quarta-feira, 10 de setembro de 2008

Roberto Carlos lança DVD com canções em espanhol

"O Roberto Carlos é um trabalhador. Tem que viajar para resolver negócios, criar suas canções, gravar um disco por ano. Ele deveria descansar mais", disse Wanderléia, há 12 anos, numa entrevista à Playboy.

Desde 2005, quando lançou seu burocrático último disco de inéditas (com fraco desempenho até mesmo se comparado com os álbuns produzidos na época da doença da mulher Maria Rita, e perdendo feio para os álbuns "com título" feitos após sua morte), Roberto parece empenhado em seguir o conselho da velha amiga. Seu disco do fim de 2007 foi adiado inicialmente para o começo do ano, mas permanece inédito. O cantor parece mais dedicado a tocar projetos (como o recente show com Caetano Veloso relendo Tom Jobim) e a vasculhar seu catálogo - coisa que já vinha acontecendo pouco antes, devido ao lançamento das caixas com toda a sua obra, e que permanece com o DVD Duetos (2006).

En Vivo, DVD+CD com uma apresentação do cantor no Ziff Opera House - casa de shows dentro do complexo Carnival Center for the Performing Arts, em Miami, nos Estados Unidos -, continua na mesma base de fornecer souvenirs para os antigos fãs.

O principal da lembrança em questão é trazer, pela primeira vez em DVD, Roberto Carlos cantando em espanhol - e num lançamento para o mercado internacional.

Além da escolha do idioma hispânico, há mais novidades no DVD. O cantor fez uma regravação de Un Gato En La Oscuridad, canção-título de seu primeiro álbum em espanhol, lançado em 1972 - e que já era uma versão da balada Un Gatto Nel Blu, música do italiano Toto Savio, que cantara no Festival de San Remo, um ano antes. Pouco conhecida no Brasil (saiu em italiano no álbum San Remo 1968, de 1976), a música é acompanhada por parte da platéia de Miami, também lotada de brazucas.

Dá para perceber pelo entusiasmo do público quando Roberto mistura espanhol e português em Detalles, versão de Detalhes, que, como em várias apresentações do cantor, é o momento em que Roberto toca violão.

O cantor (ostentando a mesma expressão triste, embora bastante simpática, com a qual tem aparecido em suas recentes apresentações) também faz uma releitura de El Día Que Me Quieras, bolero de Carlos Gardel e Alfredo Le Pera, que definiu, em pleno palco, como um "atrevimento", pedindo licença à platéia para cantar a música, que já lançara no álbum Roberto Carlos Inolvidables, de 1993, só com regravações em espanhol.

Para quem pretende apenas ter um bom greatest hits ao vivo do cantor, vale informar que o repertório é de primeira. Como o show é dedicado a Maria Rita, inevitavelmente aparece a fraca Mulher Pequena (Mujer Pequeña), sucesso de 1992 dedicado à mulher - por outro lado, também merecedora da arrebatadora Acróstico, que Roberto canta e toca ao piano, com a letra original em português.

Mas tem as ótimas Amigo, Desabafo (Desahogo), Como Vai Você (Que Será de Ti), Jesus Cristo, A Distância (La Distancia) e, encerrando, Yo Solo Quiero (Un Millón de Amigos), versão em espanhol da bela Eu Quero Apenas, popular em países hispânicos.

Resta agora Roberto manter a boa qualidade de discos recentes seus, como Amor Sem Limite (2000).

Fonte: JB Online

Nenhum comentário: