quinta-feira, 16 de outubro de 2008

Lançamento CD OASIS - "Dig Out Your Soul"

Se após "Be Here Now" (1997) a evolução do Oasis parou de corresponder à dos Beatles, em "Dig Out Your Soul" a banda volta a usar a biografia dos fab four como guia. Como foi o caso dos rapazes de Liverpool em 1966, os Gallagher decidiram em 2007 que chegou a hora de ousar.

O disco novo não chega a ser o "Revolver" do Oasis. Não há nenhuma quebra violenta de paradigmas, mas nesta altura, a banda que venceu reverenciando a fórmula do rock inglês clássico agora pode se dar ao luxo de brincar um pouco com ela. Exatamente como seus artistas favoritos fizeram antes.

Mas não se assuste. Diferentemente do que foi dito em entrevistas e especulações antes do lançamento, "Dig Out Your Soul" não é nada além de um disco do Oasis, para o bem ou para o mal. A produção mais ousada e os arranjos mais densos não comprometem a maior virtude da banda, sua capacidade de aparecer, ano após ano, com coleções de melodias memoráveis. Aqui, no entanto, elas são construídas sobre uma base menos rígida.

Uma faixa que ilustra como o grupo evoluiu a partir de parâmetros despretensiosos é "(Get Off Your) High Horse Lady". Sobre os três acordes e a melodia simples roubados do standard r&b "High Heel Sneakers", de Tommy Tucker, o Oasis cria intrincados climas psicodélicos, num dos momentos mais viajantes de sua carreira.

Já "The Turning" remete ao rock pesado do final da década de 60, com suas guitarras pesadas combinadas aos teclados à la Faces, e termina como que dando uma pista ao ouvinte, numa calma referência ao início de "Dear Prudence", faixa do "Álbum Branco" dos Beatles essencial para entender o som do Oasis.

E esta não é a única homenagem ao disco duplo de 1968. O "Álbum Branco" volta em "The Nature Of Reality", com seu começo quase idêntico ao de "Helter Skelter". Como sempre, trata-se de um disco montado sobre uma noção certeira do que funciona a partir de referências clássicas.

A diferença é que agora o Oasis procurou, com competência, segurança e, verdade seja dita, dando um tom atual, emular o momento em que seus heróis foram mais originais.

Por Pedro Carvalho/Uol

Nenhum comentário: