um dos melhores sets do festival. Cohen tocou faixas de seu novo disco, “Sixteen billion drumkids”, e fez a turma dançar em ritmo frenético com sua “lenha” – gíria usada para definir a vertente mais pesada do tecno.

Um dos melhores momentos foi quando o DJ tocou “Pontapé”, seu hit mais famoso, que já percorreu as pistas dos clubes mundo afora e ganhou até um remix de Carl Cox.

Na reta final, boas surpresas

O holândes Armin Van Buuren – considerado o número 1 do mundo – mostrou sua mistura de trance e tecno no palco principal e foi ovacionado pelos fãs, que gritavam o nome do DJ, batiam palmas e davam abracinhos entre si.

O set durou cerca de 2h30 - o que é pouco, levando em conta que o DJ já chegou a se apresentar por 12 horas seguidas em raves mundo afora.

A surpresa veio no final do set: o DJ misturou suas batidas tranceiras com o clássico “Smells like teen spirit”, do Nirvana, para delírio dos que tinham conseguido chegar até aquele ponto da maratona musical.

Ao som de “Beautiful Life”, faixa do disco "Chromofobia", o DJ brasileiro Gui Boratto encerrou a 9ª edição do Skol Beats. Acompanhado de uma banda, ele fez um set bem diferente de seu elogiado álbum.

No lugar das batidas minimalistas, Boratto optou por um show com uma levada mais roqueira - solução esperta para manter o público animado mesmo com a chuva.

Por: Dolores Orosco, Lígia Nogueira e Shin Oliva Suzuki
Do G1, em São Paulo

sábado, 27 de setembro de 2008

Festival de Musica da Bahia: Contágio Musical

Boa música e interpretações surpreendentes agitam o público e os participantes no segundo dia de Festival

Uma noite marcada pela energia contagiante do público. Se o verso diz que “o artista vai onde o povo está” o segundo dia do Festival de Música da Bahia comprova esta máxima. Cantores, compositores e intérpretes mostraram seus trabalhos num encontro divertido e diversificado.

A noite desta sexta-feira, 26, teve três representantes de Vitória da Conquista. O Grupo Brincando de Cordas apresentou o chorinho “Sonhando Acordado”, Mariana Macedo e Edílson Dhio cantaram e encantaram com “Florespinho” e Paulo Macedo interpretou “Mundaréu”. Valter Dias de Belo Horizonte (MG) com “Meu Jardim Brasileiro” cantou o Brasil e sua diversidade. Danny Rocha intérprete de Salvador (BA), prestou uma homenagem a Dorival Caymmi, com “Como Dizia Caymmi” e Dimi Zumquê de Ribeirão Preto (SP) mostrou gingado musical interpretando “O Capoeira”.

Evidenciando a diversidade que é um festival, os candidatos surpreenderam a platéia com suas músicas. Arranjos, notas e melodias compuseram um clima de disputa tão harmônico quanto às canções apresentadas. Mais uma vez o Festival de Música da Bahia caprichou na escolha dos candidatos que concorrem no evento. O participante de Cuiabá (MT) Paulo Monarco comentou: “o festival de Vitória da conquista é um dos grandes eventos, dos circuitos de festivais de música, pela estrutura, pela atenção dada aos artistas e pelo público caloroso. É sempre muito prazeroso estar aqui.”

O grande destaque deste segundo dia de eliminatórias foram os gaúchos do Grupo Voz que surpreenderam a platéia com técnica vocal e habilidade instrumental. O trio foi aplaudido de pé pelo público, ao final da apresentação. Para encerrar a noite Xangai fez um show memorável para o grande público que superlotou o Centro de Cultura Camilo de Jesus Lima. Hoje, o show de encerramento ficará por conta de Ivânia Catarina e Carlos Gomes, que já participaram do FMB e saíram vencedores.

Às 20 horas, o Grupo Voz (SP), Zebeto Correia (MG), Eduardo Santhana (SP), Vytória Rudan (RJ) Paulo Monarco (MG), Enrico Di Miceli e Patrícia Bastos (AP), e mais os seis candidatos selecionados na quinta-feira, irão se reencontrar para esquentar o clima no Centro de Cultura, na finalíssima do festival.

Todos estão convidados, e, que vença o melhor!

Bono ilustra livro infantil "Pedro e o Lobo"



Está prevista para chegar às livrarias brasileiras na última semana de outubro uma edição de luxo, com capa dura, do livro infantil "Pedro e o Lobo" (Conrad Editora). A obra tem ilustrações de Bono, o vocalista da banda U2.

A tiragem será de seis mil exemplares e o preço deverá ficar em torno de R$ 50, informou a editora.

Para criar as ilustrações do livro baseado na ópera do compositor russo Sergei Prokofiev, Bono contou com ajuda de suas filhas, Eve e Jordan.

A colaboração do artista foi feita em prol da "Irish Hospice Foundation", uma organização sem fins lucrativos que se dedica ao desenvolvimento do tratamento de pacientes terminais.

O livro conta a história de Pedro, um garoto que vive com seu avô em uma casa com um lago no jardim, ao lado de uma floresta. Nela, vivem animais como o passarinho, a gata, o pato e o lobo.

Fonte: Folha Online

Vida de Raul Seixas vai virar documentário em 2009

A vida de Raul Seixas vai virar documentário. Produzido por Alain Fresnot, de Família Vende Tudo , e seu sócio no projeto, Denis Feijão, o filme batizado O Início, O Fim e o Meio tem previsão para ser lançado no segundo semestre de 2009.

A distribuição deverá ficar a cargo da empresa Paramount. O valor total da produção, aprovado pela Ancine para ser captado, é de R$ 2,5 milhões. Até o momento, já foram captados cerca de R$ 1 milhão.

“Queremos que ele fique pronto em agosto, quando completará 20 anos da morte do cantor”, diz Feijão. Walter Carvalho, que fez a fotografia de filmes como Chega de Saudade e Carandiru, foi chamado para a direção. Ele se diz empolgado com o projeto. “É um convite irrecusável. Precisamos apenas coordenar a minha agenda com a de Fresnot. No final do ano, termino a montagem de Budapeste (filme baseado no livro homônimo de Chico Buarque) e, depois, começo a pensar no Raul”, diz. Paulo Coelho foi chamado para fazer a narração, mas o escritor ainda não bateu o martelo.

O documentário trará cenas raras de Raul em ação. Uma delas mostra o momento em que o cantor volta aos palcos depois de três anos sem fazer shows. Seu retorno, segundo Feijão, teria sido em Salvador, na Bahia, e contou com a participação do amigo e parceiro de composições Paulo Coelho cantando Sociedade Alternativa. O registro completo dessa histórica apresentação, feita de forma amadora pelo cantor Marcelo Nova, foi restaurado para o documentário. Um trecho de 1,5 minuto desta apresentação já está no YouTube.

O documentário não terá atores nem cenas recriadas. Exceto por uma dramatização para reconstruir o período de Raul, na Bahia, quando cantava junto com o grupo Os Panteras. Parte das imagens virão dos arquivos das TVs e muito dos materiais inéditos virão do famoso ‘baú do Raul’, objeto no qual o músico guardava boa parte de seus pertences, cadernos de escola, discos que ouvia e anotações. Atualmente, o baú está em poder de sua ex-esposa, Kika Seixas. Raul teria dito a ela para somente abri-lo após a sua morte. Parte desse material foi publicado em 2005 no livro O Baú do Raul Revirado (Ediouro), organizado pelo jornalista Silvio Essinger.

Fonte: Igpop

Novo álbum de Bob Dylan poderá ser baixado de graça

O novo álbum de Bob Dylan poderá ser baixado gratuitamente na internet uma semana antes de seu lançamento oficial.

A página na internet da Rádio Pública Nacional dos Estados Unidos liberará aos internautas as faixas do CD duplo "Tell Tale Signs" à 1h01 da madrugada da próxima quarta-feira.

Os interessados poderão baixar as faixas no site NPR Music até 7 de outubro, quando "Tell Tale Signs", oitavo de uma série de álbuns com gravações raras e ao vivo de Bob Dylan, chegará às lojas. As páginas na internet são www.npr.org/music e www.bobdylan.com.

Fonte: Igpop

Zeca Pagodinho põe política em novo CD

Notoriamente avesso às questões políticas, até em época de eleições municipais, Zeca Pagodinho não deixou o assunto de fora de seu 19º CD, "Uma prova de amor". A seu modo, o cantor aborda as mazelas sociais (e institucionais) brasileiras na música Eta povo pra lutar, de Brasil, Badá, Magaça e Bernine.

"Não é uma obrigação, mas a gente tem a responsabilidade de passar uma mensagem. Não consigo ver criança passando fome, família morando na rua", diz o sambista. "Eu vou lá, dou um alô, uma ajuda, um brinquedo. Tem que fazer alguma coisa, já que quem tem que fazer não faz", explica.

'Trio Calafrio' de volta

No álbum, Pagodinho, tradicionalmente um grande lançador de sambistas, insere um novo compositor (Fred Camacho, que divide Pra ninguém mais chorar com Almir Guineto e Dudu Nobre). Mas não deixa de lado antigos colaboradores, como Monarco, Mauro Diniz (autores de Não há mais jeito), Nelson Rufino, Toninho Geraes (compositores da faixa-título, primeiro single do disco), além do próprio Guineto.

"Mas, desse pessoal das antigas, quem me dá mais trabalho é o Trio Calafrio (grupo de compositores formado por Marcos Diniz, Barbeirinho do Jacarezinho e Luiz Grande, que comparece com Sincopado ensaboado). Eles mandam 10 músicas e eu tenho que escolher, às vezes, uma. E são todas ótimas. É um sofrimento", lamenta.

O disco recupera também sambas antigos da Portela como Falsas juras (Candeia e Casquinha), Pecadora (Jair do Cavaquinho e Joãozinho da Pecadora) e Manhã brasileira (Manacéia), gravados com a participação do coral da velha guarda da escola. E um tema de Jamelão ( Esta melodia,) que morreu em 14 de junho, em parceria com Babu.

"Conheço esse samba desde criança. Sempre quis gravá-lo, mas esquecia. Queria muito que o Jamelão tivesse ouvido minha gravação. Ele morreu uma semana depois de eu ter decidido colocar a música no CD. Espero que ele esteja gostando, lá nas alturas", reverencia.

Produtor do sambista há 14 anos, Rildo Hora destaca que ele e Pagodinho aprenderam bastante com o último CD do cantor, "Acústico MTV 2 ¿ Gafieira", de 2006.

"Mantivemos até o quinteto de saxofones do álbum. Ficou um som bem anos 50", diz o produtor, que tece comparações até com o Buena Vista Social Club, que trouxe de volta o som de antigos compositores cubanos.

"Assim como acontece com eles, é o tipo de som que acaba parecendo novo porque, mesmo sendo bem antigo, não era mais feito em larga escala. Quem ouvir o disco com calma vai perceber isso e vai adorar".

Presente de Jorge

O álbum também abre espaço a Jorge Ben Jor, fazendo uma oração a São Jorge em Ogum, e João Donato, que participa, em voz e piano, da releitura de Sambou... sambou, de sua autoria com João Mello.

"O Jorge foi uma idéia do (produtor) Max Pierre, que trabalhou comigo no disco. Foi um presente. Já o conhecia pessoalmente, mas nunca tinha parado para falar com ele direito. Já Donato foi uma coincidência. Ele estava gravando essa música no estúdio ao lado do meu e me convidou: 'Não quer cantar aí, não?'. E a música vai sair no disco dele também", diz o cantor, que comparece só com duas músicas de sua autoria no álbum, em parceria com Arlindo Cruz, Se eu pedir pra você cantar e Sempre atrapalhado.

"Já quis fazer um disco só com meus sambas, mas acabo deixando para lá porque muita gente manda música. Mas tenho um monte guardado". O recente sucesso solo do amigo Arlindo, por sinal, faz com que Pagodinho se anime mais ainda. Cruz, que está nas rádios com Madureira, freqüenta a lista de compositores dos discos do sambista desde o começo das carreiras de ambos.

"Rapaz, você não sabe o quanto eu lutei por isso. Fico muito contente de ver o sucesso dele, do Dudu Nobre. Sem falar no Almir Guineto, que também está sempre nos meus discos", diz Pagodinho, que, apesar da fama, não deixou de ir aonde o samba está. "Conheço muito bem a linguagem do povo, por isso ando tranqüilamente pelo mundo. Vou à Lapa, freqüento minhas comunidades. E vejo sempre muita gente nova, além de gente que já é antiga para mim, mas que pode ser nova para o público", explica.

Fonte: JB Online/Terra

Ex-Smiths se reúnem para lançar CD com raridades

Morrissey e Johnny Marr, ex-integrantes dos Smiths, se reuniram para lançar uma compilação com diversas faixas raras do grupo inglês.

O título, "The Sound of The Smiths", foi dado pelo vocalista Morrissey, enquanto o guitarrista Marr supervisionou a masterização do disco, que tem previsão de lançamento para novembro.

O álbum terá a opção de ser comprado de no formato simples, com 23 músicas, ou no duplo, com mais 22 faixas. A compilação conta com canções que foram ou seriam singles do grupo, mas não foram lançadas.

Além dos CDs, o álbum poderá ser adquirido em formato digital.

Fonte: Terra

Michael Jackson vira boneco de luxo

A Hot Toys anunciou nesta quinta-feira o lançamento de um boneco de luxo de Michael Jackson. A peça terá trinta centímetros, virá com microfone e um display para acomodar o boneco.

A réplica faz parte da linha M Icon, dedicada apenas para figuras pop, como Marlon Brando e James Dean. O figurino escolhido para a estátua de Michael Jackson é baseada na History Tour, que o cantor fez entre os anos de 1996 a 1997.

O boneco de Michael Jackson será lançada nos EUA em dezembro, podendo ser encontrada em lojas brasileiras especializadas em brinquedos a partir de então.

Fonte: Terra

sexta-feira, 26 de setembro de 2008

Festival de Musica da Bahia : Primeira noite é marcada por grandes interpretações


Conversar, passar a música, ficar ao lado da família. Valeu qualquer técnica para se livrar da ansiedade da estréia. Antes de subir ao palco algumas orientações da coordenação. Depois, foi hora de afinar os instrumentos e aquecer a voz para começar a encantar o público que foi conferir a primeira noite de eliminatórias da VI Edição Nacional do Festival de Música da Bahia, nesta quinta-feira, 25.

As apresentações tiveram início com o baiano de Ubaíra, Gilton Della Cella, com a canção, que narrava a história de um “Viajante Sonhador”. Em seguida, foi a vez de Geci Brito, interpretando “Ana Arranha Céu”, emocionar a platéia. A “Batida” da guitarra de Ito Moreno, terceiro a se apresentar, entusiasmou as pessoas.

A seguir, Maviael Melo trouxe, com a música “Pergunte a você”, a leveza dos acordes de um violino, e, com ela um desejo. “Quer saber o que eu quero? Pergunte ao luar. Eu quero ter a sinceridade de uma criança”. Bilora, ao lado de Cláudia Lima, relevou os traços da cultura regional com a canção “Guaiana”.

Mudando totalmente o estilo, Marinho San trouxe o sambalanço, o samba bom “Efeito Estufa” para animar o público, e Papalo Monteiro, o som da sanfona ao interpretar “Tô de bem, tô de mal”. Com o ritmo característico da MPB, Renato Rivas cantou “Faz de Conta”, e abriu espaço para Hélio Braz, que defendeu “Pindoráfrica".

As três últimas apresentações fizeram o público conhecer a voz e a interpretação ímpar de Mongol, com a composição "Saudade de você", a "Manhã Serena" de Diorgem Júnior e o ritmo da batida afro dos meninos da Banda Afrogroove, com suas "Inspirações Quilombolas".

Diante de tanta qualidade, a equipe de jurados composta por músicos e compositores, teve a díficil missão de escolher apenas seis candidatos. Foram eles: Mongol, Ito Moreno, Papalo Monteiro, Bilora, Marinho San e Geci Brito.

De acordo com Papalo Monteiro, o festival é um misto de ansiedade e alegria, pois "vivemos a expectativa de ser um dos 24 escolhidos, e, depois a felicidade de poder estar entre os finalistas da competição". Encerrando a noite, o show que fez o público, ao final aplaudir de pé. Toninho Horta, cantando grandes sucessos da sua carreira e com participações especiais da cantora Carla Villar e do violinista Rudi Berger, maravilhou o público.

Hoje, tem mais. Outros 12 semifinalistas, às 20h sobem ao palco do Centro de Cultura Camillo de Jesus Lima para defender as suas composições. São eles: o grupo Brincando de Cordas, com "Sonhando Acordado"; Danny Rocha, com "Como dizia Caymi"; Gustavo Dall'Aqua, com "Girou, Febril"; Dimi Zumquê, com "O Capoeira"; Paulo Macedo, com "Mandaréu; Zebeto Corrêa, com "Amores - A Canção"; Eduardo Santhana, com "Milagreiro"; Edílson Dhio, com "Florespinho"; Vytória Rudan, com "Como Dolores Duran"; Paulo Monarco, com "Malabares com Farinha"; Enrico Di Miceli, com "A beleza da arte que emana"; e Walter Dias, com "Meu Jardim Brasileiro". O show de encerramento desta noite, fica por conta de Xangai e tem início a partir das 22 horas.

O Festival de Música da Bahia é uma iniciativa do Movimento Artístico e Cultural de Vitória da Conquista (MAC), em parceria com a Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (Uesb) e com a Prefeitura Municipal de Vitória da Conquista. O patrocínio é da Petrobras.

Novo CD do Skank tem parcerias com Nando Reis

Nas lojas a partir de quarta-feira, o oitavo álbum do Skank, "Estandarte", apresenta quatro novas parcerias de seu vocalista e guitarrista Samuel Rosa com Nando Reis.

Renascença, Pára-Raio, Sutilmente e Ainda Gosto Dela - faixa eleita para puxar o CD, com Negra Li nos vocais - são as quatro colaborações de Nando no repertório inédito, que também inclui parcerias de Samuel com Chico Amaral e com César Maurício.

Entre as músicas, há Noites de um Verão Qualquer.Com produção de Dudu Marote e capa pop surrealista assinada pelo artista plástico Rafael Silveira, "Estandarte" foi mixado e masterizado nos Estados Unidos.

Por Mauro Ferreira/Terra

Novo single de Britney Spears é lançado nos EUA

Womanizer, novo single de Britney Spears que teve seu lançamento adiado para "retoques", estreou nas rádios norte-americanas nesta sexta-feira.

A música, que estará em seu próximo álbum, tem a batida forte e sua base recheada de sintetizadores que lembram sirenes.

Detalhes sobre o clipe do single também já foram divulgados. No vídeo, Britney dirige carros por bairros simples de Los Angeles usando uma peruca preta.

"Circus", o novo CD, tem a previsão de lançamento para o dia 2 de dezembro, exatamente na data de aniversário da cantora.

Fonte: Terra

McCartney é recebido por 50 mil pessoas no primeiro show em Tel Aviv

O músico britânico Paul McCartney foi recebido em Israel como um verdadeiro messias por cerca de 50 mil pessoas em sua primeira apresentação no país no show de hoje em Tel Aviv.

O ex-Beatle abriu o show com a lendária "Hello Goodbye", que, desde o primeiro momento, levantou o público, formado por várias gerações e que acompanhou cada movimento do artista.

Em 1965, o Governo israelense não permitiu que o quarteto de Liverpool se apresentasse no país, por considerar que poderia corromper a juventude, ato do qual se desculpou no início deste ano por meio de sua Embaixada em Londres.

Israel apresentou uma desculpa formal por sua atitude aos dois ex-Beatles vivos, McCartney e Ringo Starr, e às famílias dos já falecidos John Lennon e George Harrison.

A visita de McCartney ao Estado judeu não esteve livre de polêmica, pois grupos palestinos consideram que ela legitima a política de ocupação. Um líder islâmico havia feito advertências de que ele poderia se expor a um ataque por atuar nas celebrações do 60º aniversário de Israel.

"As críticas fizeram crescer a expectativa em torno deste concerto", disse um espectador.

Duas enormes colunas projetavam imagens dos Beatles junto ao palco, em um tributo ao grupo, talvez em memória dos outros integrantes da banda que já não poderão tocar no Estado judeu.

McCartney interpretou ainda canções como "Let it be", "All my loving", "Lady Madonna", "Drive my car" ou um magnífico solo de "Yesterday".

Or Celkovnik, diretor de programação da emissora musical israelense "Galgalatz", definiu McCartney como "a base de fundação da música que conhecemos hoje em dia".

Ele disse que a produção e a postura do artista no palco lembram momentos nos quais Israel costumava estar nos circuitos das grandes estrelas do pop e rock, como nos anos 90.

A capa de hoje no jornal "Ha'aretz" apresentava McCartney em seu hotel de Tel Aviv rodeado de atenções e dizendo "All you need is love" (Tudo do que vocês precisam é amor), possivelmente um dos melhores desejos para a conflituosa região.

Fonte: Agência EFE/Uol

Selos independentes protestam contra exclusão no MySpace Music

A agência Merlin, que reúne selos independentes, reclamou por ter sido excluída do lançamento do site MySpace Music, que vai oferecer milhões de canções para serem ouvidas gratuitamente e baixadas por uma taxa.

O serviço é uma parceria do MySpace (que pertence à News Corp.) com quatro grandes empresas: Universal, Sony BMG, Warner e EMI. Centenas de selos independentes --representando artistas como Franz Ferdinand, Tom Waits, Arctic Monkeys e Bjork-- ficaram de fora.

Cada uma das quatro grandes gravadoras tem uma pequena participação societária proporcional à sua participação no mercado fonográfico dos EUA. O faturamento, inicialmente de publicidade, será dividido entre os selos e os artistas.

A agência Merlin, que representa gravadoras independentes do mundo todo, como Koch, Beggars Group, Tommy Boy e Domino, disse achar "frustrante" que o MySpace Music tenha começado a funcionar sem um acordo com as "pequenas".

Juntas, as gravadoras representadas pela Merlin têm 9% do mercado norte-americano, o que a colocaria em condições de igualdade com a EMI, a menor das quatro grandes.

Em nota, o MySpace disse que a Merlin tem oportunidade para um acordo. "Oferecemos à Merlin um relacionamento que oferece para os selos e artistas oportunidades iguais às oferecidas para todos os rótulos e artistas", disse a empresa.

O MySpace chegou a um acordo com a distribuidora independente de música digital The Orchard, que controla 1,3 milhão de faixas. Mas a Orchard não virou sócia do empreendimento.

Fonte: Reuters/Folha

iPhone passa a ser vendido hoje no Brasil

O iPhone 3G, telefone celular da Apple, começa a ser vendido hoje no Brasil pelas operadoras Claro e Vivo. A Claro coloca dois modelos no mercado com preços que variam entre R$ 1.000 e R$ 2.599. Já a Vivo oferece os mesmos aparelhos por preços a partir de R$ 899, até R$ 2.199. A expectativa de ambas as operadoras é que a procura pelo produto seja grande nos próximos dias.

Com a reunião das funções de iPod, câmera digital e acesso à internet, o iPhone é um sucesso de vendas mundial. Em ambas as operadoras brasileiras, o custo do aparelho é maior que nos Estados Unidos, de US$ 199 a US$ 299 (R$ 360 a R$ 540). Claro e Vivo alegam que a diferença de preços em comparação com o exterior é resultado dos impostos de importação do celular, de cerca de 44%.

"É basicamente o mesmo preço dos EUA mais impostos cobrados no Brasil", disse o presidente da Claro, João Cox. Para driblar o preço maior que o do exterior e que o do concorrente no mercado interno, Cox aposta no aumento do prazo de pagamento. Uma parceria da Claro com a American Express permitirá que os clientes comprem o iPhone em até 24 vezes no cartão de crédito -a partir de R$ 41,67 mensais.

Já a Vivo aposta nos preços mais baixos e na fidelização dos clientes para superar a concorrência na venda de iPhones, afirma o diretor regional da Vivo, Carlos Cipriano. Segundo ele, os clientes poderão utilizar o sistema de pontos da Vivo para comprar o iPhone. "Com os pontos, o preço pode cair para R$ 600. E há até uma parcela de clientes com muitos pontos acumulados que poderá retirar o aparelho de graça."

Com 30 mil aparelhos à venda no primeiro lote, a Claro já espera que o estoque se esgote em "questão de dias". Segundo o presidente da empresa, a maioria dos aparelhos será vendida pelo sistema de televendas a clientes que se cadastraram no site da empresa para receber informações sobre o iPhone a partir de 11 de junho. Ele não quis divulgar o total de interessados, mas informou que apenas na primeira semana cerca de 100 mil pessoas se cadastraram. No entanto, os clientes não cadastrados poderão adquirir o aparelho em 25 lojas próprias da Claro até que o estoque acabe.

Já a Vivo encomendou um primeiro lote de 200 mil aparelhos da Apple, que receberá de forma parcelada. Apenas os clientes da operadora que se cadastrarem no site poderão comprar o produto. Cipriano não informou o número de cadastros até o momento, mas disse que são "algumas dezenas de milhares".

O diretor da Vivo espera que o volume seja suficiente para atender a demanda neste ano, inclusive as vendas de Natal. No entanto, ressalta que a Vivo pode fazer novos pedidos para o período se perceber que a quantidade não é suficiente.

iPhone importado

Mesmo antes do início das vendas do iPhone no país, o uso do aparelho já pode ser medido. Segundo dados da consultoria Predicta, mais da metade dos acessos à internet via celular foi realizado por iPhones em agosto --196 mil de 385 mil.

A Claro e a Vivo informaram que os clientes que já possuem iPhone poderão aderir aos seus planos. Mesmo com a carta-branca das operadoras brasileiras e com os preços mais baixos no exterior, o analista de Telecom da IDC Brasil, Vinícius Caetano, disse que os usuários devem ter cuidado para comprar o iPhone fora do país. "Antes você comprava na loja [no exterior] e ativava em casa. Agora você compra por US$ 199, mas tem que pagar uma multa de US$ 200 para se livrar do contrato de fidelidade."

Para ele, a venda do iPhone no Brasil deve aumentar ainda mais o uso da banda larga móvel. "A grande inovação do produto foi trazer os "smartphones" [celulares com acesso a internet] do usuário corporativo para o pessoal."

Por Marina Gazzoni/Folha

quinta-feira, 25 de setembro de 2008

Ivete Sangalo vai lançar um disco infantil em outubro

Intitulado 'A casa amarela', álbum terá músicas como o 'Funk do xixi'.
A apresentadora Xuxa faz uma participação especial na faixa 'Sono'.

Ivete Sangalo vai lançar um disco infantil em outubro - a idéia é pegar carona no dia das crianças. O novo trabalho, composto só com faixas inéditas, vai se chamar “A casa amarela” e terá músicas como o “Funk do xixi”.

O álbum foi todo composto e gravado pela cantora baiana em parceria com Saulo Fernandes. A apresentadora Xuxa faz uma participação especial na faixa “Sono”.

Segundo a gravadora Universal, a artista vem trabalhando no disco há um ano.

Um projeto de duetos também está nos planos da moça para o ano que vem. Ivete quer lançar um CD e um DVD com participação de Carlinhos Brown, Lulu Santos, Maria Bethânia e Vanessa da Mata gravado no estúdio construído em seu apartamento em Salvador.

O ano que vem, aliás, promete ser de muito trabalho para a musa baiana. Entre os compromissos da cantora, está a gravação de um DVD no Madison Square Garden, em Nova York, em setembro, durante o Brazilian Day 2009. O roqueiro Lenny Kravitz está entre os convidados.

Fonte: G1

Biografia de Amy Winehouse chega às lojas do Brasil

Chega às lojas do Brasil "Amy Winehouse - Biografia", de Chas Newkey-Burden. Histórias para preencher as páginas não faltam se for contar a quantidade voraz de escândalos da cantora, envolvendo bebedeira, overdoses de drogas, shows interrompidos, brigas e tentativas de reconciliação ruidosas com o marido Blake Fielder-Civil.

Em grande parte é disso que trata o livro (Editora Globo, 208 páginas, R$ 19,90), com tradução de Helena Londres. Acontece que, como na mídia, o imenso talento artístico de Amy como cantora e compositora – sem dúvida a figura feminina mais importante da música pop desta década – acaba perdendo no livro para a lavação de roupa suja, pela torrencial quantidade de confusões em que ela se mete.

De imediato, com tão pouco tempo de (fulminante) carreira artística, não poderia ser muito diferente, já que, como qualquer fã sabe, vida e obra de Amy se confundem. Seja nos dois álbuns – "Frank" (2003) e "Back to Black" (2006) – ou em canções avulsas, tudo o que ela canta com contundência foi bem vivido.

O autor entrevistou o pai e a mãe da cantora, alguns jornalistas, pessoas do show biz e outras ligadas a ela, mas a biografia em grande parte reproduz notícias dos tablóides, compila frases de reportagens de jornais mais sérios, enumera suas premiações e conta como armou o estiloso cabelão. Para quem gosta de fofoca das mais venenosas, há farto material pontuando a agonia das overdoses de Amy e o sofrimento pela separação do marido.

Entre as melhores partes há uma que detalha com bons comentários faixa por faixa os dois álbuns da cantora. Outros trechos interessantes em que a música é o centro da questão, fala-se de suas influências do jazz, dos shows bem-sucedidos, da conquista da América e as críticas favoráveis a suas atuações no palco e em gravações.

Um dos entrevistados que saem em sua defesa é a jornalista britânica Julie Burchill, que a compara a Edith Piaf (1915-1963), Judy Garland (1922-1969) e Billie Holiday (1915-1959), mulheres históricas, divindades da canção planetária, com "grande talento para cantar" e "também uma grande capacidade para adotar um comportamento temerário".

Bom motivo para se preocupar com sua possível vinda ao Rio para o réveillon (deve ser uma festa fechada para 4 mil pessoas no Forte de Copacabana), seguida de pequena turnê que deve passar por São Paulo.

Fonte: Igpop/Agência Estado

MySpace desafia iTunes e lança plataforma de música

O conglomerado NewsCorp. lançou nesta quinta-feira (25) o MySpace Music, um rival para a loja de músicas da Apple, o iTunes. A plataforma nasce a partir de acordos com as quatro principais gravadoras do mundo: Sony BMG, Universal, Warner e EMI.

O sistema permite aos internautas dos EUA ouvirem as músicas das principais gravadoras gratuitamente via "streaming". Caso queiram baixá-las, no entanto, os usuários do MySpace terão que pagar. A loja virtual será alimentada pela Amazon MP3.

O MySpace Music também assinou acordos de licenciamento com The Orchard, uma distribuidora de música independente produzida por centenas de pequenas gravadoras.

Todas as faixas estarão livres do sistema de proteção anticópia (DRM), de acordo com a empresa.

O novo site promete funcionar como central on-line para venda de material das bandas, como ingressos de shows. Conforme a assessoria de imprensa do MySpace no Brasil, o sistema deve começar a funcionar no país apenas em 2009.

Fonte: Uol

quarta-feira, 24 de setembro de 2008

Police e Beyoncé encabeçam lista dos músicos mais ricos do ano

O trio The Police encabeçou a lista dos músicos mais ricos do último ano segundo a revista Forbes. A banda ficou no topo graças à sua turnê de reunião que faturou mais de cem milhões de dólares entre junho de 2007 e junho de 2008, período analisado pela publicação.

A cantora Beyoncé ficou em segundo lugar com a soma de 80 milhões. Segundo a revista, sua principal fonte de rende teria sido o mercado publicitário; a cantora é o rosto de marcas como L'Oréal e Armari.

Justin Timberlake ficou em quanto lugar na lista da Forbes com 48 milhões e Madonna contentou-se com um quinto lugar com apenas 40 milhões.

Fonte: Igpop

Pussycat Dolls libera novo álbum para audição na internet

'Doll domination', novo trabalho das californianas, está no MySpace.
Grupo fez show de lançamento em Los Angeles na terça-feira (23).

Fãs de todo o mundo já podem ouvir as 16 músicas do segundo álbum das Pussycat Dolls pela internet. Todo o conteúdo de Doll domination está liberado na página do grupo no Myspace, mas não é possível fazer download das faixas.

O novo trabalho, que chega às lojas dos Estados Unidos nesta terça-feira (23), conta com a participação da rapper Missy Elliott (em "Watcha think about that") e traz cada uma das cinco meninas em interpretações solo.

Nicole, Kimberly, Ashley, Jessica e Melody se tornaram famosas em 2005 com o hit "Don't cha". Seu primeiro CD, PCD, ficou em 5º lugar na parada da Billboard dos discos mais ouvidos nos Estados Unidos e vendeu cerca de 4 milhões de cópias em todo o mundo.

Desde então, elas já se apresentaram em várias partes do mundo e fizeram parcerias com importantes figuras do rap, como o produtor Timbaland e Will.i.am (do Black Eyed Peas).

Fonte: Igpop

Vocalista do Franz Ferdinand promete CD "dançante"

Sem lançar nada desde 2005, o Franz Ferdinand já marcou a estréia do seu novo álbum para o começo de 2009. Alex Kapranos, vocalista da banda, afirma que este será um álbum mais "dançante".

"O último CD era rápido, furioso, frenético, 150 batidas por minuto. Era como se fosse um adolescente fazendo sexo. Esse é mais seguro, um pouco mais amigável para a pista de dança", disse Kapranos à BBC.

"Ele realmente soa diferente. Há instrumentos diferentes, tempos diferentes e outra atitude", explicou.

Por outro lado, Kapranos tranqüiliza os fãs da banda que temem mudanças radicais na sonoridade.

"Ele sempre vai soar como Franz Ferdinand enquanto nós quatro estivermos tocando. Será um álbum bem dançante desta vez", disse.

O grupo ainda não tem nome e nem data definida para o álbum, que deve ser lançado no começo do ano que vem. O último trabalho da banda foi You Could Have It So Much Better, de 2005.

Fonte: Terra

Grupos chegam a acordo sobre royalties de música pela internet

Acordo foi firmado entre gravadoras, artistas e serviços online.
Fornecedores pagarão um royalty de 10,5% da receita.

Gravadoras, compositores e serviços de música online chegaram a um acordo sobre como recompensar criadores de música pela distribuição de conteúdo na internet, disseram eles.

O acordo foi moldado para determinar como a indústria calcula as taxas de royalty para downloads limitados ou por música que é ouvida na internet por streaming, incluindo quando essa música é fornecida por assinaturas ou serviços mantidos por publicidade.

Fãs que usam o sistema de streaming sob demanda podem selecionar as músicas que querem ouvir, mas não mantêm uma cópia permanente das canções.

Com a proposta, os fornecedores de tais serviços pagarão um royalty de 10,5% da receita depois de outros royalties terem sido calculados.

O acordo não cobre downloads permanentes e uma decisão por parte da Copyright Royalty Judges sobre a proposta é esperada para 2 de outubro, disse o grupo.

A Associação de Mídia Digital (DiMA) descreveu o acordo em um comunicado em seu site como um fator importante que facilitará novos formas de oferta de música a consumidores online.

Outros grupos envolvidos incluíram a Associação da Indústria Fonográfica da América (RIAA na sigla em inglês), a Nashville Songwriters Association International e a Songwriters Guild of America.

"Este acordo proporciona uma estrutura flexível para possibilitar modelos de negócios inovadores no mercado de música digital, que beneficiarão fãs, criadores e serviços online", disse Mitch Bainwol, presidente da RIAA.

Fonte: G1

terça-feira, 23 de setembro de 2008

Documentário sobre Waldick Soriano dirigido por Patrícia Pillar estréia na TV

Canal Brasil exibirá "Waldick - sempre no meu coração" no dia 30.
Cantor morreu no início de setembro, aos 75 anos.

O documentário “Waldick – sempre no meu coração”, que conta a trajetória do cantor Waldick Soriano, morto no último dia 4, estréia no próximo dia 30, às 22h, no Canal Brasil. Inédito, o filme foi dirigido pela atriz Patrícia Pillar, fã de longa data do artista baiano.

Filmado em 2005, o documentário acompanha a passagem da turnê de Soriano pelo interior do Ceará, a volta à cidade-natal, Caetité, e um show em São Paulo.

O longa traz ainda imagens de arquivo e depoimentos de familiares e amigos que acompanharam a carreira do cantor, considerado um dos maiores ídolos populares do país.

Waldick teve uma carreira de mais de 40 anos e lançou cerca de 28 álbuns. Entre os seus sucessos, que alguns classificam como “brega”, estão “Eu não sou cachorro, não”, “A carta” e “Tortura de amor”. Antes de se tornar cantor, o artista chegou a ser peão, motorista de caminhão e garimpeiro.

O cantor morreu aos 75 anos, após passar mais de dois anos tratando de um câncer na próstata, descoberto tardiamente.

Fonte: G1

Pretenders lança primeiro disco em cinco anos

A vocalista do Pretenders, Chrissie Hynde, liberou seu lado "vaqueira" no primeiro disco da banda em cinco anos. Mas a gravadora não quer que Break Up the Concrete seja descrito como uma tentativa de fazer música country, devido às conotações negativas. Chame de rockabilly e evoque comparações com Bo Diddley ou a Sun Records, mas não diga que ela caiu de cabeça em Nashville.

Na verdade, Hynde foi a Akron, em Ohio. Foi lá que ela nasceu há 57 anos. Em 1973, ela se mudou para Londres. Desde que começou a tocar com os Pretenders, em 1978, Hynde ocasionalmente canta sobre sua cidade natal - mais notavelmente em My City Was Gone - mas, na maior parte das vezes, ela passou sua carreira mantendo vivo o espírito punk.

No entanto, nos últimos anos, Hynde tem passado seu tempo em Akron com a família. Ela passeia pelas ruas e medita no cemitério local. A cantora também tem escutado as músicas que tocavam quando era criança, mas ela as renegou pelos sons exóticos da Inglaterra.

"Isso era algo que eu realmente sentia, algo em que estava me transformando, algo por que estava atraída, este som mais americano que eu nunca explorei antes", disse Hynde em uma recente entrevista à Reuters.

"Todos os ingleses amam essa bosta, mas eu rejeitei isso a minha vida inteira porque era o meu som. Acho que tenho, como cantora, muito mais da voz do meu país do que eu imaginava que tinha. Acho que eu estava negando isso".

Dessa forma surgiu Break Up de Concrete, apenas o nono álbum de estúdio do Pretenders, e a primeira produção da banda desde Loose Screw, de 2003, com inspiração reggae, que não fez sucesso nos Estados Unidos. Na verdade, os Pretenders não tem conseguido sucesso desde 1994, quando lançaram Last of the Independents, mas Break Up... surge como novo aposta em um estilo diferente.

Fonte: Reuters/Terra

Trecho de novo single de Britney Spears vaza na Internet

O novo single de Britney Spears, que teve seu lançamento adiado por sua gravadora, teve um trecho vazado na Internet. No vídeo, a cantora aparece ensaiando alguns passos ao som da nova canção, que deverá se chamar Womanizer.

O clipe, de cerca de 40 segundos, foi gravado em baixa qualidade e mostra Britney fazendo coreografias junto com dançarinas que integram seu show.

Segundo o site Gigwise, a Jive, gravadora da cantora, admitiu que entrará com uma ação legal contra a pessoa que publicou o vídeo. A publicação ainda aponta que uma equipe de segurança extra já foi deslocada para as sessões de ensaios da cantora.

O próximo CD da cantora, intitulado Circus, deve ser lançado no dia 2 de dezembro. Este é o primeiro trabalho desde o criticado Blackout, de 2007.

Fonte: Terra

Rádios faturaram R$ 1,6 bilhão em 2007, diz pesquisa

Volume é maior do que apontavam estudos recentes.
Levantamento analisou resultados de 917 emissoras.


Pesquisa divulgada pela Fundação Getúlio Vargas nesta terça-feira (23) aponta que as emissoras de rádio faturaram R$ 1,6 bilhão no ano passado. Segundo o levantamento "Perfil sócio-econômico do setor de rádio no Brasil", encomendado pela Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e TV (Abert), a venda de espaço publicitário foi responsável pela maior parte (89,2%) do faturamento do setor.

Os principais anunciantes, de acordo com a pesquisa, são o comércio varejista (45%), telecomunicações (8,2%) e o ramo de perfumaria e farmácia (7%). As esferas federal, estadual e municipal do governo somam juntas 17,8%.

Para o presidente da Abert, Daniel Pimentel Slaviero, o estudo mostra um peso maior do rádio no mercado publicitário. “Esta é a melhor radiografia do rádio realizada no país. Os dados são reveladores e fortalecem o segmento num momento marcado por profundas mudanças tecnológicas”, analisa.

Dados mais recentes indicavam um faturamento de R$ 767,2 milhões em 2007.

Na pesquisa, a FGV considerou um total de 917 emissoras – um terço do total de rádios cadastradas pela Anatel e pelo Ministério das Comunicações.

De acordo com o trabalho, as emissoras comprometem a maior parte de sua receita com custeio, pagamento de impostos e de salários (62,9%).

Espaço brasileiro

O levantamento aponta ainda que as rádios AM reservam sete vezes mais espaço para a música nacional (21,1%) do que para a estrangeira e ocupam 41,7% de seu tempo com programas informativos (jornalismo e variedades). Nas emissoras FM, a música nacional também predomina, com 37,5% contra 17,8% da música estrangeira.

O estudo mostra também que 43,2% da mão-de-obra empregada pelo setor têm entre o ensino médio completo e o superior completo. E ainda que a melhor remuneração concentra-se nas regiões Sul e Sudeste, em rádios AM.

A pesquisa desenvolvida entre março e agosto foi apresentada pelo coordenador de projetos da FGV, Márcio Lago Couto, em Brasília. Até o final do ano, será divulgada a segunda etapa do trabalho, com dados sobre o setor de televisão aberta.

Fonte: G1

Guitarrista do REM recupera guitarra roubada


A guitarra roubada entre os equipamentos do REM na Finlândia no início do mês voltou a seu dono. O instrumento, um dos favoritos de Peter Buck, foi devolvido anonimamente e já foi usado pelo guitarrista em uma apresentação da banda na última sexta-feira.

A Rickenbacker é usada por Buck desde 1982. A banda havia oferecido uma recompensa pela devolução do instrumento, mas até o momento não precisou pagar. "Sempre tivemos esperança de que ela apareceria e graças aos esforços de muita gente podemos comemorar que ela está de volta ao Peter", declarou o empresário da banda.

O REM está em turnê pela Europa divulgando seu mais novo trabalho, Accelerate. A banda vem ao Brasil em novembro para quatro apresentações. Eles tocam em Porto Alegre dia 6, no Rio de Janeiro dia 8 e em São Paulo dias 10 e 11.

Fonte: Igpop

Documentário sobre parceria de Beatles com Cirque du Soleil ganha DVD

Filme registrou colaboração entre Paul, Ringo, Yoko e Olivia Harrison.
Lançamento nos Estados Unidos acontece em 21 de outubro.

O diretor de um novo documentário que registra a criação do álbum "Love", inusitada "parceria" entre os Beatles e o Cirque du Soleil, classifica seu filme como uma "jornada emocional" que consegue revelar algo novo sobre a banda mais documentada de todos os tempos.

"All together now", que será lançado em DVD em 21 de outubro nos Estados Unidos, traz os integrantes remanescentes dos Beatles, Paul McCartney e Ringo Starr, além das viúvas de John Lennon e George Harrison, Yoko Ono e Olivia Harrison, enquanto trabalhavam juntos supervisionando o desenvolvimento de "Love".

"Nós fomos falar com essas pessoas não só sobre a criação do espetáculo mas sobre os Beatles", disse o diretor Adrian Wills. "Por estarem mergulhadas em um contexto emocional específico, eles [os ex-beatles e as viúvas] foram realmente doces conosco", completou.

"Love" é um espetáculo teatral que estreou em Las Vegas dois anos atrás e traz músicas retrabalhadas dos Beatles. A idéia do projeto surgiu da amizade entre Harrison e o fundador do Cirque du Soleil Guy Laliberte, mas o guitarrista morreu antes que os planos se concretizassem.

McCarteny, Starr e as viúvas se reuniram para realizar o sonho de Harrison. Essa participação teve peso decisivo no processo criativo, disse Wills. "O filme tratava de um olhar sobre os Beatles como uma família, e ali estavam todos esses familiares que, apesar de terem seus desentendimentos em alguns momentos - como qualquer família, eles passaram por maus e bons momentos juntos -, se reuniram de novo porque um daqueles que eles amavam se foi."

As imagens do filme mostram ainda McCartney e Starr ao lado de George Martin, o lendário produtor dos Beatles que ajudou a reimaginar as músicas para o espetáculo com o seu filho Giles.

"Você não apenas pode dar uma boa olhada no processo criativo pelo qual este show foi concebido mas também uma espiada em como são essas pessoas", defende o diretor.

O DVD de "Love" será vendido exclusivamente nas lojas da cadeia Best Buy, nos EUA, e nos espetáculos do Cirque du Soleil. Algumas sessões do documentário em cinemas americanos estão programadas também para outubro.

Fonte: G1

Divertir para converter: igreja vira rave e reúne centenas em São Paulo

"Sigam-me, e eu os farei pescadores de homens", disse Jesus aos irmãos Simão e André enquanto andava à beira do mar da Galiléia, tal como narra o Novo Testamento em Mateus 4:19. Quase dois mil anos depois, a busca por fiéis continua intensa, mas toca-discos e caixas de som já fazem as vezes de linha e anzol na pescaria de homens. É assim, agregando jovens cristãos e não-cristãos sob lasers e estrobos, com o fio condutor da música eletrônica gospel, que eventos como o Arena Beats, da igreja Sara Nossa Terra, vêm captando centenas de novos devotos com a força das batidas.

Para conferir até que ponto a proposta de converter na pista de dança dá liga, visitamos a quarta edição do Arena no último sábado (20), na sede da SNT localizada na Rua Augusta, em São Paulo. Sem cigarros, drinks, quaisquer entorpecentes ou registro de brigas, a festa juntou 700 pessoas ao som dos DJs MP7, Mitchu, Bortolato, Debby e Olvr. Eles se engajaram em comandar salves para Jesus das 22h às 5h30 da manhã.

Para Nilton Fernandes, que idealizou e produz o evento desde 2005, esta edição deu sinais de que a produção do Arena viveu um aperfeiçoamento em relação a anos anteriores. "O painel de LED, a guitarra ao vivo, o MC acompanhando os DJs e até um desfile da Riachuelo agregaram valor ao evento, que ganhou essa cara mix". O produtor, que realiza festas eletrônicas também junto a outras comunidades religiosas de São Paulo, acredita que as raves são espaços perfeitos para "arregimentar", isto é, trazer novos fiéis aos cultos.

"A prova disso será o culto do sábado que vem. Após um evento como este, o número de jovens cristãos na igreja sempre aumenta", garante. "Há inclusive muitos que entram em contato com o evangelho em uma rave e depois acabam virando até líderes de célula em uma igreja após a festa".

Um desses líderes de célula, ou seja, de "reuniões semanais que acontecem na casa de um irmão que está precisando da palavra de Deus", Thiago Guimarães, 18, marcou presença no Arena Beats. Habitué das raves de Jesus, ele contou o quanto curte a idéia de mostrar aos jovens que eles podem "ter Deus na balada, enquanto curtem psy ou d&b". Convertido há três anos, acredita que uma das grandes vantagens da festa é a pregação da alegria e da celebração de maneira saudável. “Antes de me converter, sentia um vazio muito grande e tentava preenchê-lo com bebidas, drogas e sexo. Hoje o espaço foi totalmente preenchido por Jesus”.

Assim como Thiago, as amigas Débora Regina (23), Erica Bruno (32) e Priscila Magro (25) eram pura alegria. “É a primeira vez que a gente vem ao Arena. O mais legal nesse tipo de balada é a oportunidade de fazer amigos. Ficamos muito fechados em nossa própria igreja e aqui a gente pode conhecer pessoas de igrejas diferentes”.

A falta de combustível alcoólico parecia não fazer a menor a falta para as garotas. Uma delas, Débora, estava até rouca, de tanto se jogar. “É engraçado porque todo mundo pensa em igreja evangélica como uma coisa careta e chata. Dá pra fazer tudo o que se faz em uma balada normal, só que com lucidez, sem a ação de álcool e entorpecentes”.

Sem bebidas, sem drogas e sem... amassos. As meninas garantem que até rola uma troca de telefones, mas fiel que é fiel não beija na pista. “Acho que o nosso grande diferencial é que valorizamos nosso tempo, porque sabemos que somos a carne do senhor”, diz Erica, que só pretendia deixar o Arena quando a última luz se acendesse.

Fonte: Terra/Virgula

segunda-feira, 22 de setembro de 2008

Eminem grava material novo, mas sem previsão de lançamento

Depois de anos fora dos palcos, o rapper Eminem pode lançar um novo disco neste ano.

Em uma recente aparição em sua rádio, a Shade 45, o rapper admitiu que tem produzido faixas para os artistas de sua gravadora, a Shady Records, e para si mesmo. Eminem também entrevistou a Mc Masta Ace, uma de suas grandes influências.

"Estou concentrado em minhas próprias coisas agora -- criando novas faixas", disse Eminem. "Quanto mais produzo, parece que melhor eu fico. Começo a conhecer coisas, conhecer a mesa de som como se fosse a palma da minha mão".

Um representante da Interscope disse que não há data oficial de lançamento da primeira música de trabalho, mas confirmou que um disco novo de Eminem pode ser lançado antes do fim do ano.

O último trabalho do rapper, "Encore", foi lançado em 2004.

O artista de Hip Hop 50 Cent, com quem Eminem trabalhou no passado, disse à Rádio BBC 1 que os fãs "vão ver Eminem em breve. Ele está trabalhando. Passei o fim de semana na casa dele. Mesmo tentando relaxar e ficar em casa, é impossível para ele só fazer isso".

Fonte: Reuters/Uol