quarta-feira, 17 de dezembro de 2008

Paula Toller passa o pop a limpo

Primeiro DVD solo da cantora junta seu repertório e suas referências

Em vôo solo Paula Toller lança seu primeiro DVD, Nosso. O show, que junta os dois discos da cantora e passeia por suas referências, ganha edição caprichada na boa aventura independente assinada pela figura jurídica de La Toller LMC Filmes. Gravado no moderno teatro Oi Casa Grande (Rio), as belas imagens ganham edição dinâmica assinada por Lui Farias, marido da cantora.

Nove anos separam os dois primeiros discos de Paula Toller. O primeiro, bem festejado e elogiado, virou artigo cultuado sem ter tido shows de lançamento e nem ao menos uma extensa agenda de divulgação. Em 2007 veio SóNós, que desdobrou na primeira turnê de Paula sem os colegas de Kid Abelha.

Paula Toller é a figura central do Kid Abelha. A banda, na estrada há quase trinta anos, tem a rara receita de se manter jovem e renovar sempre o público. O segredo está na qualidade das composições, em média bem superior ao de outros grupos contemporâneos. O carisma e a beleza da vocalista também são ingredientes importantes. A inevitável carreira solo de Paula, no entanto, traz músicas mais maduras e uma postura mais séria. Curioso é ver que, mesmo assim, o público de Paula solo é muito semelhante ao do Kid. Uma geração que cresce com a cantora.

Paula não cresceu só no repertório. Sua voz, muito criticada no início de carreira, está mais educada e afinada. O belíssimo timbre de sempre hoje encontra uma cantora mais preparada para maiores aventuras. Mesmo que a gravação em DVD possa estar sujeita a reparos posteriores, a evolução de Paula é nítida. À vontade no palco, a cantora celebra a ótima fase com o público.

Essa relação é tão íntima que, no melhor momento do show, Paula e banda descem do palco para se misturar com a platéia. Os números escolhidos para essa rápida festa fazem um passeio pelo pop brasileiro. Ela costura Claudinho & Bochecha com Rita Lee & Roberto de Carvalho misturando o hit Só Love com o clássico Saúde. Nessa rápida revisão também inclui seu próprio passado relendo um dos maiores hits do Kid, a bela balada Nada por mim.

Apenas em outro momento Paula volta ao grupo, apresentando uma versão cheia de classe para Grand'Hotel, sucesso que marca o início da geração MTV no Brasil, com clip dirigido pelo mesmo Lui Farias. A geração 80, entretanto, ainda é homenageada com a presença de Dado Villa-Lobos, guitarra e vocal em Pane de maravilha e bandolim em 1800 colinas, samba relido por Paula em sua estréia solo.

Desse primeiro CD a cantora ainda aproveita para estrear ao vivo o hit Derretendo satélites e voltar a sua bela releitura de Fly me to the moon. Recicla Oito anos, que havia feito para seu filho Gabriel, hoje com 18. Cheia de molho, também volta ao clássico de Carmen Miranda ... E o mundo não se acabou, em outro grande momento do DVD.

O mergulho em suas referências musicais chega até a tropicália. Se no Kid Abelha costuma reler repertório dos Mutantes, sua viagem solo chega até a forte e contestadora presença de Gal Costa no movimento. Imortalizada pela cantora baiana Mamãe coragem, obra prima de Caetano Veloso e Torquato Neto, ganha corajosa versão.

Grande parte do repertório vem do segundo trabalho de Paula, SóNós. Não tão inspirado quanto o anterior, o disco cresce ao vivo com a presença da cantora. Dez músicas do álbum ganham nova chance ao vivo.

Passeando entre Rita, Kid, Claudinho, Dado, Caetano, Carmen e pela própria história, Paula passa a limpo uma despretensiosa história da música pop brasileira. Nosso é esse coletivo, casa aconchegante e animada para muitos.

Por Beto Feitosa
Fonte: Ziriguidum/Uol

Nenhum comentário: