sexta-feira, 7 de agosto de 2009

'Estamos tocando melhor agora', diz integrante do Information Society

Grupo de música eletrônica faz turnê pelo Brasil a partir desta sexta (7).
Leia entrevista com James Cassidy, que faz parte da formação original.

Os anos 90 estão de volta - pelo menos durante a turnê do Information Society no Brasil. Considerado um dos principais nomes da cena eletrônica da década passada, o grupo dá início nesta sexta-feira (7) no Vivo Rio, na capital fluminese, a uma temporada de shows com todos os hits da banda e também canções de seu álbum mais recente, “Synthesizer” (2007).

Depois de mais de 10 anos de hiato, os membros originais Paul Robb, Kurt Harland e James Cassidy voltaram a se reunir em 2006, quando o trio foi convidado a participar do programa "Bands reunited", do canal VH1. A partir de então, o InSoc, como é conhecido, passou a receber - e a aceitar - vários convites para shows.

Responsável por sucessos como “What’s on your mind”, “How long”, “Peace & love Inc”, “Running”, “Think” e “Repetition”, o grupo veio ao país como uma das grandes atrações do Rock in Rio 2, em 1991. No mesmo ano, eles passaram por diversas capitais e várias cidades de interior. Desta vez, o Information Society se apresenta em Belo Horizonte, dia 8, no Music Hall; em São Paulo, dia 12, no Via Funchal; em Curitiba, dia 13, no Master Hall; e em Ribeirão Preto, interior de SP, dia 14, no Taiwan Centro de Eventos.

"Estivemos no Brasil quatro vezes", relembra James Cassidy em entrevista por telefone ao G1. "Fizemos duas grandes turnês em 1989 e 91. Tivemos a sorte de viajar pelo país inteiro, do sul até o nordeste. Viajar ao Brasil sempre foi um ponto alto nas nossas turnês, e é empolgante poder voltar agora."

Tecnologia

A principal diferença na banda, segundo Cassidy, é a tecnologia empregada atualmente. "Na verdade, é muito mais fácil fazer o que fazemos agora por causa do avanço tecnológico. Mesmo morando em cidades diferentes, podemos nos reunir para ensaiar juntos pela internet", diz.

"Hoje, todo o nosso equipamento é muito menor e mais barato. Quando fomos ao Brasil 20 anos atrás, tivemos de levar um staff de pelo menos quatro pessoas, e mais uma equipe local. Agora não precisamos mais de tanta gente para fazer um show melhor. É até engraçado admitir, mas estamos tocando melhor agora - a tecnologia permite isso."

Durante o tempo em que estiveram separados, os integrantes do Information Society seguiram carreiras diferentes. Kurt compõe música para videogame em São Francisco, Paul faz trilhas para comerciais de TV em Los Angeles, e James deixou o mundo musical para estudar agricultura.

"Fazer shows é muito menos estressante agora, porque não é mais a nossa ocupação principal. Isso nos permite nos divertir e relaxar mais, tocar o que realmente queremos, é mais prazeroso. Foi legal dar esse tempo", avalia Cassidy, acrescentando que ainda não há planos de um novo disco de inéditas.

Quanto aos fãs atuais do Information Society, tudo indica uma mistura eclética. "Estou muito curioso para ver quem vai aos nossos shows no Brasil. Temos fãs realmente muito jovens nos Estados Unidos, gente que provavelmente nem era nascida quando estávamos na ativa. Nos EUA temos uma mistura de fãs antigos com gente que eu nem imagino como ficou conhecendo a banda."

Por Lígia Nogueira
Fonte: G1

Nenhum comentário: