segunda-feira, 6 de julho de 2009

Iron Maiden: Flight 666 (2009)

Em 2008, o antológico grupo britânico de heavy metal Iron Maiden fez uma ousada turnê pelo mundo, a bordo de um avião do próprio conjunto pilotado pelo vocalista Bruce Dickinson, e "Flight 666" é um registro belo e empolgante da empreitada.

Com habilidade, o documentário de pouco menos de duas horas oferece atrativos o bastante tanto para quem é fã de longa data do grupo como para quem não acompanha o mundo do heavy metal. Nunca tantas cenas de bastidores foram gravadas do conjunto - que já tem quase trinta anos de história.

Da mesma forma que é interessante acompanhar como os músicos lidam com as responsabilidades de estúdio, colegas da equipe de produção e os momentos de lazer jogando golfe ou visitando cavernas no México, é curioso e impressionante ver como a banda causa frenesi de formas diferentes em cada país que visita.

Ainda que às vezes o documentário pareça correr o risco de se tornar um tributo exagerado, há espaço para sessões de entrevistas com veículos diversos do mundo, com direito até a ácidas cutucadas à turnê "Somewhere Back in Time", que relembra uma série de shows feita no final dos anos 80 e, portanto, considerada por alguns críticos como algo apenas nostálgico e prova da falta de criatividade do Iron Maiden.

A epopéia musical é pontuada por generosos trechos dos shows do grupo, todos gravados em alta definição e apresentando qualidade de áudio e imagem impecáveis. Tanto que o documentário é acompanhado por um disco adicional, com um registro completo do espetáculo, sendo que cada faixa é gravação de uma cidade diferente da turnê - o Brasil é representado por "Heaven Can Wait", de São Paulo, e "The Clairvoyant", em Curitiba.

Em tempo: o Brasil brilha de forma especial (e bizarra) no filme não apenas pelo carinho enorme que os ingleses mostram pelo país, mas também pela visita que a equipe de produção faz a Marcos Motolo, pastor evangélico do interior de São Paulo com mais de 100 tatuagens do Iron Maiden pelo corpo.

Por Claudio Prandoni
Fonte: Uol

Nenhum comentário: