quarta-feira, 25 de fevereiro de 2009

Vocalista do Cure, Robert Smith reclama de gravadoras e do Radiohead

Em entrevista ao jornal "The Times", o vocalista do Cure, Robert Smith, disse discordar "violentamente" do esquema criado pela banda britânica Radiohead em seu último disco de inéditas, "In Rainbows", lançado em outubro de 2007.

O álbum foi disponibilizado na Internet para que os fãs pudessem escolher o quanto gostariam de pagar por ele. Para Smith, isso não passa de uma "ideia idiota".

"Você não pode dar às pessoas o direito de decidir quanto vale o que você faz. A não ser que você pense que seu trabalho não valha nada, mas isso seria sem sentido", disparou o autor de hits como "In Between Days".

"Se ponho em minha música um valor que ninguém pode pagar, estou cometendo uma besteira. Mas essa idéia de o valor ser dado pelo consumidor é idiota. Não funciona", completou.

Além disso, para Smith, as gravadoras deveriam fazer mais para proteger os artistas dos downloads ilegais. "Seria cômico se não fosse trágico", reclama. "Há relutância dos selos em fazer algo, como se não reparassem o quanto os artistas sofrem. O artista não vende e o selo, por isso, acha que não tem que pagá-lo. Agora, os selos sempre estão ligados, de uma forma ou de outra, a alguma empresa proprietária de provedor de Internet. Isso chega a ser melancólico".

Fonte: Agência JB/Uol

Nenhum comentário: