quinta-feira, 30 de abril de 2009

Björk lança registros da turnê "Volta" em diferentes formatos

Para comemorar os dois anos da turnê do disco "Volta", lançado em 2007, Björk preparou um pacote de discos e DVDs que chega às lojas no dia 23 de junho.

"Voltaic" será dividido em diferentes formatos --dois DVDs e dois CDs--, que podem ser adquiridos separadamente ou em uma caixa especial.

Um dos DVDs traz cenas da turnê "Volta" gravadas em Paris e Reykjavik, na Islândia. Além das músicas do disco que dá nome ao show, o repertório tem ainda sucessos antigos, como "Army of Me", e "Joga". O segundo DVD reúne os clipes tirados de "Volta", dirigidos por nomes como Michel Gondry e Michel Ocelot.

Os CDs trazem músicas do disco "Volta" gravados ao vivo em um estúdio de Londres em 2007 e remixes das faixas do álbum feitos por nomes como Simian Mobile Disco, Matthew Herbert, Graeme Sinden e Modeselektor.

Veja abaixo a lista de músicas de cada lançamento.

CD 1

Faixas de "Volta" gravadas ao vivo em estúdio de Londres
"Wanderlust"
"Hunter"
"The Pleasure Is All Mine"
"Innocence"
"Army Of Me"
"I Miss You"
"Earth Intruders"
"All Is Full Of Love"
"Pagan Poetry"
"Vertebrae By Vertebrae"
"Declare Independence"

CD 2

The Volta Mixes
"Earth Intruders" (Xxxchange Remix)
"Innocence" (Simian Mobile Disco Remix)
"Declare Independence" (Matthew Herbert Remix)
"Wanderlust" (Ratata Remix)
"The Dull Flame Of Desire" (Modeselektor Remix For Girls)
"Earth Intruders" (Lexx Remix)
"Innocence" (Graeme Sinden Remix)
"Declare Independence" (Ghostigital Remix)
"The Dull Flame Of Desire" (Modeselektor Remix For Boys)
"Innocence" (Alva Noto Unitxt Remodel)
'Declare Independence' (Black Pus Remix)
'Innocence' (Simian Mobile Disco Dub Remix)

DVD 1

Turnê "Volta" em Paris
"Brenniõ Piõ Vitar"
"Earth Intruders"
"Hunter"
"Immature"
"Jóga"
"The Pleasure Is All Mine"
"Vertebrae By Vertebrae"
"Where Is The Line"
"Who Is It"
"Desired Constellation"
"Army Of Me"
"Triumph Of A Heart"
"Bachelorette"
"Wanderlust"
"Hyperballad"
"Pluto"
"Declare Independence"

Turnê "Volta" em Paris Reykjavik
"Pneumonia"
"Cover Me"
"My Juvenile"
"Immature"
"The Dull Flame Of Desire"
"Vökuró"
"Sonnets"/"Unrealities xi"
"Mouth's Cradle"

DVD 2

The Volta Videos
"Earth Intruders"
"Declare Independence"
"Innocence"
"Wanderlust"
"The Dull Flame Of Desire"
"Declare Independence" (The Making Of)
"Wanderlust" (The Making Of)

Fonte: Uol

Vanessa da Mata lança CD e DVD gravados em Paraty, no Rio

Em "Multishow ao Vivo - Vanessa da Mata", especial inédito que vai ao ar hoje à noite e que em seguida chega às lojas em CD e DVD, a cantora registra sua versão para "As Rosas Não Falam", o clássico de Cartola. Corre ali um risco considerável. De tão mastigado que já foi em suas incontáveis regravações, esse samba exige do intérprete algum achado realmente surpreendente para que uma nova leitura se justifique.

"Pensei muito nisso", ela diz. "Gravar Cartola pode ser redundante. Mas eu tinha apresentado essa música num programa de TV e recebi um elogio da Alcione. Mangueirense, amiga do Cartola por toda a vida, e, acima de tudo, uma cantora maravilhosa, ela me deu a segurança de que eu precisava."

O engraçado é que, antes de lançar seu primeiro álbum, em 2002, Vanessa da Mata dizia que nem cantora era. Denominava-se apenas compositora. "Eu achava mais bonito. Sempre fui encantada pela pessoa que cria, que escreve música. Era isso o que queria para mim. Só depois de muito tempo comecei a gostar da minha voz."

Essa voz aparece quase "sem maquiagem" nas faixas do "Multishow ao Vivo". Pelas contas da cantora, só três delas foram retocadas em estúdio depois da gravação original. "E só fiz nessas porque, de outro jeito, não teriam condições técnicas para entrar no especial", diz. "Dou prioridade ao calor da interpretação. Mesmo que, com isso, a afinação escorregue um pouco. Ninguém consegue estar emocionado de verdade e sustentar a afinação perfeita."

Vanessa tem sido cada vez mais requisitada como intérprete. Em "Rio", álbum que o trompetista alemão Till Brönner dedicou à música brasileira em 2008, ela emprestou sua voz a uma canção quase tão arriscada quanto a de Cartola: "O que Será", de Chico Buarque.

"Cultura jovem"

"Por alguma razão, logo intuí que Vanessa era uma grande representante da cultura jovem no Brasil", conta Brönner, que a conheceu por meio do hit "Boa Sorte/Good Lucky". "Ela própria escolheu a música, que ficou boa na voz dela principalmente por sua personalidade artística, que é muito 'quente'".

Da compositora que não quer ser cantora, foram incluídos em "Multishow ao Vivo" os sucessos "Ai Ai Ai", "Amado" e "Boa Sorte/Good Lucky". De outros autores, há versões para "Eu Sou Neguinha", de Caetano Veloso, e "História de uma Gata", tema adaptado por Chico Buarque para o infantil "Saltimbancos" (1977), que Vanessa já vinha fazendo em discos e shows. E uma ótima releitura para "Um Dia, Um Adeus", balada pop que Guilherme Arantes compôs nos anos 80.

Tudo isso posto, um disco exclusivamente de intérprete não está nos planos de Vanessa ao menos num futuro próximo. "Sou compositora compulsiva e me sinto meio escravizada por isso. Fico o dia todo com ideias rondando minha cabeça, uma frase que alguém diz, algo que vejo na rua. Vai ser muito difícil matar essa compositora."

ESPECIAL DE TV: MULTISHOW AO VIVO - VANESSA DA MATA
Quando: hoje, às 22h15
Onde: Multishow
Classificação: livre

CD e DVD
Gravadora: Sony/BMG
Quanto: R$ 25,90 (CD) e R$ 42,90 (DVD), em média

Por Marcus Preto
Foto: João Sal
Fonte: Folha de São Paulo

Pele de bateria dos Beatles é leiloada por R$ 232 mil


Londres, 28 abr (EFE).- Uma pele de bumbo usada em bateria dos Beatles, com o logotipo do lendário quarteto de Liverpool, foi arrematada hoje por 72 mil libras (cerca de R$ 232 mil), em leilão de objetos relacionados com o mundo do rock e do espetáculo realizado em Londres.

Segundo a casa de leilões The Fame Bureau, a primeira do mundo especializada em vender esse tipo de objetos, o ex-empresário de turnês dos Beatles Mal Evans presenteou a pele de bumbo a um funcionário encarregado de transportar o equipamento musical do Pink Floyd.

pele de bumbo, que pertenceu durante algum tempo ao baterista dos Beatles Ringo Starr, tinha preço estimado de 100 mil libras.

No mesmo leilão foi negociada também uma guitarra elétrica Gibson Les Paul Standard, de 1956, uma das primeiras fabricadas na década de 1950. O objeto foi arrematado por 45 mil libras.

A The Fame Bureau vendeu recentemente por mais de 250 mil libras a primeira guitarra à qual Jimi Hendrix ateou fogo em um palco, assim como o primeiro contrato assinado entre os Beatles e o empresário Brian Epstein.

Fonte: Agência EFE/Uol

Novo disco do Coldplay deve ter ritmos de rave

O novo álbum da banda inglesa Coldplay deve ter um som semelhante aos ritmos em raves. De acordo com o site Gigwise.com, a mudança de direção no estilo da banda se deve ao baterista Will Champion, que comprou uma grande aparelhagem de som.

A banda estaria testando quais os limites do som que produzem e fazendo mixagens. "Will comprou uma nova bateria e novos equipamentos e está se divertindo bastante para ver até onde pode chegar. Os outros integrantes também estão gostando do novo som", afirmou uma fonte ao jornal The Sun.

Neste ano, o Coldplay vai tocar ao lado de Jay-Z e Girls Aloud no Estádio de Wembley em Londres no dia 19 de setembro.

Fonte: Terra

Depeche Mode anuncia dois shows no Brasil em outubro

O Depeche Mode anunciou em seu site oficial que fará dois shows no Brasil em outubro. O trio inglês toca no Rio de Janeiro, no dia 22, e em São Paulo, no dia 24.

Ainda não foram divulgados os locais das apresentações. De acordo com o site, os ingressos começam a ser vendidos no dia 25 de julho, mas também não foram informados os pontos de venda.

Os shows fazem parte da turnê de divulgação do recém-lançado 12º disco do grupo, "The Sounds of The Universe". O álbum entrou no segundo lugar da parada britânica na semana de lançamento e já está nas paradas de países como Alemanha, Itália, Suíça, Bélgica e México, entre outros.

Fonte: Uol

terça-feira, 28 de abril de 2009

U2 e Take That farão shows nas corridas de Fórmula 1 na Europa

As bandas de rock U2 e Take That estão entre as atrações da Fórmula 1 na Europa. Segundo o site Gigwise.com, os grupos fecharam um acordo com os dirigentes da categoria para fazer apresentações em várias provas da temporada.

A parceria também inclui "artistas do mundo do cinema, esportistas e estrelas da moda", informa o jornal The Sun.

Lucian Grainge, presidente da gravadora Universal (que produz e divulga o trabalho de ambas as bandas), disse que a colaboração pode criar "um marco original e algo totalmente novo no mundo do entretenimento".

O cartola da Fórmula 1, Bernie Ecclestone, também gostou do acordo. "Eu sempre disse que estávamos em um negócio de diversão e essa parceria marca uma nova era da Fórmula 1. Tenho grandes esperanças com esse acordo", disse.

As bandas Girls Aloud e The Pussycat Dolls, cuja vocalista é Nicole Scherzinger (namorada do piloto Lewis Hamilton), também fariam participações nos Grandes Prêmios.

A próxima corrida da Fórmula 1 será realizada no dia 10 de maio na Espanha.

Fonte: Terra

Lançamento DVD Velha Guarda da Portela - "O Mistério do Samba"

Na ocasião do trabalho de pesquisa de campo realizado por Marisa Monte nos idos de 1998 junto aos sambistas da Portela no bairro de Oswaldo Cruz, zona norte do Rio de Janeiro (RJ), para o repertório de seu CD "Tudo Azul", a cantora percebeu que algo mais estava ali, naquele lugar, além dos cancioneiros inéditos os quais pretendia resgatar. Assim, ela chamou os diretores Lula Buarque de Hollanda e Carolina Jabor para registrarem esses encontros, com a intenção futura de gerar um filme que retratasse não apenas os bastidores de sua empreitada musical, mas algo muito mais precioso.

A idéia foi tomando forma e, dez anos depois, em 2008, o resultado surgiu nas telas de cinema com o documentário "O Mistério do Samba", dirigido por Lula e Carolina, e apresentado pela própria Marisa Monte, contando com o apoio de Paulinho da Viola e Zeca Pagodinho.

Cenas intercaladas de diferentes épocas, sem o compromisso linear do tempo, exploram os discursos naturais e semblantes dos nomes principais da Velha Guarda da Portela, como Jair do Cavaquinho, Argemiro do Patrocínio, Monarco e Casquinha, além de Tia Surica e Tia Eunice, entre outros bambas.

Cada um desses artistas tem seu perfil retratado durante os 88 minutos do filme, acerca de sua aproximação com a agremiação, as memórias de vida, de labor, de sobrevivência, de referências musicais e da aproximação com a comunidade da escola e do grupo de notáveis o qual naturalmente cada um viria um dia a se integrar e fazer parte de sua história.

Cenas como a dos bastidores das reuniões de Marisa e os sambistas discutindo o repertório a ser resgatado do embornal de composições intocadas são registradas, assim como momentos de rodas de samba embaladas pelo coro da Velha Guarda, entoando cânticos sincopados que contam o amor, o cotidiano e um sortilégio de realizações de uma obstinada comunidade que preserva por meio da música a sua essência.

Das 200 horas de material cinematográfico coletado, o formato no DVD oferece ao espectador algumas pérolas que não entraram no corte final, como novas crônicas narradas por Jair do Cavaquinho, Casquinha e Argemiro e até mesmo mais tricotagens do mulherio portelense com Marisa Monte, além de extras musicais, como "Tudo azul" (Ventura), "Corri para ver" (Monarco, Casquinha e Chico Santana), "A chuva cai" (Argemiro e Casquinha) e "Perdoa" (Paulinho da Viola).

A prece ritmada contida no samba "Quantas lágrimas" de Manacéa, um dos principais compositores da história da Portela, afirma: "se houvesse retrocesso na idade eu não teria saudade da minha mocidade". Depois de assistir a esse legado visual, o espectador se certificará, enfim, de que há outras formas de voltar ao tempo e vivenciar um pouco dessa terna mocidade.

Por Zé Carlos Cipriano
Fonte: Uol

Em 1º show de porte, Mallu Magalhães mostra várias facetas

Várias Mallus subiram ao palco do Citibank Hall, em São Paulo, no sábado passado. Teve a Mallu Magalhães docemente ingênua e pop de canções como "J1" e "Tchubaruba"; teve a Mallu Magalhães que escancarou influências sérias como "Folsom Prison Blues", de Johnny Cash; e teve a Mallu Magalhães que extravasou melancolia em canções novas.

Se há um ano e quatro meses essa garota de 16 anos era uma desconhecida paulistana, hoje ela tornou-se uma cantora de 17 anos que fez seu primeiro show solo em uma casa de porte em São Paulo, para o lançamento do DVD "1"

Nesse tempo, Mallu Magalhães angariou tantos fãs como detratores --esses últimos ganham combustível com desastradas entrevistas da cantora na televisão, em programas como "Altas Horas" e "Domingão do Faustão".

Mas Mallu está no palco para cantar, e isso ela faz muito bem. Além disso, acompanhada por uma banda segura, em uma hora e meia de show ela toca com desenvoltura violão, banjo, gaita, escaleta...

O grande apelo de Mallu é que ela é, no fundo, uma cantora pop, diferentemente de 99% das novas cantoras do país, que se agarram às tradições MPBísticas. Mallu dá atenção a melodias delicadas, assobiáveis, que estão menos para o folk de Bob Dylan e mais para novos nomes como Ben Kweller, Adele e Duffy.

É essa a Mallu que aparece na primeira parte do show --e, em menor escala, na terceira e última parte.

A segunda parte é a mais problemática. Em certo momento, a banda sai do palco e Mallu fica sozinha.

Ela, então, dedica essa divisão do show para mostrar várias canções novas. Muitas delas são em português --e é curioso notar que as faixas compostas em português são geralmente melancólicas, tristes, enquanto as em inglês são descontraídas, soltas.

Há espaço até para uma versão duvidosa de "Leãozinho", de Caetano Veloso.

Talvez as novas referências musicais de Mallu Magalhães a estejam levando para um outro caminho. Será que a partir de agora as canções de Mallu serão... "maduras" assim?

Avaliação: bom
1 (DVD)
Artista: Mallu Magalhães
Lançamento: Agência de Música
Quanto: R$ 35, em média

Por Thiago Ney
Fonte: Folha de S.Paulo

segunda-feira, 27 de abril de 2009

Pink fala sobre tema de sua turnê ser o mesmo escolhido por Britney para sua excursão e disco

Quando Pink pensou no tema circense para sua turnê "Funhouse", não imaginou que estaria dividindo a ideia com outra cantora pop.

Ela suspira resignada quando surge uma comparação com a mais recente turnê de Britney Spears, "The Circus Presents", que, como a excursão de Pink, é um grande espetáculo com dançarinos voadores e acrobatas.

Pink e Spears basearam o tema da turnê no título de seus discos mais recentes (os dois CDs foram lançados no ano passado; o de Pink saiu antes). A turnê de Britney começou em março. Os ingressos para a etapa norte-americana da turnê de Pink, iniciada na Europa, começam a ser vendidos neste sábado.

"Se eu soubesse que certas pessoas iriam basear suas últimas coisas no circo, eu provavelmente teria tomado outra direção", disse a cantora de 29 anos. "Eu estava nisso seis meses antes e não percebi que havia uma tendência acontecendo. Eu sou bem desligada".

Não que alguém pudesse confundir as turnês. O show de Spears é dublado e voltado para a dança, enquanto Pink afirma que sua apresentação é totalmente rock'n'roll --"duas horas de terapia em grupo".

Em entrevista recente, Pink falou sobre expressar suas emoções por meio de canções, a reconciliação com o ex-marido e sua filosofia sobre o amor.

AP - Você diz que essa é sua primeira turnê importante nos Estados Unidos. Por que levou tanto tempo?
Pink - Eu não sei. Eu trabalhei muito para ser uma artista de turnês, e tenho feito isso bastante há uns sete ou oito anos (fora dos Estados Unidos).

AP - Muitos músicos têm usado o circo como inspiração. Por que você acha que os artistas estão ligados ao mundo circense?
Pink - Provavelmente todos nós quisemos fugir com o circo quando éramos jovens, já que ele está cheio daquilo que a sociedade em geral considera excêntrico e fora do comum. Além disso, é algo grande, sensual e excitante.

AP - É verdade que você e Corey Hart estão voltando e que vão se casar novamente?
Pink - Eu não sei de onde surgiu essa coisa de casar de novo, apareceu do nada. Nós definitivamente estamos juntos novamente.

AP - O que você aprendeu com o tempo em que estiveram separados?
Pink - Nós tentamos nos proteger de ficarmos totalmente apaixonados, abertos e vulneráveis. E, na verdade, acabamos nos fechando para o amor verdadeiro e à oportunidade de realmente aprender e crescer com outra pessoa. É algo realmente prejudicial, mas você acha que está te ajudando.

AP - Então seu conselho seria...
Pink - Mergulhe de cabeça. Não vai te matar.

AP - E você se casaria novamente?
Pink - Nós nunca nos divorciamos legalmente. Achamos muito chato ter de lidar com papéis. Então, escolhemos ficar juntos. Nos espelhamos em Tim Robbins e Susan Sarandon e Kurt Russell e Goldie Hawn --pessoas que apenas escolheram ficar juntos todos os dias porque querem estar lá. E, como nunca gostamos de rótulos, estamos apenas merculhando de cabeça nessa piscina vazia.

AP - Muito de seu último disco lida com a separação. É difícil cantar essas músicas agora?
Pink - Quando estou compondo há muita emoção envolvida. Sou sarcástica, sou boba, fico com raiva, tenho todas esses sentimentos, tudo ao mesmo tempo, e os incluo em minhas canções. Então, ainda é engraçado, bobo e ainda tenho raiva. É muito fácil voltar a essas sensações...não tenho dificuldade em me transportar novamente para esses momentos.

Fonte: Ap/Uol

Bob Dylan viaja ao passado em seu 33º álbum

Com um título para lá de romântico --"Together through Life" (juntos pela vida)-- combinado com uma foto de dois jovens se agarrando no banco de um carro, Bob Dylan prepara o ouvinte para seu 33º álbum de estúdio.

A preparação é para a viagem que começa hoje --quando sai o CD nos Estados Unidos-- e vai terminar justamente naquele banco traseiro, no verão de 1959, quando as coisas pareciam mais simples (mas não eram) e as músicas soavam diferente (e realmente soavam, dada a tecnologia da época e das atuais possibilidades de pós-produção).

Cantor Bob Dylan lança o 33º álbum de sua carreira, "Together Through Life"
"Os velhos discos da Chess Records, da Sun Records", suspira o velho Dylan, 67, em recente entrevista para o seu site (www.bobdylan.com). "É meu tipo favorito de som. Gosto do clima, da intensidade. É bem claro, há força e suspense. É gravado ao vivo. O som tipo crava na sua cabeça como uma dor de dente."

São discos que estão na gênese do rock. Da Chess vieram gravações essencialmente de negros, como Howlin' Wolf, John Lee Hooker, Buddy Guy, Bo Diddley e o grande Chuck Berry, entre muitos outros.

Da Sun, baseada em Memphis, entraram para a história discos dos brancos Johnny Cash, Roy Orbinson, Carl Perkins, Jerry Lee Lewis e, principalmente, Elvis Presley.

É nesse universo que se insere o Dylan 2009. Imagens de uma gangue nova-iorquina feitas em 1959 pelo fotógrafo Bruce Davidson compõem o aspecto visual da nova obra (leia mais no texto ao lado).

"Together through Life" tem dez músicas, assim como o sucesso "Modern Times" (tempos modernos) --que foi primeiro lugar entre os mais vendidos dos EUA em 2006. Mas é menor, com músicas entre três e cinco minutos, em vez de canções entre seis e oito minutos.

O disco também é menos sofisticado que seu antecessor, que tinha baladas delicadas ao piano. Na busca pelo som dos anos 50, Dylan optou pelas guitarras em primeiro plano. Há muitos solos distorcidos, como os dos velhos mestres. E uma sanfona costura tudo, trazendo um clima de beira de estrada.

Capa do álbum "Together Through Life", do cantor e compositor Bob Dylan
Dylan conta que não planejou o álbum. Foi convidado, pelo diretor francês Olivier Dahan, para escrever uma música para seu próximo filme, "My Own Love Song". Dylan fez "Life Is Hard", mas as canções não pararam de vir. Quanto aos temas, "essas canções têm uma linha mais romântica", conta.

"Together through Life" abre com a sensacional "Beyond Here Lies Nothin'", em que a sanfona e a guitarra duelam para aparecer. A guitarra lembra a de Keith Richards no Rolling Stones pré-psicodélico, entre 1964 e 1966, quando o inglês imitava justamente... as gravações da Chess Records.

"Life Is Hard", a segunda, mostra que a voz de Dylan está pior do que nunca. Suas cordas vocais estão tão deterioradas que lembram as de Tom Waits, que se notabilizou por fazer do canto rouco uma marca. E isso só torna a canção mais forte.

"My Wife's Home Town" é tão parecida com "I Just Wanna Make Love to You" que Dylan perderia um processo. "I Just Wanna..." é um hit da Chess, de 1954, escrito por Willie Dixon e gravado originalmente por Muddy Waters (e coverizado pelos Stones em seu álbum de estreia, de 1964).

E a volta ao passado segue com rocks básicos ("Jolene"), canções de sanfona ("If You Ever Go to Houston") e lamentos tristes ("This Dream of You"). Culminando com a belíssima "I Feel a Change Comin' on", balada sofisticada que, essa sim, poderia estar em "Modern Times". Mas os tempos de Dylan agora são outros.

Together Through Life
Artista: Bob Dylan
Lançamento: Columbia
Quanto: R$ 30 (importado)
Avaliação: ótimo

Por Ivan Finotti
Fonte: Folha de S.Paulo

domingo, 26 de abril de 2009

Caixa "The Albums" mostra grupo sueco ABBA além dos grandes hits

Na esteira do sucesso do filme "Mamma Mia", foi estrategicamente lançada no final de 2008 esta caixa de nove CDs, com todos os álbuns de estúdio da máquina de hits sueca dos anos 70 e mais.

Além dos oito discos originais, em capinhas de papelão imitando as artes dos LPs, "The Albums" traz um CD bônus, com faixas lançadas apenas em singles (como o mega-sucesso "Fernando", de 1976), lados B e raridades como as versões em sueco das músicas "Ring Ring" e "Waterloo".

Os cínicos podem ver o lançamento como redundância ou caça níqueis. Mas ABBA e cinismo são antítese, então tratemos da coleção como uma lição de história pop e, melhor ainda, uma chance de conhecer as diversas facetas de um grupo que costuma ser visto preconceituosamente como uma curiosidade cômica dos anos 70, a despeito de seu valor musical.

Sim, era música leve e despretensiosa, feita para vender. Mas qual é o problema? Se o mesmo pode ser dito sobre a gravadora Motown e boa parte da obra dos Beatles, por que não olhar o ABBA, descendente direto de um padrão inventado por ambos, sob a mesma luz?

Fruto do início dos anos 70, uma era marcada por excessos, seriedade e pretensão, Benny Andersson e Bjorn Ulvaeus, dois jovens veteranos da cena musical sueca, decidiram que o melhor a se fazer era seguir o caminho oposto, com canções de menos de três minutos, temática simples e refrões pegajosos.

Recrutando as cantoras Agnetha Fältskog e Anni-Frid Lyngstad, criaram a fórmula que se tornaria um dos modelos para música pop nas décadas seguintes.

Sobre a base que misturava pop da década de 60, canção popular tradicional e a energia do glam rock dos anos 70, o ABBA absorvia influências latinas, grooves do funk e da soul music e tudo o que pudesse ser transformado num single assobiável.

No primeiro disco, o pouco conhecido "Ring Ring", lançado em 1973 ainda sob o nome de "Björn, Benny, Agnetha & Frida", a sonoridade marcante com a qual conquistariam o mundo ainda não aparece em sua plenitude. Ainda assim, em alguns momentos, como na bem estruturada faixa título, já é possível identificar o embrião do que viria a seguir.

No segundo álbum, "Waterloo", já sob o nome de ABBA, a receita estava pronta. A faixa-título, seu primeiro hit internacional, é o mais perfeito exemplo da fórmula associada à banda. As melodias memoráveis, letras quase infantis de tão simples e, acima de tudo, a combinação de batida marcante e produção grandiosa, seriam as ferramentas com as quais os quatro repetiriam as conquistas de seus antepassados vikings e se tornariam, literalmente, um dos maiores produtos de exportação suecos na década de 70.

A partir daí, a usina de sucessos se estabilizou, com um ou outro ajustes de percurso. Após o terceiro álbum "ABBA", de 1975, fonte de hits como "Mamma Mia" e "SOS", o grupo sentiu a decadência do glam e bubblegum do início da década e trocou o que havia de rock em seu caldeirão pelo balanço das pistas de dança.

Os ouvintes mais roqueiros devem prestar atenção nesta linha de demarcação. A chave para vencer o preconceito está justamente no segundo e terceiro álbuns. Faixas menos conhecidas como "King Kong Song", "Watch Out", "Hey, Hey Helen" e "So Long", com suas guitarras sujas e batidas pesadas não fariam feio em álbuns de bandas como Slade, Sweet, Suzi Quatro ou qualquer outro representante do lado mais divertido do glam rock.

O que veio depois de "Arrival" (1976), no entanto, não oferece muito para quem procura rock. Em canções como "Dancing Queen", a música do ABBA absorveu o impacto da disco, conseguindo adaptar aos ouvidos da classe média anglo saxônica o que era, até então, uma variedade hedonista do funk, associada à cena gay norte-americana.

Foi com este híbrido de disco e pop romântico que o grupo seguiu a partir dali, sem grandes saltos qualitativos até o final em 1982. Mesmo sem redescobrir a roda, não deixaram o poço de sucessos secar, culminando em 1980, com o álbum "Super Trouper" e a épica "The Winner Takes it All".

Do primeiro álbum ao canto dos cisnes "The Visitors", de 1981, está tudo aqui, reeditado da maneira ideal, ou seja, mudando o mínimo possível os lançamentos originais. Seja como anti-depressivo alternativo, prazer culpado, nostalgia ou introdução à obra do ABBA, "The Albums" é uma aquisição valiosa, essencial para fãs e recomendada para os curiosos.

Por Pedro Carvalho
Fonte: Uol

sexta-feira, 24 de abril de 2009

Show histórico do Nirvana no Reading Festival será lançado em DVD

Banda fez apresentação memorável no evento inglês em 1992.
Lançamento pela gravadora Universal está previsto para novembro.

O lendário show do Nirvana no Reading Festival de 1992 será lançado em DVD. A gravadora Universal planeja colocá-lo nas lojas em novembro. O projeto, segundo o semanário musical “NME”, foi “oficialmente aprovado” pelos músicos remanescentes.

A performance da banda no evento inglês em 30 de agosto daquele ano é considerada histórica. No início de 1992, os integrantes do Nirvana viviam a glória pós-lançamento do álbum “Nevermind”: eram aclamados pela crítica e respeitados pela indústria.

Só que a pressão deixou o trio próximo do esgotamento. A banda decidiu então não fazer outra turnê pelos Estados Unidos para divulgar o álbum, e sim apenas algumas apresentações esporádicas. Dias após o nascimento de Frances Bean, filha do vocalista com Courtney Love, o Nirvana fez um dos melhores shows de sua carreira.

Em meio a rumores de que estaria doente e de que os músicos estavam prestes a se separar, Kurt Cobain (morto em abril de 1994) entrou no palco em uma cadeira de rodas, vestindo peruca e roupas de paciente de hospital. A brincadeira deu lugar a uma apresentação memorável, com direito a canções novas e antigas, que entrou para a antologia do rock.

Fonte: G1

Oasis não lançará disco novo por cinco anos

Noel Gallagher usará esse período para se concentrar em seu primeiro disco solo

O guitarrista do Oasis Noel Gallagher declarou que a banda não lançará nada novo pelos próximos cinco anos. Segundo o Gallagher mais velho, ele usará esse período para se concentrar em seu primeiro disco solo.

"Os nossos últimos três discos tiveram três anos de separação entre eles, mas acredito que desta vez o intervalo será maior", declarou o guitarrista. "Quando sair o próximo disco, seremos cinco anos mais velhos. Será interessante para os fãs da banda ver como cada um dos integrantes vai se sair sozinho".

O Oasis está na estrada divulgando seu álbum mais recente, Dig Out Your Soul. Eles vem ao Brasil pela quarta vez nas próximas semanas para shows no Rio de Janeiro, São Paulo, Curitiba e Porto Alegre.

Fonte: Igpop

quinta-feira, 23 de abril de 2009

Lançamento DVD - Legião Urbana e Paralamas - Juntos

Num belo exemplo de recuperação do valioso acervo musical que descansa nos arquivos da Rede Globo, este pacote com DVD e CD traz o especial que uniu Legião Urbana e Paralamas do Sucesso em 1988. Tudo isso com os bônus de apresentações das duas bandas no extinto programa Globo de Ouro e as faixas em áudio no disco extra.

O mais interessante nas 13 faixas do especial é o registro de duas das mais importantes bandas do rock nacional nos anos 80, numa fase em que já haviam atingido certa maturidade, mas ainda estavam no auge do vigor e energia.

Aliando adrenalina extra ao suingue e destreza instrumental incomparáveis entre seus contemporâneos, os Paralamas fazem bonito. Além de sucessos obrigatórios como "Alagados" e "Meu Erro", se dão bem ao trazer o dancehall jamaicano à Bahia em sua versão de "Depois Que o Ilê Passar", do bloco Ilê Aiyê.

Mas quem se beneficia mais com este DVD é a memória da Legião Urbana. Muito associada hoje às rodas de violão em torno da fogueira, às letras piegas do final da carreira e ao culto semi-religioso em torno do vocalista Renato Russo, a banda de Brasília pode ser vista aqui ainda com a pegada forte de inspiração punk e pós-punk que marcou sua melhor fase. As canções mais diretas, como "Tédio" e "Será", se saem particularmente bem nas versões ao vivo, mais cruas e energéticas do que em estúdio.

No final do programa, os dois grupos se unem numa versão épica de "Ainda é Cedo" da Legião, que começa citando a introdução da clássica "Jumpin' Jack Flash", dos Rolling Stones. Herbert Vianna aproveita o ensejo para mostrar que, acima de tudo, é um guitarrista de rock, enquanto Renato Russo presta homenagem aos heróis do rock and roll.

Entre as faixas, o especial traz depoimentos de personalidades da época, alguns interessantes e pontuais, como o do político Fernando Gabeira e outros inexplicáveis como o do ator Tony Ramos. Renato e Herbert também aparecem falando sobre rock e relacionamentos.

Nos extras, quatro apresentações dos Paralamas e três da Legião no Globo de Ouro entre 1984 e 1987, além do antológico clipe de "Que País é Este" feito para o Fantástico, que vale pela mistura de imagens de protesto com o charmoso padrão de edição dos anos 80.

Por Pedro Carvalho
Fonte: Uol

'One Love', de Bob Marley, é eleita a melhor música jamaicana

A canção 'One Love', do mito do reggae Bob Marley, encabeçou a lista das 100 melhores canções jamaicanas dos últimos 50 anos, anunciada na terça-feira (21) por um comitê de músicos de autoridades culturais ligados à Universidade das Índias Ocidentais.

Marley, que se converteu em superastro internacional graças ao talento para o reggae, teve 9 canções entre as 100 e duas entre as TOP 10: além de 'One Love', 'Simmer Down', ficou em 9º lugar. A popular 'No Woman No Cry' foi eleita a 12ª e 'Redemption Song' a 14ª.

'One Love' teve a pontuação mais alta - 726 pontos, muito acima dos 540 pontos atribuídos ao segundo colocado, 'Oh Carolina', gravado originalmente pelos Folkes Brothers e recriado pelo internacionalmente aclamado Shaggy.

Fonte: Correio da Bahia/G1

Após revelar gravidez, Ivete lança música sobre maternidade

Depois de revelar a gravidez, a cantora Ivete Sangalo, de 36 anos, lança nesta quinta-feira (22) sua nova música de trabalho, que traz nos versos referências à emoção da maternidade. A canção “Agora Eu Já Sei”, que começa a tocar em todas as rádios do Brasil, foi composta pela cantora em parceria com Gigi, músico da sua banda.

Os versos “Agora já sei/ Que me falta sempre a razão / Traduzir melhor a emoção / Por que trago aqui/ Bem dentro de mim” sintetizam a nova fase da musa do axé, que tenta realizar seu sonho de ser mãe.

A nova canção faz parte do álbum 'Pode entrar' que deve ser lançado ainda neste semestre.

Com quarto meses de gestação de seu primeiro filho com o estudante de nutrição, Daniel Cady, a futura mamãe não quer saber o sexo do bebê antes do seu nascimento, segundo afirmações de fontes próximas a cantora feitas à revista Quem.

Apesar disto, segundo dados publicados nesta quinta-feira (22) pelo site da revista, ela parece já ter escolhido o nome, caso seja uma menina. “Ela disse que ama o nome Maria Eduarda. E, se tiver uma menina, contou que o nome será este”, diz a publicação.

Confira a letra da nova canção de Ivete

Agora Eu Já Sei
(ivete sangalo / gigi )

Duvidava, não entendia
Quando alguem me falou
Suspirava de agonia
Pra sentir esse amor

Tempo mestre de todas
Horas e dia
Passou sem ver
Te amar de verdade
Sentir saudade
Mas so de você So de você

Agora já sei
Quando falta a respiração
É a prova que o coração
Já não sabe mais
Viver sem você

Agora já sei
Que me falta sempre a razão
Traduzir melhor a emoção
Por que trago aqui
Bem dentro de mim

Fonte: Correio da Bahia

quarta-feira, 22 de abril de 2009

Venda global de música cai 8% em 2008, diz entidade

NOVA YORK (Reuters) - O faturamento global do setor fonográfico caiu mais de 8% em 2008, ficando em US$ 18,42 bilhões, puxado pela redução das vendas nos Estados Unidos, segundo a entidade IFPI, que reúne gravadoras do mundo todo.

O setor fonográfico global tem registrado um declínio nos últimos anos, por causa da transição para formatos digitais mais baratos do que o disco, como o MP3, e da pirataria desenfreada em muitos países.

Embora a venda de música digital esteja crescendo, ela ainda não compensa a redução das vendas de discos.

No geral, o faturamento do setor caiu 19% nos EUA no ano passado, enquanto na Europa a redução foi de 6%, e na América Latina ficou em 5%. A única região que registrou aumento no faturamento foi a Ásia, com um tímido 1%.

As vendas de suportes físicos para música, como CDs, caiu 15% em nível global, ficando em US$ 13,83 bilhões. A queda foi mais acentuada nos EUA (quase um terço) e na Europa (11%).

Já as vendas digitais (downloads, transmissão para celulares, assinaturas online e streaming com publicidade) cresceram 24% no mundo, atingindo US$ 3,78 bilhões. Os EUA dominam a venda digital de música, onde as vendas aumentaram 16,5%, chegando a US$ 1,78 bilhão.

As maiores empresas globais do setor são Universal, do grupo Vivendi, Sony Music, Warner e EMI.

Por Yinka Adegoke
Fonte: Reuters/Uol

Jonas Brothers revelam capa do novo disco

'Lines, vines and trying times' será lançado no dia 15 de maio.
Trio se apresenta no Rio de Janeiro e em São Paulo no próximo mês.

A capa do novo álbum do Jonas Brothers já pode ser vista na página do trio no MySpace. “Lines, vines and trying times” será lançado oficialmente no dia 15 de maio.

“O título é um pouco de poesia que surgiu quando estávamos no set do nosso programa [‘JONAS’, que estreia no próximo mês no Disney Channel]”, afirmou Nick Jonas à revista americana "Rolling Stone".

O trio completou as gravações do disco na semana passada, segundo um post do guitarrista Kevin Jonas no twitter oficial do grupo. “Tenho certeza de que nunca fiquei tão animado com um de nossos trabalhos”, afirmou o artista.

Para promover o álbum, o trio entra em uma turnê mundial, passando inclusive pelo Brasil, com shows no Rio de Janeiro e em São Paulo nos dias 23 e 24 de maio, respectivamente.

Além do disco e da turnê, os irmãos fazem o papel dos protagonistas da série “JONAS”, gravada para o canal Disney e que deve estrear nos EUA no dia 2 de maio. Na série, os irmãos Lucas (seus personagens) têm de lutar para equilibrar sua vida normal com o cotidiano de popstars.

Fonte: G1

Show de Andrea Bocelli reúne milhares em parque de SP

Tenor cantou de graça no Parque da Independência, na Zona Sul.
Estimado em 25 mil, público fez fila para garantir um lugar.

Apesar da garoa e do frio, cerca de 25 mil pessoas, segundo estimativas da Prefeitura, assistiram na tarde desta terça-feira (21) ao show do tenor Andréa Bocelli no Parque da Independência, Zona Sul de São Paulo. A apresentação, que acabou por volta de 17h30, foi gratuita e o cantor recebeu convidados, como Toquinho e Ivete Sangalo.

Desde cedo, havia fila na entrada do parque, localizado no bairro do Ipiranga, para garantir um lugar. A apresentação começou às 16h. De acordo com a Prefeitura, o show teve regência de Eugene Kohn e contou ainda com a soprano Olivia Gorra, o barítono Gianfranco Montresor, e a flautista Andrea Griminelli, acompanhados do coro Philarmonia e Orquestra Sinfônica do Paraná. O prefeito da cidade, Gilberto Kassab, esteve no espetáculo.

Fonte: G1

segunda-feira, 20 de abril de 2009

Pink Floyd processa a própria gravadora por falta de pagamento

Banda diz que EMI está 'errando no cálculo' do pagamento de royalties.
Catálogo do grupo só vendeu menos que o dos Beatles nos últimos 25 anos.


Segundo o jornal britânico “The Guardian”, o Pink Floyd está processando a EMI, gravadora da qual a banda é contratada desde 1967, por considerar que a empresa está “errando nos cálculos” dos royalties devidos ao grupo.

O processo inédito mostra que a relação entre o selo e a banda pode estar abalada. A aquisição da EMI pela empresa Terra Firma pode ser responsável pelos problemas recentes com o Pink Floyd. Artistas como Paul McCartney e Radiohead deixaram a gravadora após a entrada da Terra Firma, que comprou a EMI por 4 bilhões de libras (quase R$ 13 bilhões).

A banda é um dos artistas mais lucrativos da gravadora: seu catálogo só vendeu menos que o dos Beatles nos últimos 25 anos. Entre seus álbuns mais famosos está “The dark side of the Moon”, um dos discos mais vendidos de todos os tempos.

Fonte: G1

Roberto Carlos faz show para 12 mil pessoas em cidade natal

Para celebrar seus 50 anos de carreira, Roberto Carlos lotou o Estádio do Sumaré em Cachoeiro de Itapemirim, sua cidade natal no Espírito Santo, para abrir esta turnê comemorativa.

Com a expectativa de que 12 mil pessoas acompanhassem a apresentação, os ingressos disponibilizados foram todos esgotados antes do show. O cantor não se apresentava em sua cidade natal há 14 anos.

Prevista para às 20h, a apresentação sofreu um atraso e Roberto Carlos subiu ao palco somente às 20h50. Depois de um arranjo instrumental, o cantor abriu o show com Emoções e emendou Além do Horizonte.

O show

A expectativa de mais de 14 anos terminou exatamente às 20h50 deste domingo, quando o "rei" Roberto Carlos subiu ao palco montado no Estádio do Sumaré, em Cachoeiro de Itapemirim, para o show de abertura da turnê mundial de comemoração dos 50 anos de carreira. Após uma leve introdução instrumental, o rei assumiu o comando do espetáculo, com a música Emoções.

O público de mais de 12 mil pessoas que lota o estádio acompanhou cada verso da canção. Após Emoções, Roberto Carlos agradeceu a presença de todos e afirmou que sentia a mesma alegria de quando começou a se aventurar pelo mundo da música, nos programas infantis da rádio Cachoeiro.

Depois de declarar seu amor à cidade, o cantor deu prosseguimento ao show, com a música Além do Horizonte. O set list completo tem ainda Amor Perfeito, Te Amo, Te Amo, Te Amo, Detalhes (executada apenas em voz e violão pelo próprio Roberto), Outra Vez e Meu Pequeno Cachoeiro. A canção, quase um hino do município, foi acompanhada em coro pelo público, que se emocionou com a interpretação de Roberto Carlos.

O cantor desembarcou no aeroporto de Cachoeiro de Itapemirim às 17h05 deste domingo (19) para a realização de um show histórico em sua cidade natal. Recebido por cerca de 1,2 mil pessoas no aerporto, entre elas alguns sósias e covers, Roberto seguiu do aeroporto direto para o Hotel San Carlo, onde ficou recolhido em uma suíte especialmente reformada para recebê-lo. O rei chegou vestido com uma camisa azul e de calça jeans e exibindo um corte de cabelo mais curto que o habitual

"Eu não sei ser rei, eu só sei cantar", declarou Roberto Carlos, durante a rápida conversa com jornalistas no saguão do aeroporto.

O cantor fez uma pausa na apresentação e se dirigiu ao público. "Esta parte do show é complicada para mim, porque eu falo de tudo que aconteceu comigo e da minha infância", afimrou Roberto, visivelmente emocionado, antes de interpretar um "pout-porri" de clássicos de seu repertório com as músicas Aquela Casa Simples, Meu Querido, Meu Velho, Meu Amigo e Lady Laura.

Perto dele, na segunda fila, os filhos de Roberto Carlos acompanhavam também emocionados o espetáculo. Dudu Braga, sempre simpático e atencioso, falou da importância de estar presente num momento tão importante, dia do aniversário do pai e comemoração dos 50 anos de carreira. "Ele merece cada segundo dessa alegria", afirmou Dudu.

Por Alex Cavalcanti
Direto de Cachoeiro de Itapemirim
Fonte: Terra

domingo, 19 de abril de 2009

Moraes Moreira concorda em voltar aos Novos Baianos

Os Novos Baianos completam 40 anos e, para comemorar, vão realizar diversos shows pelo Brasil, que tiveram início no último carnaval de Salvador, com o trio elétrico do grupo. A novidade, segundo Luiz Galvão em entrevista ao Portal MTV, é que Moraes Moreira, que deixou o grupo em 1975, aceitou voltar para tocar durante a turnê que será realizada ainda este ano, com o objetivo final de gravar um DVD.

"Falei com ele, que concordou em voltar, para tocar algumas músicas mais populares. Não vimos ainda a parte burocrática, principalmente na Virada Cultural, que já assinamos sem ele, mas vamos ver e é provável que ele esteja lá também. Ele concordou inclusive em fazer a turnê de 40 anos. Já estamos compondo músicas novas", confirma Galvão, trazendo ainda a possibilidade de gravarem, neste novo trabalho, a música 'Marte', apresentada em 1997, durante um reencontro do grupo, mas nunca inserida num álbum.

Fonte: MTV

sábado, 18 de abril de 2009

Black Eyed Peas e Miley Cyrus se destacam na parada musical

'Boom boom pow', novo hit do Black Eyed Peas, liderou a Billboard Hot 100.
Trilha sonora do filme 'Hannah Montana' somou seis músicas na lista.

O hit "Boom boom pow", do Black Eyed Peas, liderou a parada de sucessos Billboard Hot 100 pela segunda semana consecutiva, enquanto o filme líder das bilheterias nos EUA "Hannah Montana" somou seis músicas na lista, informou a "Billboard" nesta quinta-feira (16).

A música "The climb", da estrela de "Hannah Montana" Miley Cyrus, subiu dois lugares, para o número 8. A música "Hoedown throwdown", também do filme, saltou 34 lugares para o número 28. "Crazier", do ator coadjuvante Taylor Swift, subiu 31 lugares, para o número 38.

"Butterfly fly away", de Miley Cyrus, e seu pai, Billy Ray Cyrus, estreou no número 72. "Let's get crazy" reingressou na lista no número 75, e "You'll always find your way back home" subiu nove posições, para o número 88. As duas canções são de autoria do alter ego de Miley, Hannah Montana. O álbum da trilha sonora saltou três lugares para o número 2 da Billboard 200, publicado na quarta-feira (15).

Depois do Black Eyed Peas, o topo da fila do Hot 100 mal foi modificado com "Poker face", de Lady GaGa, permanecendo no número 2; "Right round" de Flo Rida, no número 3; "Kiss me thru the phone", de Soulja Boy, "Tell'em featuring Sammie", no número 4; "Blame it", de Jamie Foxx, no número 5; "Dead and gone" de Justin Timberlake, no número 6; "Day 'N' nite" de Kid Cudi, no número 7; e "You found me", de The Fray, no número 9.

"Gives you hell", do The All-American Rejects, caiu duas posições, para o número 10.

A honra de estreia top foi para "Best days of your life", de Kellie Pickler, que ingressou no número 50 após aparecer na final do programa "American Idol" de 2006, no episódio de 8 de abril.

Fonte: Reuters/G1

sexta-feira, 17 de abril de 2009

D.J. David: Hoje tem agito no Armazem 301

Onde: Armazém 301 (Av. Olivia Flores)
Quando: Sexta-Feira 17/04
Horas: 23:00

Padres e sertanejos dominam lista de mais vendidos

Os estilos gospel e sertanejo dominaram a lista de CDs mais vendidos do ano de 2008, organizada pela ABPD. Das primeiras dez posições, sete foram ocupadas por padres ou por cantores e duplas do estilo característico do interior.

O primeiro colocado na lista foi o Padre Fábio de Melo, seguido pelo Padre Marcelo Rossi. Victor & Leo e seus dois CDs lançados em 2008 ocuparam a terceira e a quarta posições.

Entre os DVDs mais vendidos, novamente os músicos da igreja foram os campeões de vendas. Desta vez, foi Padre Marcelo Rossi quem encabeçou a lista.

"Em 2008, finalmente, tivemos uma conjugação de bons fatores para a indústria: o consumidor está, ou até o início da crise estava, com mais dinheiro no bolso; o CD original está muito barato - duvida? Vai lá ver quase tudo entre R$ 9,90 e R$ 14,90; e mais pontos de vendas abriram especialmente puxados pelo crescimento de livrarias", disse Leonardo Ganem, presidente da Som Livre.

A subida, em 2008, foi de 6,5% com a venda em vários formatos. O nicho que apresentou mais crescimento foi o da internet e telefonia móvel, com 79,1% de alta. A música movimentou R$ 359,9 milhões no ano passado, mas antes tinha apresentado três anos de queda consecutivos.

A área digital na música arrecadou R$ 43,5 milhões. Desse total, 22% foram representados por receitas advindas da Internet (R$ 9,68 milhões) e 78% vendas de música digital via telefonia móvel (R$ 33,82 milhões). Entre os CDs e DVDs, as bandas nacionais dominaram as vendas. Do total de títulos vendidos, 74,5% foram nacionais, 23,1% internacionais e 2,4% foram músicas clássicas.

Confira a lista de mais vendidos de 2008

CDs mais vendidos
1. Padre Fábio de Mello - Vida - Som Livre
2. Padre Marcelo Rossi - Paz Sim,Violência Não (Volume 1) - Sony Music
3. Victor & Leo - Borboletas - Sony Music
4. Victor & Leo - AoVivo Em Uberlândia - Sony Music
5. Ivete Sangalo - Multishow AoVivo No Maracanã - Universal Music
6. Padre Marcelo Rossi - Paz Sim,Violência Não (Volume 2) - Sony Music
7. Zezé Di Camargo & Luciano - Zezé Di Camargo & Luciano (2008) - Sony Music
8. Roberto Carlos - Roberto Carlos e CaetanoVeloso e A Música de Tom Jobim - SonyMusic/Universal Music
9. Ana Carolina - Multishow AoVivo "Dois Quartos" - Sony Music
10. Leonardo - Coração Bandido - Universal Music
11. Amy Winehouse - Back To Black - Universal Music
12. Ivete Sangalo - Perfil - Som Livre
13. Vários - A Favorita Sertanejo - Som Livre
14. Vários - High School Musical 3 (Regular) - TheWalt Disney Records
15. Rihanna - Good Girl Gone Bad - Universal Music
16. Diversos - O Melhor Do Pantanal - Universal Music
17. Michael Jackson - Thriller (25th Anniversary Edition) - Sony Music
18. Diversos - Sambas De Enredo 2009 - Universal Music
19. Daniel - Difícil Não Falar De Amor - Warner Music
20. Sandy & Junior - Acústico MTV - Universal Music

DVDs mais vendidos
1.Padre Marcelo - Rossi Paz Sim,Violência Não (Volume 1) - Sony Music
2. Ivete Sangalo - Multishow AoVivo No Maracanã - Universal Music
3. Ana Carolina - Multishow AoVivo "Dois Quartos" - Sony Music
4. Marisa Monte - Infinito Ao Meu Redor (Duplo) - EMI Music
5. Victor & Leo - AoVivo Em Uberlândia - Sony Music
6. Claudia Leitte - AoVivo Em Copacabana (Duplo) - Universal Music
7. Xuxa - Só Para Baixinhos 8 - Som Livre
8. Amy Winehouse - I ToldYou I Was Trouble - Universal Music
9. Roberto Carlos - Roberto Carlos e Caetano Veloso e A Música de Tom Jobim- SonyMusic/Universal Music
10. Alexandre Pires - Em Casa AoVivo - EMI Music
11. Nxzero - 62 Mil Horas Até Aqui - Universal Music
12. Nando Reis - Luau MTV - Nando Reis & Os Infernais - Universal Music
13. Sandy & Junior - Acústico - Universal Music
14. Roupa Nova - Acústico 2 - Universal Music
15. Andrea Bocelli - Vivere Live In Tuscany - Universal Music
16. Shakira - Oral Fixation Tour - Sony Music 17. Asa de Águia - 20 Anos (Duplo) - Som Livre
18. Maria Rita - Segundo VIP - Warner Music
19. Celine Dion - Live In LasVegas - A New Day... Sony Music
20. Xuxa - O Show AoVivo - Som Livre

Redação Terra

Motörhead é a grande atração do Abril Pro Rock 2009

O Abril Pro Rock, um dos mais tradicionais festivais de música do Brasil, começa nesta sexta-feira (17/4), em Olinda (PE). A edição 2009 comemora 17 anos de muita paixão pelo rock. A estrela deste ano é a banda britânica Motörhead. Os ingressos para os dois dias de shows vão ser impressos na hora da compra, segundo a organização do evento, não há risco de faltar.

A novidade deste ano é que gravuras, tendo como tema a música, vão estar expostas e sendo comercializadas para o público. Os shows acontecem no Chevrolet Hall, na Avenida Gov. Agamenon Magalhães - ao lado do Centro de Convenções. O estacionamento custa R$ 2,50. O local é servido de lanchonetes.

Serviço - Abril Pro Rock 2009
Local: Chevrolet Hall (site: www.chevhall.wcms.com.br)
Dias 17 e 18 de abril de 2009
Preços:
Dia 17 de abril
R$ 100 inteira
R$ 50 meia-entrada
Ingresso social: R$ 70 + 1kg de alimento não perecível

Dia 18 de abril
R$ 50 inteira
R$ 25 meia-entrada
Ingresso social: R$ 30 + 1kg de alimento não perecível

* Ingresso Social é um desconto dado aos não estudantes que doarem 1 kg de alimento não perecível.

* Censura: 14 anos. Menores, de 14 a 18 anos, devem estar acompanhados de parentes de até 3o grau, maiores de 18 anos.

Pagamento com Cartões VISA e MASTER CARD somente no Chevrolet Hall.

Pontos de Venda

Lojas Renner (Shopping Recife - Shopping Guararapes e Rua da Imperatriz)
Chevrolet Hall (Av Gov Agamenon Magalhães - Ao lado do Centro de Convenções)
Os ingressos também estão à vendas nas cidades de Caruaru (PE) - Loja Cell (Rua Duque de Caxias, 02 - Centro - Ao lado da Catedral) e em João Pessoa (PB) (Loja New Order no Shopping Manaíra)

Por Ana Lima Freitas
Fonte: Terra

Green Day lança single de novo álbum na próxima semana

Preparando o lançamento de seu novo álbum, chamado 21st Century Breakdown, os californianos do Green Day dão uma prévia do novo trabalho lançando o primeiro single, Know Your Enemy.

A faixa, que será divulgada na próxima semana, faz parte do novo disco, que, assim como seu antecessor, segue uma linha mais politizada e que trabalha com um só conceito ao longo do álbum.

21st Century Breakdown é dividido em três atos - Heroes and Cons, Charlatans and Saints e Horseshoes and Handgrenades - e conta a história de um jovem casal (Christian e Gloria) que lidam com as promessas do novo século.

Com a produção assinada por Butch Vig, que já trabalhou com Nirvana e Smashing Pumpkins, o novo álbum é o primeiro trabalho do Green Day desde American Idiot, de 2004, e tem lançamento previsto para o dia 15 de maio.

Fonte: Terra

quinta-feira, 16 de abril de 2009

Agenda D.J. David e Equipe para Abril - 2009





Agenda D.J. David e Equipe para o mês de Abril - 2009

* 04/04 - Casamento de Jamily e Francisco no SENAC, Vit. da Conquista - BA
* 04/04 - Níver de 3 anos de Maria Eduarda no Salão da APAE, Vit. da Conquista - BA
* 11/04 - Locação de iluminação para festa. Vit. da Conquista - BA
* 18/04 - Casamento de Marina e Ronan na Maçonaria, Vit. da Conquista - BA
* 18/04 - Níver de 15 anos de Jéssica no Pallazzo, Vit. da Conquista - BA
* 24/04 - Sonorização em palestra do SEBRAE, Vit. da Conquista - BA
* 25/04 - Casamento de Cindy e José Luiz no SENAC, Vit. da Conquista - BA
* 25/04 - Níver de 14 anos de Luciene no Spaço D´Nagela. Poções - BA
* 30/04 - Níver de 10 anos de Larissa na Pizzaria, Vit. da Conquista - BA