sexta-feira, 5 de dezembro de 2008

Paula Toller lança disco solo e revela fase intimista

Paula Toller tinha 25 anos de estrada à frente do Kid Abelha quando fez seu primeiro show solo, no ano passado. Acostumada às grandes platéias, ela se viu diante de uma situação nova, de maior intimidade com o público. Daí nasceu a idéia para o show de seu segundo trabalho sem a banda, "sónós" (2007), que resultou nos recém-lançados CD e DVD "Nosso".

"Minha estréia solo foi no Baretto, em São Paulo, que é um lugar mínimo. A pessoa mais próxima ficava a um metro de mim. É um outro tipo de show, em que os movimentos não são tão grandes, uma coisa meio cabaré. Quando nós começamos a pensar no cenário oficial do show, eu falava o tempo todo: eu quero o público dentro do palco", conta Toller.

Para manter esse clima ao longo da turnê, uma das soluções foi criar um cenário com espelhos que colocam o público dentro do palco.

A outra foi fazer com que, em determinado momento, Toller e banda desçam do palco para tocar um número que mistura os versos de "Saúde", de Rita Lee e Roberto de Carvalho, com o refrão de "Só Love", de Claudinho e Buchecha. Nessa hora fica evidente a febre das câmeras digitais com as quais os fãs registram os movimentos do ídolo para depois postarem vídeos e fotos na internet.

"Era uma coisa que não existia quando eu comecei. As pessoas iam para ouvir um som. Depois, mais tarde, teve essa coisa de ir para ouvir músicas conhecidas e cantar junto. Agora é muita imagem. A impressão que se tem é a de que ninguém está vendo o show na hora, que tá só filmando e fotografando", diz a cantora. Toller revela que também mudou a sua relação com o palco. "No começo, eu era muito mimada, eu achava: "Os outros que se danem, eu vou lá e vou fazer o meu negócio, tô nem aí".

É uma coisa da idade, eu acho. Aos poucos eu fui pegando um pouco de gosto por essa parte de atuação, de personagem. De você poder brincar com isso e surpreender o público."

"Nosso" reúne canções dos dois discos solo da cantora, entre os quais houve um hiato de nove anos. Os temas, segundo Toller, vão do maternal -de "Oito Anos" e "Barcelona 16", dedicadas ao filho Gabriel- ao erótico -de "Derretendo Satélites" e "Um Primeiro Beijo". Do repertório do Kid Abelha, há "Grand" Hotel" em uma versão de piano e voz.

"Numa banda como o Kid Abelha, é uma delícia, você chega, canta músicas que todo mundo conhece para um público enorme, mas eu comecei a achar que eu não estava sendo ouvida", diz Toller. Por enquanto, ela vai continuar na estrada com seu show solo, mostrando "um lado mais cantora". O Kid Abelha vai voltar, promete, mas "sem pressa".

NOSSO
Artista: Paula Toller
Gravadora: independente
Quanto: R$ 39,90 (DVD), R$ 24,90 (CD), em média
Classificação: livre

Por Caio Jobim
Fonte: Folha de São Paulo

Nenhum comentário: