sexta-feira, 30 de janeiro de 2009

Festival de Verão: Crise mundial inspira apresentação de Jota Quest



Mais de 50 mil pessoas acompanharam o show do Jota Quest na abertura da segunda noite do Festival de Verão de Salvador. A banda tocou por mais de duas horas e reuniu em um repertório pesado um setlist com a mistura de clássicos antigos e canções novas que estão incluídas no último álbum do grupo, lançado no final do ano passado.

"Muito obrigado a todos vocês que chegaram mais cedo para ver a gente. É uma grande honra subir nesse palco e abrir à noite. Vai ser um show imperdível, em uma apresentação onde vamos prezar a qualidade", firmou o vocalista da banda mineira Rogério Flausino, enquanto se preparava para entrar no palco.

O Jota Quest não poupou energia e logo de cara emplacou algumas das principais músicas da banda, como Além do Horizonte, Na Moral, Dias Melhores e Planeta dos Macacos.

Os músicos de Belo Horizonte só diminuíram o ritmo depois de meia hora de show, quando o grupo resolveu dar uma trégua para a platéia e apresentou o novo hit do grupo.

"Esta canção que a gente vai tocar é uma novidade que a gente trás pra vocês. Se chama La Plata. Essa música fala sobre a crise de valores que estamos passando. Não apenas em dinheiro, mas em espírito também", disse o cantor Rogério Flausino.

A música ganhou destaque com os efeitos de luzes e iluminação. O telão exibiu imagens de gráficos econômicos e painéis de bolsas de valores. Rogério Flausino chamou a atenção com seu vestuário irônico.

O chapéu de couro preto combinou com a calça branca que vestiu durante todo o show. Descontraído, o cantor passou a imagem de um charlatão americano: "ele tem uma energia muito quente. A banda empolga mesmo", disse o empresário Adelmo Carvalho.

A parte final do show não deixou a desejar. A banda fechou sua apresentação no Festival de Verão com muita empolgação e arrancou aplausos de toda a platéia.

Ao término do show, a banda falou sobre o atual momento do grupo e experiência de abrir um show de Ivete Sangalo em plena capital baiana: "não é fácil entrar em Salvador e tocar no mesmo dia que a Ivete. São 50 mil pessoas que você tem que segurar", disse.

A experiência acabou falando mais alto diante da ansiedade que tomou conta do festival: "a gente se vê no auge da nossa criatividade e o Jota Quest é isso", completou.

Por Francisco de Assis
Fonte: Terra
Fotos: A Tarde Online

Nenhum comentário: