quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

Daniela Mercury lança CD com cinco capas e novo conceito

São apenas 14 faixas, mas que resultam em cinco álbuns. Esta é a aposta de Daniela Merucry em seu novo lançamento, Canibália. Com cinco capas diferentes, o disco da consagrada cantora baiana propõe uma nova forma de ouvir suas músicas.

Os fãs de Mercury que quiserem comprar o novo disco irão se deparar com um dilema: "qual deles comprar?". Isso porque Canibália possui cinco opções de capa e, com cada uma delas, uma opção diferente na sequência das músicas variando o clima e a densidade de cada canção de acordo com o conceito proposto em cada um.

Descartando a ordem em que são dispostas ou quais capas que as ilustram, o que restam são 14 faixas que reúnem todos os elementos que Daniela Mercury vem coletando ao longo de sua carreira desde o disco de estreia, lançado em 1991. De lá para cá, a cantora ousou sempre que pôde e ajudou o axé a entrar na rota comercial da música, talvez uma das rentáveis no Brasil hoje em dia.

É nessa empreitada que surge Canibália, reunindo samba, reggae, MPB, tudo que propõe a música instrumental orgânica aos ritmos eletrônicos que começou a estudar no início dos anos 2000, uma das primeiras ousadias da cantora como compositora.

Em alguns destaques particulares, há por exemplo a nova roupagem que a cantora deu para O Que Será, de Chico Buarque, que começa com um triângulo bem baixo e o sussurro de Daniela ganhando elementos pouco a pouco até ganhar uma cara de bossa nova com jazz cheia de metais e um piano preciso.

Já em This Life Is Beautiful, um assobio e o "hey" já anunciam mais uma novidade. Em uma canção cheia de climas, Daniela Mercury mostra uma parceria com o produtor Wyclef Jean, ex-integrante do grupo The Fugees. A dupla trabalhou por três dias em um estúdio em Nova York para surgir com esse belo casamento de vozes.

Outra parceria que marca é um dueto tecnológico com Carmen Miranda. Usando os fonogramas originais de 1939, Daniela Mercury divide os vocais com a "pequena notável" em uma versão mais vibrante e com uma batida dançante de O Que é Que a Baiana Tem, de Dorival Caymmi.

Em outro momento "canibalizado", Daniela aposta na reunião de sambas consagrados. A Benção do Samba junta clássicos como Na Baixa dos Sapateiros (Ary Barroso), Samba da Minha Terra (Dorival Caymmi) e Samba da Benção (Baden Powell /Vinícius de Moraes).

Completando esse repertório, independente da ordem proposta nos CDs, estão canções que fazem essa releitura da carreira de Daniela Mercury, como Trio em Transe, Oyá Por Nós, Preta, Sol Do Sul, A Vida é um Carnaval, Dona Desse Lugar, Cinco Meninos, One Love e Tico-Tico no Fubá.

Fonte: Terra

Nenhum comentário: