sábado, 3 de janeiro de 2009

A turma do axé faz suas apostas para conquistar o folião baiano


Qual vai ser a música do Carnaval? Todos os anos, inevitavelmente, esta pergunta é feita por todas as pessoas envolvidas com a grande festa de Salvador. Não é à toa. O sucesso cantado por milhões de pessoas na ruas da cidade, durante os cinco dias de folia, pode alavancar a carreira de qualquer artista ou banda, levando-o a programas de rede nacional, como o Domingão do Faustão (Rede Globo).

Os artistas levam tão a sério a disputa que, no Carnaval de 2008, as músicas Mulher brasileira (Toda boa), do Psirico, e A fila andou, do Chiclete com Banana, disputaram acirradamente, chegando até a causar um certo “estranhamento” entre os concorrentes. E teve até cabo eleitoral de peso. No caso, Ivete Sangalo, que fez campanha aberta para a vitória da banda comandada por Márcio Victor.

As apostas

A disputa está começando novamente. Os principais, como Ivete Sangalo, Claudia Leitte, Chiclete com Banana, já saíram na frente. Outro peso- pesado como o Asa de Águia está lançando agora sua aposta 'Hoje é dia de Asa', composta por seu líder, Durval Lelys. Margareth Menezes e DanielaMercury ainda não sinalizaram. Bandas como Voa Dois, Negra Cor, Ara Ketu e até a novata Bué da Fixe correm por fora tentando surpreender. É uma tarefa árdua porque os chamados “grandes” usam todo seu poder de fogo através dos ensaios, de promoções ou das famosas blitze

Apesar de toda a visibilidade, os carnavalescos têm reclamado muito de que nunca mais se fez hinos como Chame gente e Prefixo de Verão, só para citar dois exemplos. “Acredito que os compositores mudaram a linha de trabalho. Eles encontraram uma fórmula que já é meio-caminho andado e não querem correr riscos. Antes, eles faziam a música para o bloco. Hoje, se isso acontece, o cantor de um outro bloco não vai querer cantar para não fazer propaganda da concorrente”. A revelação é do radialista Maurício Habib, gerente de programação da Bahia FM.

Os hinos

Já Carlos Pitta, autor de Cometa mambembe, em parceria com Edmundo Caroso, e considerado um clássico doCarnaval baiano, tem outra visão: “Há uma centralização em cima de nomes como Asa de Águia, Ivete Sangalo e Chiclete com Banana. Hoje em dia, não é fácil para o compositor que sabe fazer música de Carnaval chegar e mostrar seu trabalho. Isso faz com que os artistas consagrados percam a oportunidade de conhecer muita gente boa”, esclarece.

Para Pitta, além disso, as bandas não procuram mais os compositores como antigamente. “Não se abrem. São autossuficientes. E as rádios também não abrem espaço em sua programação. Por isso, de vez em quando, uma música como Ana Júlia, dos Los Hermanos, chega a ser a mais tocada no Carnaval de Salvador”, afirma. Outro compositor vitorioso, Alain Tavares, parceiro de Carlinhos Brown, reconhece: “Há bem pouco tempo, houve uma queda de qualidade nas composições, mas já existe sinais de recuperação”, diz.

Autor de músicas como Arerê e Levada louca, sucessos com Ivete Sangalo, e Mimar você, com a Timbalada, Alain diz procurar fazer sempre algo diferente. “Quando componho com meus parcerios Gilson Babilônia e Carlinhos Brown, procuramos caprichar na letra, na melodia e no refrão. Porque o maior sonho do compositor é atingir o povo. Ouvi-lo cantar a nossa música. Isso é impagável”, pontua.

Por Osmar Martins
Fonte: Correio da Bahia

Nenhum comentário: