terça-feira, 17 de novembro de 2009

Brasil lembra com música os 50 anos de morte de Heitor Villa-Lobos

Rio de Janeiro - Os 50 anos da morte do compositor Heitor Villa-Lobos, o principal representante nacional da música clássica, estão sendo celebrados nesta terça-feira (17) no Brasil, com uma programação que inclui concertos de quase todas as orquestras sinfônicas e filarmônicas do país.

Nesta terça à noite será realizada a maior homenagem, com o concerto "Cinqüentenário de Heitor Villa-Lobos" pela Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional no Museu da República em Brasília. A apresentação vai misturar interpretações de obras do compositor com imagens e vídeos dos 50 anos de Brasília, data que começará a ser comemorada no início de 2010.

Na programação estão previstas três das "Bachianas Brasileiras", como são conhecidas as principais obras do artista que também é considerado o principal compositor da música clássica de todo América Latina. O concerto desta noite em Brasília será repetido nos próximos dias no Rio de Janeiro, Curitiba, Recife e Manaus.

Outra orquestra com vários concertos programados em homenagem ao compositor é a Filarmônica de Minas Gerais, que inclui em seu programa o difícil "Uirapuru", uma das obras mais famosas do brasileiro, dedicada ao pássaro amazônico de nome homônimo e na qual demonstrou sua capacidade de integrar música clássica à popular.

Villa-Lobos em Paris

Heitor Villa-Lobos nasceu em 5 de março de 1887 no Rio de Janeiro e morreu na mesma cidade em 17 de novembro de 1959, aos 72 anos. Ele revolucionou a música clássica brasileira ao incluir canções folclóricas, populares e indígenas no seu repertório, inspirações que surgiram a partir de uma viagem de mais de dois anos pelo interior do país em sua juventude.

Na década de 1920, apoiado pelo pianista polonês Arthur Rubinstein, viajou a Paris para continuar os estudos musicais na França, onde conheceu os principais artistas da época como o pintor espanhol Pablo Picasso. Villa-Lobos, autor de pelo menos 1,2 mil peças, várias ainda inéditas, foi uma figura importante na renovação cultural brasileira na Semana de Arte Moderna de 1922.

As homenagens ao cinqüentenário da morte do autor de "O Trenzinho do Caipira (Bachiana Brasileiras nº2)" também se estenderão à universidade da Sorbonne, em Paris, em onde em dezembro próximo será realizado um seminário para lembrar a obra do músico que também viveu na capital francesa e compôs obras até para espetáculos da Broadway.

As comemorações começaram há duas semanas com a inauguração do tradicional Festival Villa-Lobos, o evento mais importante da música clássica no Rio de Janeiro e que neste ano chegou a sua 47ª edição. Neste ano, o festival incluiu a apresentação de 17 quartetos de cordas do compositor que, pela primeira vez, são executados totalmente no Brasil, já que eram mais conhecidos no exterior.

O evento ainda programou a exibição de filmes com trilha sonora de Villa-Lobos, como "Deus e o Diabo na Terra do Sol", "Terra em Transe" e "Idade da Terra", do já falecido diretor Glauber Rocha. As homenagens continuarão até a próxima sexta-feira (20), com a apresentação da Orquestra Petrobras Sinfônica, que interpretará a inédita "Biguas", uma obra de Ricardo Tacuchian em homenagem a Villa-Lobos.

Fonte: Agência EFE/Uol

Nenhum comentário: