quarta-feira, 28 de janeiro de 2009

Lançamento CD Take That - "The Circus"

Depois de um bem-sucedido retorno com "Beautiful World" (2006), o Take That lança o segundo disco após a volta do grupo, que ficou estagnado entre 1996 e 2005. "The Circus", que continua sem Robbie Williams, vem embalado pelo gigantesco número de vendas: um milhão de cópias em apenas uma semana.

O grupo entrega aos fãs um disco romântico, cheio de canções pop perfeitas e otimistas. Gary Barlow continua liderando os vocais na maioria das faixas, mas os colegas da boy band --beirando os 40 anos de idade-- Howard Donald, Jason Orange e Mark Owen também garantem sua participação com o microfone nas mãos.

"The Circus" --coincidentemente lançado no mesmo dia de "Circus", de Britney Spears-- é cheio de clichês, cordas e grande produção, assinada por John Shanks. O disco abre com "The Garden", música que poderia entrar facilmente na trilha sonora de um desenho da Disney. Na sequência está "Greatest Day", o primeiro single do álbum, que estreou no topo da parada britânica.

Há bons momentos, como "Hello" e sua melodia que lembra composições do cantor e pianista Ben Folds --mas os vocais de Mark Owen soam como a voz de Daniel Johns (Silverchair e The Dissociatives). Em "Julie", a banda mostra que quer voltar a conquistar corações com baladas. E não deixe de ouvir a faixa escondida em "Hold Up A Light".

Mas também há momentos que se pode evitar. "How Did It Come to This", escrita por Jason Orange, tem jeito de sobra de Coldplay e fala sobre uma mocinha obsessivo-compulsiva e esquizofrênica de Camdem, bairro do norte de Londres (onde Amy Winehouse cresceu). No fim, as baladas mais lentas e açucaradas, como a lamentação de Howard Donald em "What Is Love" ou "You", parecem deslocadas no disco.

As perspectivas comerciais do novo álbum são nítidas pela sofisticação e o cuidado na produção, mas falta um polimento nos arranjos e na escolha do repertório. Como sugere a capa do disco, o Take That ainda tenta encontrar equilíbrio em sua ressurreição.

Por Mariana Tramontina
Fonte: Uol

Nenhum comentário: