sexta-feira, 30 de abril de 2010

Rihanna quer trabalhar com produtor Taio Cruz em próximo disco



Rihanna quer trabalhar com o produtor britânico Taio Cruz, filho de brasileira, em seu próximo disco.

A cantora é fã de produtores britânicos, colaborou com a dupla de drum'n'bass Chase and Status no disco "Rated R", e está ansiosa para trabalhar com Taio após o produtor ser aprovado pelo executivo da Def Jam Records L.A. Reid.

Em entrevista ao jornal inglês "Daily Star", Rihanna disse: "Vamos começar a gravar assim que formos para Los Angeles. Acho Taio ótimo, e ele foi contratado por L.A. Reid."

Taio Cruz --que chegou ao topo das paradas norte-americanas e britânicas com o single "Break Your Heart e compôs para nomes como Will Young e Cheryl Cole-- quer fazer Rihanna voltar ao som mais pop, como o do disco "Good Girl Gone Bad", e deixar de lado a sonoridade atual, com influência do rock.

O produtor revelou que gosta muito do single de Rihanna "Please Don't Stop The Music". "As músicas que escrevi para ela são nessa linha", revelou Cruz.

Atualmente Rihanna está na Europa apresentando a turnê "Last Girl on Earth" com shows esgotados. Por outro lado, a etapa norte-americana da turnê, que começa em julho, não parece ir tão bem. De acordo com o blogueiro Perez Hilton, as vendas estão abaixo do esperado.

"A Europa é um sucesso para ela. Nos Estados Unidos, ela vai perder muito dinheiro, já que é muito caro montar o show todas as noites e transportar tudo pelo país", escreveu Hilton.

Da Bang Music, em Londres
Fonte: Uol

Sotheby's leiloa manuscrito de "A Day in the Life", dos Beatles

Londres, 29 abr (EFE).- O manuscrito com a letra da famosa canção "A Day in The Life", de John Lennon, será leiloado no dia 18 de junho em Nova York, anunciou hoje a Sotheby's.

A quarta parte de uma folha de papel escrito dos dois lados cheia de riscos e correções documenta a evolução de uma das canções mais famosas da música pop desde a ideia original até a versão definitiva para sua gravação no estúdio.

"A Day in the Life" faz parte do lendário álbum dos Beatles "St Pepper's Lonely Hearts Clube Band", que liderou durante 27 semanas as listas de sucessos na Grã-Bretanha e foi, durante 15 semanas, o número um na lista americana Billboard 200.

O manuscrito, que foi por um tempo propriedade de Mal Evans, agente encarregado das excursões dos Beatles, pode ser vendido por entre US$ 500 mil e 700 mil, segundo a Sotheby's.

Lennon se inspirou supostamente na morte em um acidente de trânsito do irlandês Tara Browne, herdeiro do grupo Guinness e amigo de Lennon e de Paul McCartney, ao que parece se referir a frase "He blew his mind out in a car" (Ele arrebentou a cabeça num carro, em tradução livre).

A profundidade de sentido atribuída à canção junto à bela melodia e o uso frequente de instrumentos clássicos dão a essa composição uma maturidade que a distingue de outras anteriores do quarteto de Liverpool.

"A Day in the Life" suscitou controvérsia logo após ser publicada e a "BBC" a censurou pela frase "I'd love to turn you on" (Eu adoraria te excitar, em tradução livre), que se interpretou como um convite ao consumo de drogas.

Fonte: Agência EFE/Uol

quinta-feira, 29 de abril de 2010

Música de Shakira é escolhida para ser tema da Copa do Mundo

A música "Waka Waka (This Time For Africa)", de Shakira, foi escolhida pela FIFA para ser o tema oficial da Copa do Mundo da África.

Shakira vai cantar a música nas cerimônias de abertura e encerramento da competição, de acordo com a MTV britânica. O evento de abertura ainda contará com Black Eyed Peas, Alicia Keys, John Legend e Juanes, além de artistas africanos.

"Waka Waka (This Time For Africa)" vai fazer parte da compilação oficial da Copa, que chega às lojas no dia 31 de maio e terá a renda revertida a instituições de caridade africanas.

A Copa do Mundo começa no dia 10 de junho, em Johanesburgo, África do Sul.

Fonte: Uol

Achtung Baby do U2 é escolhido por revista o melhor disco dos últimos 25 anos

A revista americana Spin está fazendo 25 anos. Para celebrar o fato eles publicaram em sua última edição uma lista com os 125 discos melhores discos lançados nesse período. e o escolhido foi "Achtung Baby", o disco do U2 de 1991.

Para a revista esse disco mostra a banda "lutando ao mesmo tempo para abraçar e destruir o mundo" e que "nunca eles foram tão inspiradores".

O resto do top 10 é completado por Prince com "Sign O' The Times" de 1987; "The Queen is Dead" dos Smiths de 1986, "Nevermind" do Nirvana (1991), "Ok Computer" do Radiohead (1997), "It takes a Nation of Millions to Hold us Back" do Public Enemy e mais "Appetite for Destruction" dos Guns N' Roses (1987), "Rid of me" que a inglesa PJ Harvey lançou em 1993, o clássico do indie-rock "Slanted and Enchanted" do Pavement de 1992 e o soturno "The Downward Spiral" dos Nine Inch Nails.

Os álbuns mais recentes da lista são "The Carter III" do rapper Lil' Wayne (foto) de 2008 e "It's Blitz" dos Yeah Yeah Yeahs e "Merriweather Post Pavilion" do Animal Collective, ambos do ano passado.

Fonte: Vagalume

Empresa de cosméticos banca discos de MPB

Os novos discos de Carlinhos Brown, Vanessa da Mata e Marcelo Jeneci estão sendo gestados não com a ajuda de gravadoras, mas da Natura. A empresa de cosméticos está bancando todos os custos de produção dos álbuns. Além disso, financiará, coma ajuda de leis de incentivo fiscal, vários shows desses artistas.

A empresa não divulga quanto gasta em seu projeto Natura Musical. A iniciativa envolve ainda um programa de rádio (na Eldorado) e um site com conteúdo de música brasileira.

Segundo Renata Sbardelini, gerente de marketing institucional da marca, os artistas têm "total liberdade" para escolher como gravar os discos e distribui-los. "Não interferimos no preço do CD", diz a executiva. Em relação aos shows, ela diz que, por fazer uso de incentivo fiscal (30% dos custos; o restante é patrocínio direto), os ingressos necessariamente têm de ter preços "populares".

As gravadoras estão se tornando supérfluas? Serão extintas? Alexandre Schiavo, presidente da Sony, acha que não.

"Essa movimentação acontece no mercado americano. Aqui no Brasil é novidade. É algo saudável. É um mercado que se encontra cada vez mais diversificado e é rentável. A questão é saber como trabalhar a música diante do mercado atual. É saber se adaptar."

Para Schiavo, quem busca patrocinar um artista ou um disco procura normalmente alguém já estabelecido: "Dificilmente você encontrará uma marca disposta a dar dinheiro para alguém desconhecido".

Rafael Rossato, da Agência de Música _que cuida da carreira de Mallu Magalhães, pensa diferente: "Tem muito artista na rua, muita coisa acontecendo. E as marcas estão interessadas em entrar nesse negócio. Perceberam que podem fazer ações diretamente com os artistas, sem passar por gravadoras. Mas os artistas realmente grandes permanecerão nas gravadoras. Para as empresas de fora, é uma oportunidade de fazer negócio com artistas médios ou iniciantes".

O produtor cultural Pena Schmidt segue linha de raciocínio parecida: "Essa crise [da indústria fonográfica] já existe há algum tempo, então percebeu-se que o problema era o setor fonográfico. Esse setor dançou, mas a música vai muito bem. A música não para de ser feita, e os artistas estão se tornando autônomos. Há uma mudança de modelo muito grande, muito abrangente".

Mudança de modelo fez a agência de DJs 3Plus. A empresa está custeando o primeiro disco da celebrada banda Copacabana Club, que está sendo produzido por Dudu Marote (Pato Fu, Skank). Quando o álbum estiver pronto, será distribuído de forma singular: quem contratar o show do grupo receberá uma quantidade de CDs para comercializar ou distribuir gratuitamente.

Outra empresa namorando esse ambiente é a agência de comunicação Cinnamon. De assessoria a empresas de cinema, a Cinnamon entrou no mercado de shows pop. Em parceria com a agência Inker, fará os shows de Cat Power, Mudhoney e Yann Tiersen na Virada Paulista, em maio.

Por Thiago Ney
Foto: Edson Ruiz/Folha Imagem
Fonte: Folha Online

quarta-feira, 28 de abril de 2010

De mãos dadas com a família, Sandy lança voo solo

O trabalho é solo, mas Sandy não está voando sozinha. Em Manuscrito, primeiro álbum da cantora sem o irmão, ela conta com o apoio do - adivinhem só - próprio Junior e também de seu marido, Lucas Lima, para, pela primeira vez, ter liberdade de criação, segundo as palavras dela própria. "Eles me conhecem e não iriam trair quem sou", analisa a cantora de 27 anos na coletiva de imprensa realizada nesta terça-feira (27), em um restaurante de São Paulo.

Muito diferente do que o estilo que lhe consagrou, Sandy apresenta 11 novas músicas em um formato mais intimista, alicerçado em sua voz e em seu novo instrumento predileto: o piano. A pressa está longe de ser um elemento presente na nova carreira. Não só pela música em si, calma na grande maioria dos momentos (salvo uma batida de rock criada pelo irmão, em Quem Eu Sou), mas também pelo tempo que o álbum levou para ser feito. Foram mais de dois anos entre o fim da carreira com o irmão e a entrada em estúdio.

A tranqüilidade continua, pelo menos por enquanto. "Na teoria, estou disposta a lidar com isso (o álbum fazer sucesso ou não), mas, na prática, não sei", diz, no documentário em DVD que acompanha o álbum. Ela também diz não saber para onde a carreira irá caminhar. "Não sei que público vou atingir. Quero o público que me quiser", responde, com a segurança e a maturidade de quem vive da música há 20 anos.

"Esse papo de 99% transpiração e 1% inspiração não funciona para mim. Gosto de quando vem aquela inspiração e faço a letra em cinco minutos." A própria confessa não saber até quando poderá sentir-se "leve" assim, já que a mudança na sonoridade ainda precisa ser aprovada pelo público.

"Acho que as pessoas não comprarão (o álbum) se não gostarem realmente. As vezes até o fã vai baixar", comenta, sobre a atual situação das vendas no mercado fonográfico, apesar de também anunciar que a pré-venda do CD já chegou as 50 mil cópias.

A cantora revela ainda que as pessoas vão demorar um pouco para apreciar as canções de Manuscrito ao vivo. "Show, só no fim do ano", anuncia, apesar de já ter uma banda pronta com cinco músicos. Ela acha que tem poucas músicas para montar um espetáculo e que pode incluir algumas canções da época que se apresentava com o irmão. Mas nada está definido até agora.

É com a certeza de quem não precisa provar mais nada para ninguém, além de para si própria, que a "mais nova cara da MPB" se apresenta aos (novos?) fãs com Manuscrito, nas lojas no próximo dia de 7 maio.

Por Gustavo Pelogia
Foto: Reinaldo Marques/Terra
Fonte: Terra

De coleira, Christina Aguilera encarna a gatinha em nova foto de clipe

Cantora lança clipe da música 'Not Myself Tonight' na sexta-feira, 30.

Christina Aguilera abusa da sensualidade em seu novo clipe. O vídeo da música "Not Myself Tonight" só estreia na sexta-feira, 30, mas o site oficial da cantora já divulgou imagens do clipe. Além de aparecer cercada por fortões, a cantora poderá ser vista de coleira encarnando a gatinha. No site, os fãs podem assistir mais um pequeno trecho do clipe, em que a Christina usa chicotes e roupas sexy.

Fonte: G1

Duetos de Ivete Sangalo em CD e DVD

Chega às lojas nos próximos dias um novo lançamento da cantora Ivete Sangalo, o CD e DVD “Duetos”. Como o nome indica, o repertório desse novo lançamento reúne parcerias de Ivete e diversos outros artistas nacionais e também internacionais.

A edição em CD de “Duetos” traz 16 faixas, incluindo canções com Alejandro Sanz, Saulo Fernandes, Marcelo Camelo e Zezé Di Camargo & Luciano, entre outros. Já a edição em DVD traz três músicas a mais e algumas diferenças no repertório.

A edição em vídeo traz ainda os videoclipes de “E Agora Nós?”, com o grupo Sorriso Maroto, e “Back at One”, em parceria com o cantor norte-americano Brian McKnight. Confira o repertório do CD e do DVD:

CD
01. Corazón Partío - Alejandro Sanz
02. Estrela Cadente - Alexandre Pires
03. Se Eu Não Te Amasse Tanto Assim - Roberto Carlos
04. Teus Olhos - Marcelo Camelo
05. E Agora Nós - Sorriso Maroto
06. Não Vou Ficar - Samuel Rosa
07. Céu da Boca - Gilberto Gil
08. Por Causa de Você Menina - Jorge Ben Jor
09. Muito Obrigada, Axé - Maria Bethânia
10. Dunas - Rosa Passos
11. Não Precisa Mudar - Saulo Fernandes
12. Chão da Praça - Margareth Menezes
13. Amor que Fica - Zezé Di Camargo & Luciano
14. Sintonia e Desejo - Aviões do Forró
15. Quanto ao Tempo - Carlinhos Brown
16. Nosso Sonho/Conquista/Poder - Mc Bochecha

DVD
01. Corazón Partío - com Alejandro Sanz
02. Estrela Cadente - com Alexandre Pires
03. Se Eu Não Te Amasse Tanto Assim - com Roberto Carlos
04. Teus Olhos - com Marcelo Camelo
05. Além Mar - com Asa de Águia
06. Não Vou Ficar - com Samuel Rosa
07. Céu da Boca - com Gilberto Gil
08. Não Me Conte Seus Problemas - com Banda Eva
09. Chão da Praça - com Margareth Menezes
10. Por Causa de Você, Menina - com Jorge Ben jor
11. Ajayô - com Luiz Caldas
12. Muito Obrigado, Axé - com Maria Bethânia
13. Dunas - com Rosa Passos
14. Não Precisa Mudar - com Saulo Fernandes
15. Sintonia e Desejo - com Aviões do Forró
16. Amor que Fica - com Zezé Di Camargo & Luciano
17. Tempos Modernos - com Netinho
18. Quanto ao Tempo - com Carlinhos Brown
19. Nosso Sonho/Conquista/Poder - com MC Buchecha

Por Eduardo Guimarães
Fonte: Território da Musica

No Twitter, Mariah Carey agradece aos fãs brasileiros em português

'Eu te amo! Obrigada!’, comemorou a cantora o topo das paradas nacionais
com a música ‘I wanna know what love is’.


Radiante de alegria, Mariah Carey comemorou o topo das paradas do Brasil agradecendo aos fãs brasileiros em português. “Eu te amo! Obrigada”, escreveu a cantora em sua página no Twitter.

De acordo com o site oficial de MAriah Carey, a música “I wanna know what love is”, que está na trilha sonora de “Viver a vida”, é a canção mais executada do país pela 27ª semana consecutiva.

“O Brasil fez de novo! ‘I wanna know what love is’ em primeiro lugar por 27 semanas! Isso é um novo recorde para mim. Eu nem sei o que dizer”, escreveu Mariah, dessa vez em inglês.

Fonte: Ego/G1

terça-feira, 27 de abril de 2010

Jennifer Lopez pretende lançar disco neste ano

Jennifer Lopez disse nesta terça-feira que está se concentrando em lançar um disco novo neste ano e que está em conversações com o criador de "Glee" para participar do seriado, numa retomada de sua carreira dois anos depois de ter filhos gêmeos.

A atriz e cantora americana de 40 anos, que também fez incursões no mundo da moda, acaba de lançar nos EUA seu primeiro filme em quatro anos, "Plano B", e, depois do período que passou afastada do trabalho devido à maternidade, parece estar com pressa de atualizar-se e voltar a ter planos profissionais.

"Quando você está grávida, sente que o mais importante não é você mesma. Nesse momento você mesma se perde um pouco, e quando os bebês nascem, também. Tudo é deles, seu corpo, tudo", disse Lopez em coletiva de imprensa em Madri para divulgar o filme, durante a qual se esforçou para falar em espanhol.

Casada há seis anos com o cantor Marc Anthony, Jennifer Lopez voltou ao cinema com um filme aparentemente feito sob medida para ela, no qual interpreta uma solteira que, cansada de esperar pelo homem certo, engravida de gêmeos por inseminação artificial e, no mesmo momento, conhece aquele que parece ser seu par ideal.

O filme ficou em segundo lugar nas bilheterias norte-americanas, arrecadando 12,3 milhões de dólares em seu primeiro fim de semana em cartaz.

O filme a fez lembrar das transformações que viveu durante sua gravidez, das quais mencionou a fome, o sono e o "medo incrível" que sentiu quando se aproximava do parto.

Apesar disso tudo, ela respondeu com um "sim" inequívoco quando indagada se voltaria a passar por tudo isso. Mas não explicou como poderia encaixar outra gravidez com seus projetos profissionais, entre os quais está participar da comédia musical "Glee", um dos seriados americanos mais populares do momento, sobre um grupo de estudantes pouco populares.

"Tive uma reunião com Ryan Murphy (criador de "Glee") e acho que ele não quer que eu seja eu mesma, mas que faça uma personagem. Não será nos episódios novos que estão fazendo agora, mas talvez mais no futuro", revelou.

Antes disso, no curto prazo, Lopez pretende lançar "Love", seu primeiro álbum de estúdio em três anos, depois de ter rompido recentemente com a Sony.

"Estou trabalhando no álbum há uns oito meses e queremos lançá-lo no final do verão (no hemisfério norte)", disse a protagonista de "Dança Comigo?", anunciando também outro disco, desta vez em espanhol, para 2011.

Por Blanca Rodrígues
Foto: Herminio Rodriguez/AP
Fonte: Folha Online

Com 'Homem de Ferro 2', AC/DC lidera parada do Reino Unido

Responsáveis pela trilha sonora do segundo filme de Homem de Ferro, os australianos do AC/DC atingiram o topo da parada do Reino Unido pela terceira vez na sua carreira. Além do lançamento, a banda de Angus Young já teve seu álbum como mais vendido no país com Back In Black (1980) e Black Ice (2008).

Segundo os dados da Official Charts Company, a compilação da banda superou Wake Up The Nation, esperado CD de Paul Weller. A trilha conta com hits como Shoot to Thrill, Let There Be Rock, Thunderstruck e outros.

Já na lista dos singles, quem ficou com o topo foi Diana Vickers com o hit Once. A cantora foi semifinalista do reality show X Factor, em 2008.

Confira a parada no Reino Unido

Álbuns
1. AC/DC - Iron Man 2
2. Paul Weller - Wake Up The Nation
3. Plan B - The Defamation Of Strickland Banks
4. Meat Loaf - Hang Cool Teddy Bear
5. Scouting For Girls - Everybody Wants To Be On TV
6. Lady Gaga - The Fame
7. Paolo Nutini - Sunny Side Up
8. Kate Nash - My Best Friend Is You
9. Justin Bieber - My World
10. Florence and the Machine - Lungs

Singles
1. Diana Vickers - Once
2. Usher - OMG
3. Chipmunk feat. Esmee Denters - Until You Were Gone
4. Plan B - She Said
5. Scouting For Girls - This Ain't A Love Song
6. Professor Green - I Need You Tonight
7. Kelis - Acapella
8. Timbaland - Carry Out
9. Tina Turner - The Best
10. Selena Gomez and the Scene - Naturally

Fonte: Terra

Novo clipe de Alejandro Sanz

O cantor Alejandro Sanz apresenta o videoclipe de sua nova música "Nuestro amor será leyenda", uma canção emotiva e alegre. No clipe, o artista narra uma história de amor em 3ª pessoa. "Um amor inesperado, mas impossível", explica o site oficial do músico.

Para o cantor, a música "é uma história de amor tão forte que nem sequer à distância, que como todos sabemos é a que provoca o esquecimento, pode com ele?, explicou.
O videoclipe foi gravado em Madri, no mês de fevereiro.








Fonte: Ig

Liam e Noel Gallagher querem ex-integrantes do Oasis em respectivos novos trabalhos solo

Os integrantes do Oasis: Gem Archer, Noel Gallagher, Andy Bell e Liam Gallagher em Hong Kong (25/02/2006)

Liam e Noel Gallagher estão competindo pelos mesmos músicos de apoio. Ambos os irmãos querem trabalhar com Andy Bell e Gem Archer --ex-membros do Oasis, que se separou após uma briga entre Liam e Noel no ano passado-- em suas respectivas novas empreitadas musicais.

Enquanto Noel está compondo um álbum solo e quer que o baixista e o guitarrista o apoiem na gravação das demos de seu material, Liam formou uma nova e ainda não intitulada banda com Andy e Gem, e quer que os dois ensaiem com ele para participar dos shows que fará neste ano.

Uma fonte disse ao jornal The Sun: "é uma situação complicada para Gem e Andy. Eles estão trabalhando tanto com o Liam quanto com o Noel. O Liam começou a ensaiar as músicas de seu novo projeto, enquanto Noel também tem feito demos de suas canções. É ótimo para Gem e Andy, apesar disso. Eles são pagos duas vezes, mas é provável que dê problemas no futuro".

Noel já tem material suficiente para sua estreia solo e está pronto para começar a gravar. Ele também já se reuniu anteriormente com Gem no palco, quando o guitarrista tocou com ele em alguns shows em março.

Enquanto isso, Liam mapeou os planos para sua nova banda, dizendo que ela será menos "pesada" do que seu antigo grupo e que está planejando um álbum para o ano que vem. "Vamos ser mais musicais do que o Oasis. Não será tão cheio, com acordes pesados, sabe? Será mais sofisticado. Em junho próximo estaremos gravando nosso álbum, ou teremos terminado de gravá-lo".

Da Bang Music, em Londres
Fonte: Uol

"Discuti muito qual seria o caminho mais verdadeiro pra mim", diz Sandy sobre novo disco.

A cantora Sandy, que estreia em carreira solo nesta semana, quando é lançado (apenas para download pago) o álbum "Manuscrito", disse em entrevista à Folha que sente influência do pop britânico no trabalho.

"Tem um pouquinho da KT Tunstall, da Nerina Pallot --que, aliás, participa em uma faixa-- e do Coldplay. Depois de ouvir pronto, foi mais isso que eu pude identificar."

A cantora contou que teve uma longa discussão "consigo mesma" para chegar a uma sonoridade que representasse essa nova fase.

"Discuti muito na minha análise [ela faz terapia] qual seria o caminho mais verdadeiro pra mim", conta. Depois de muito pensar, ela diz, juntou a banda na fazenda da família e lá o disco foi nascendo.

"Ele veio sozinho. Vimos que rumo o som estava tomando", diz. "Eu fui puxando mais para o pop mesmo. Não sei nem dar nome para esse estilo musical. E acho bom, assim não rotulo. Mas não é o pop que fazia com meu irmão. Muito menos é pop MPB, nada disso."

Por Marcus Preto
Foto: Paschoal Rodriguez/Divulgação
Fonte: Folha Online

segunda-feira, 26 de abril de 2010

Vocalista do Erasure lança segundo disco solo

Andy Bell ficou famoso como metade da dupla Erasure junto de Vince Clarke (ex-Depeche Mode e ex-Yazoo); ele é o vocalista deste consagrado expoente do synthpop dançante. Diz a lenda que a dupla foi formada após um anúncio de jornal, anônimo, postado por Vince, que procurava por um vocalista para um novo projeto musical.

Ele foi o 43° candidato a fazer uma audição e acabou sendo aprovado. O Erasure começou em 1985, emplacando ao longo da carreira, uma série de hits como: A Little Respect, Blue Savannah, Stop!, Drama!, Chorus, Love To Hate You, Oh L'Amour, Always , Sometimes, Ship Of Fools e Star.

A estréia em disco foi com Wonderland, de 1986, mas sem muito alvoroço; a consagração internacional só viria em 1998, com o disco The Innocents. Hoje, com mais 15 discos gravados e 40 milhões de discos vendidos em todo o mundo, o grupo continua na ativa. Em 2005, Andy lançou seu primeiro disco solo, Eletric Blue e agora volta com Non Stop.

Muito antes de Rick Martin sair do armário, Andy já era assumidamente gay e em 2005, revelou ser HIV positivo, desde 1998.

Por Roberto Maia

Amy Winehouse grava músicas novas pela primeira vez em quatro anos

Quatro anos depois de lançar "Back to Black", Amy Winehouse voltou aos estúdios para gravar músicas inéditas. Segundo o jornal britânico "The Guardian", a cantora e o produtor Mark Ronson passaram o último final de semana em estúdio e saíram de lá com três novas faixas para um tributo a Quincy Jones.

Há um ano, Jones convidou Winehouse para participar de uma homenagem a sua carreira. A ideia era de que a cantora fizesse uma versão para "You Don't Own Me", de Lesley Gore, mas isso nunca aconteceu. Na entrevista ao "Guardian", o pai dela, Mitch, não disse se dessa vez Winehouse gravou a faixa.

Mark Ronson também produziu os grandes sucessos de Amy, como "Rehab" e "You Know I'm No Good". A parceria entre os dois músicos se repetiu no disco solo de Ronson, "Version", de 2007.

Fonte: Uol

'Violões', de Cássia Eller, ganha excelente edição em DVD

Após dois grandes álbuns de caráter quase underground, Cássia Eller (1990) e O Marginal (1992), a voz selvagem de Cássia Eller (1962 - 2001) começou a ser domesticada pela indústria fonográfica. A artista baixou os tons e gravou em 1994 disco de pegada mais pop, intitulado Cássia Eller. As músicas deste CD, que trouxe no repertório os hits E.C.T. e Malandragem, foram a matéria-prima do show Violões, que ganha sua primeira edição em DVD via Universal Music.

Rubens e Blues da Piedade

Violões foi gravado ao vivo e editado em CD em 1996. Mas a gravação em vídeo, captada no Teatro Franco Zampari em São Paulo para um especial da TV Cultura, permanecia inédita em DVD. E o fato que é o registro está à altura da videografia de Cássia. A qualidade da imagem é boa e o áudio, mesmo sem oferecer a opção 5.1, não soa abafado como muitas gravações extraídas de programas de televisão. Ao contrário, tem volume.

Dos 14 números exibidos no programa, dois - Rubens e Blues da Piedade - não tinham sido editados em CD. Rubens, em especial, é exemplo de como o canto de Cássia crescia no palco. Gravada pela artista em seu primeiro disco, a música de Mário Manga aborda com fina ironia a questão do sexo gay.

Eram três os violões do show: o de Cássia (ausente apenas em Música Urbana 2), o de Walter Villaça e o de Luce Nascimento. Somados à voz áspera da cantora, os violões conferem peso e atitude a músicas como Socorro e Metrô Linha 743 (faixa-título do LP lançado por Raul Seixas em 1984). Violões, o show, tinha pegada. Analisado em retrospectiva, ele representa momento de transição na carreira de Cássia, que após um pesado disco ao vivo de 1998, ficaria definitivamente pop em 1999. Até sair (cedo) de cena em 2001.

Por Mauro Ferreira
Fonte: O Dia/ Terra

sexta-feira, 23 de abril de 2010

Encontro de Roberto Carlos e cantores sertanejos chega às lojas em maio

Está programado para o início do próximo mês o lançamento do novo trabalho do cantor Roberto Carlos. Este novo disco, chamado “Emoções Sertanejas”, traz o registro do show realizado em 17 de março em São Paulo que reuniu diversos convidados.

Esta apresentação fez parte da série de eventos especiais que estão sendo realizados em comemoração aos 50 anos de carreira do cantor. O primeiro show comemorativo, batizado como “Elas Cantam Roberto”, já foi lançado em CD há alguns meses.

“Emoções Sertanejas” reuniu no palco do Ginásio do Ibirapuera grandes nomes da música sertaneja como Bruno & Marrone, Chitãozinho & Xororó, César Menotti & Fabiano, Gian & Giovani e Milionário & Zé Rico, entre outros.

Também dividiram o palco Almir Sater, Sérgio Reis, Daniel, Dominguinhos, Leonardo e as cantoras Roberta Miranda, Martinha, Nalva Aguiar e Elba Ramalho.

O DVD como registro do show em vídeo deve ser lançado posteriormente.

Por Eduardo Guimarães
Fonte: Territorio da Musica

Atletas dos toca-discos fazem final de campeonato em SP

Discotecar pode ser muito mais do que escolher músicas dançantes. No "turntabilismo", ao menos, o DJ é como um atleta dos toca-discos. "A categoria requer as mesmas habilidades que um esporte. Técnicas específicas, agilidade, concentração e muito treino", afirma o DJ Big Edy, um dos organizadores do campeonato 4/4 Batidas e Scratches, que tem final marcada para domingo, às 17h, com entrada gratuita na vitrine da Galeria Olido.

O evento reúne DJs de todo o país para selecionar o melhor "turntabilista". Os participantes têm poucos minutos para fazer as performances --se utilizando de duas pick-ups (toca-discos especiais), um mixer e seus discos-- e são avaliados por suas capacidades de construir batidas, fazer scratches e, consequentemente, empolgar o público. Do júri participam três renomados DJs do estilo.

Ao contrário das eliminatórias, em que os DJ's se apresentavam seguidamente, com três minutos de performance, as finais acontecem no formato "mata-mata", em que apenas o vencedor dos confrontos passa para a fase seguinte. Cada batalha tem dois rounds, com dois minutos e meio no total.

O 4/4, primeiro campeonato de "turntabilismo" nesse formato do país, está apenas em sua segunda edição. O vencedor do último ano, DJ Abade, já está classificado para as finais, mas não nega a pressão. "Dá um nervosismo na hora de tocar, tem que se concentrar muito", diz ele.

O campeonato conta com apoio de prefeitura e governo de São Paulo. Questionado se essa oficialização do hip-hop não pode prejudicar seu caráter combativo, Big Edy nega. "Quer mais protesto do que usar as armas do sistema para se defender?". E explica: "Usar essa ferramenta é devolver às pessoas o que elas pagam. Estamos promovendo a cultura do povo".

A competição ocorre em clima descontraído, com a presença não só de jovens, mas também de adultos e crianças, favorecidos pelo horário.

Nova safra e profissionalização

Segundo Big Edy, existe uma nova safra de DJ's com performances muito diferentes das que se viam antes. O "turntabilismo" surgiu na segunda metade dos anos 80 e se fortaleceu nos 90, com DJ's que vinham das experiências nas pistas.

"Entre os DJ's de hoje, muitos começam direto no 'turntabilismo'. Eles têm muita técnica e trabalhos bem detalhados, mas às vezes falta aquela essência das pistas, aquele 'feeling' do que fazer em cada momento."

Segundo o DJ Abade, que já toca há mais de dez anos, mesmo com uma maior profissionalização da categoria nos últimos anos, ainda não é possível tirar dinheiro com a prática. "Por enquanto, só dá pra ganhar algo discotecando em festas. No 'turntabilismo' tem os prêmios, mas não dá pra viver disso". O vencedor do 4/4 leva um par de toca-discos profissional e um mixer.

Serviço

Onde: Vitrine da Galeria Olido (av. São João, 473, informações: Margem Produções, tel 0/xx/11/7107-5781)
Quando: domingo, a partir das 17h.
Quanto: Entrada gratuita.
Classificação: crianças acompanhadas dos pais

Por Marcos Grinspum Ferraz
Foto: Zanone Fraissat/Folha Imagem
Fonte: Folha Online

quinta-feira, 22 de abril de 2010

Black Eyed Peas - I Gotta Feeling

I gotta feeling that tonight's gonna be a good night
that tonight's gonna be a good night
that tonight's gonna be a good good night (x3)

Tonight's the night night
Let's live it up
I got my money
Let's spend it up

Go out and smash it
like Oh My God
Jump off that sofa
Let's get get OFF

I know that we'll have a ball
if we get down
and go out
and just loose it all

I feel stressed out
I wanna let it go
Lets go way out spaced out
and loosing all control

Fill up my cup
Mozoltov
Look at her dancing
just take it off

Lets paint the town
We'll shut it down
Let's burn the roof
and then we'll do it again

Lets Do it (x3)
and live it up

i gotta feeling that tonight's gonna be a good night
that tonight's gonna be a good night
that tonight's gonna be a good good night (x2)

Tonight's the night
let's live it up
I got my money
Lets spend it up

Go out and smash it
Like Oh My God
Jump off that sofa
Lets get get OFF

Fill up my cup (Drink)
Mozoltov (Lahyme)
Look at her dancing (Move it Move it)
Just take it off

Lets paint the town
We'll shut it down
Lets burn the roof
and then we'll do it again

lets do it (x3)
let's live it up

Here we come
here we go
we gotta rock

Easy come
easy go
now we on top

Feel the shot
body rock
Rock it don't stop

Round and round
up and down
around the clock

Monday, Tuesday,
Wednesday, and Thursday
Friday, Saturday
Saturday to Sunday

get get get get get with us
you know what we say
Party every day
pa pa pa Party every day

and I'm feelin
that tonight's gonna be a good night
that tonight's gonna be a good night
that tonight's gonna be a good good night

i gotta feeling tonight's gonna be a good night
that tonight's gonna be a good night
that tonight's gonna be a good good night








Fonte: Ig

O Rappa - Súplica Cearense

Composição: Luiz Gonzaga

Oh! Deus, perdoe esse pobre coitado, que de joelhos rezou um bocado, pedindo pra chuva cair, cair sem parar.
Oh! Deus será que o senhor se zangou, e é só por isso que o sol se arretirou, fazendo cair toda chuva que há .
Oh! Senhor, pedi pro sol se esconder um pouquinho, pedi pra chover, mas chover de mansinho, pra ver se nascia uma planta, uma planta no chão.
Oh! Meu Deus, se eu não rezei direito, a culpa é do sujeito, desse pobre que nem sabe fazer a oração.

Meu Deus, perdoe encher meus olhos d\'água, e ter-lhe pedido cheio de mágoa, pro sol inclemente, se arretirar, retirar.
Desculpe, pedir a toda hora, pra chegar o inverno e agora, o inferno queima o meu humilde Ceará.
Oh! Senhor, pedi pro sol se esconder um pouquinho, pedi pra chover, mas chover de mansinho, pra ver se nascia uma planta, planta no chão.

Violência demais, chuva não tem mais, corrupção demais, política demais, tristeza demais. O interesse tem demais!
Violência demais, fome demais, falta demais, promessa demais, seca demais, chuva não tem mais!
Lá no céu demais, chuva tem, tem, tem, não tem, não pode tem, é demais. Pobreza demais, como tem demais!

Falta demais, é demais, chuva não tem mais, seca demais, roubo demais, povo sofre demais.

Oh! demais.
Oh! Deus.
Oh! Deus. Só se tiver Deus. Oh! Deus.
Oh! fome. Oh! interesse demais, falta demais...








Fonte: Ig

Ivete grava com Genival Lacerda

A cantora Ivete Sangalo vai estar presente no próximo cd do forrozeiro Genival Lacerda. Juntos, eles gravaram a faixa “Chevete de Menina” no estúdio da casa da cantora, em Salvador.

“Foi muito divertido. Ele é genial e quando balança aquela barriguinha dele é um sucesso. Amo o Genival”, pontuou Ivete Sangalo.

Em tempo: a cantora baiana comemora os bons resultados na venda de ingressos para a gravação de seu próximo dvd, que vai acontecer no dia 4 de setembro, no Madison Square Garden, em Nova York. Uma semana depois de iniciadas as vendas, 40% das entradas já foram comecializadas.

Fonte: Uol

Concord Music distribuirá obra solo de Paul McCartney

Paul McCartney chegou a um acordo com a companhia Concord Music Group para que explore sua discografia solo, incluindo o material produzido pelo grupo Wings.

O contrato, como foi anunciado hoje pela companhia, inclui os direitos para comercializar a obra de Paul desde o início da carreira solo, nos anos 70. Desde então, foram feitos álbuns como Ram, Tug of War, Pipes of Peace e Flaming Pie.

Paul McCartney e a Concord chegaram a lançar em 2007 o disco Memory Almost Full, mas durante os últimos anos a coleção de obras do ex-Beatle era distribuída pela EMI.

A Concord deve lançar em agosto uma reedição do álbum do Wings, Band On the Run (1973), que ganhou quatro discos de platina.

Fonte: Agência EFE/Virgula

quarta-feira, 21 de abril de 2010

50 anos de Brasília: 10 artistas que moldaram o som da cidade

No aniversário de 50 anos de Brasília, o site Virgula faz uma homenagem ao groove candango. Seja rock, hip hop, MPB ou eletrônico, Brasília foi responsável por muito som bom em nossas vidas.

Eis aqui dez artistas fundamentais do Distrito Federal, em ordem mais ou menos cronológica, comentados pelo nosso time de jornalistas mais um convidado de honra, Alexandre Matias, editor do caderno Link, do Estado de S. Paulo, e brasiliense da gema. Muitos vão chiar pela falta de alguns nomes, mas a lista é baseada em opiniões pessoais, só queríamos por 10 e a gente queria incluir gêneros diferentes.

LEGIÃO URBANA por Alexandre Matias

Se o rock dos anos 80 foi a oxigenação atrasada que nosso pop pedia desde os tempos do tropicalismo, para Brasília - e graças ao Legião Urbana - foi o momento da criação. Antes do Legião não havia nada na capital, basicamente porque Renato Russo bolou toda a história de sua carreira calcado na mitologia clássica do rock. Foi a transformação do Legião Urbana em porta-voz de uma cidade que não era vista como uma cidade que fez com que Brasília nascesse culturalmente, tanto para o resto do Brasil quanto para si mesma.

E de uma hora pra outra bandas surgiram feito mato - no final dos anos 80 eram mais de duas centenas. O Legião foi a injeção de auto-estima que fez com gerações seguintes pudessem existir - dos contemporâneos (Capital Inicial, Plebe Rude, Finnis Africae, Detrito Federal, Arte no Escuro, 5 Generais, Beta Pictoris) à safra dos anos 90 (DFC, Raimundos, Low Dream, Little Quail, Oz, Câmbio Negro, Maskavo Roots) passando pela geração Senhor F / Porão do Rock (que inclui nomes tão diferentes quanto Natiruts, Prot(o) e Móveis Coloniais de Acaju), todos foram diretamente influenciados pelo indie popular do grupo de Renato Russo. De Gabriel Thomaz ao Nego Moçambique, ninguém saiu ileso.

E posso falar: nasci em Brasília, o primeiro show que fui na vida foi o lançamento do Dois no Ginásio Nilson Nelson, fui ao fatídico show no estádio Mané Garrincha e entrevistei Renato Russo no ano em que comecei no jornalismo. Vi tudo isso acontecendo na minha frente.

PLEBE RUDE por Camilo Rocha

Eles não tiveram a mesma popularidade do Legião, nem a longevidade do Capital Inicial, mas o Plebe Rude é uma peça fundamental para entender o rock que surgiu nos anos 80 em Brasília. Mais underground e mais barulhento do que os outros dois, a Plebe tinha também uma postura bem mais panfletária.

Dos três, era o que mais mantinha viva a conexão sonora com suas origens punk. As letras militantes da banda iam direto ao ponto: enquanto algumas eram típicas do tempo da ditadura militar ("Tropas de choque, PM's armados mantêm o povo no seu lugar" de "Proteção") outras continuam atuais ("Com tanta riqueza por aí/Onde é que está/Cadê sua fração" em Até Quando Esperar).

Liderada por Philippe Seabra e André Jung, a Plebe lançou cinco álbuns de estúdio, dois ao vivo, uma caixa e duas coletâneas. Segue tocando, assim como o Brasil segue fornecendo assunto para letras indignadas.

OS RAIMUNDOS por Jean Felipe

Os Raimundos praticamente ensinaram ao Brasil o que era o hardcore. Claro, já havia bandas que tocavam o estilo há anos (vide Ratos de Porão, Olho Seco e D.F.C. por exemplo), mas foi o quarteto brasilense que tirou o gênero do underground e o colocou nas rádios do Brasil.

Os Raimundos, que surgiram em Brasília no começo dos anos 90, foram uma das maiores bandas de rock que o Brasil já teve. Formado por Digão, Canisso, Fred e Rodolfo, quatro fãs de Ramones e punk “das antiga”, o grupo foi fenômeno de vendas e lotou estádios no seu auge. São incontáveis os seus clássicos: Puteiro em João Pessoa, Selim, Eu Quero é Ver o Oco, I Saw You Saying, só para citar alguns.

Mesmo que o grupo hoje se encontre desfalcado de sua formação clássica, que não lote shows e que tenha Tico Santa Cruz como vocalista, o Raimundos cumpriu a sua verdadeira missão: disseminar a música pesada para milhares de brasileiros.

LITTLE QUAIL por Denis Moreira

No começo dos anos 90, mesma época em que o Raimundos explodiu no rock nacional com sua genial mistura de forró e hardcore, outra banda de Brasília e tão boa quanto eles surgiu, mas infelizmente não teve a mesma sorte: o Little Quail and the Mad Birds.

Formado por Gabriel Thomas (voz e guitarra, hoje do Autoramas), Zé Ovo (baixo) e o mão-pesada Bacalhau (atual baterista do Ultraje a Rigor), o grupo investia em uma versão pesadona do rockabilly, misturando-o com punk, pop e poesia adolescente em estado bruto – as letras eram irônicas e engraçadas, mas sem palavrões ou grosserias. E ainda teve a cara-de-pau de fazer um cover rock/zoeira de Samba do Arnesto, o velho clássico de Adoniran Barbosa.

Em poucos anos de vida, o Little Quail lançou os ótimos CDs Lírou Quêil en de Méd Bãrds (1994) e A Primeira Vez Que Você Me Beijou (1996) – se você nunca os ouviu, corra atrás agora! – e encerrou atividades, deixando órfã uma legião de fãs em todo o Brasil. Entre eles, este jornalista e outros tantos, para quem os brasilienses são um dos grupos mais injustiçados da história do rock nacional.


NATIRUTS por Luiz Filipe Tavares

No Brasil, o reggae sempre foi mais pra baião do que pra ska e mais pra cangaçeiro do que pra rastafari, exceto por poucos e ótimos exemplos como Edson Gomes, Gilberto Gil e outros.

Quando o Natiruts (antes Nativus) apareceu em 1996, veio soprar de volta os ventos jamaicanos para o cenário brasileiro do reggae, que já andava carente depois da desistência do Skank e do Cidade Negra em manter o estilo mais tradicional, mais "roots".

Sem eles, o reggae já teria saído das paradas do país há muito mais tempo.

CÂMBIO NEGRO por Carol do Patrocínio

Câmbio Negro mudou o eixo do rap brasileiro. Focado em São Paulo, o rap teve seu sotaque, gírias e realidade mudados em 1990, quando o grupo da Ceilândia - periferia de Brasília - começou os trabalhos que culminariam no CD Sub Raça, um marco na cena hip hop nacional, em
julho de 1993.

O disco levou o rap brazuca para viajar. Japão, Espanha e Portugal tiveram acesso a produção brasileira e gostaram do que ouviram. O grupo seguiu com o disco Diário de um Feto (1996), já tendo incorporado um baixista, um guitarrista e um baterista ao grupo. Em 1999 foi lançado o terceiro eúltimo trabalho do Câmbio Negro, com título homônimo.

A importância do Câmbio Negro se dá não apenas pela abertura do mercado em Brasília, mas por ter tido coragem e audácia de tocar com uma banda quando o rap nacional ainda era apenas MC e DJ, samplear AC-DC e Gerson King Combo sem ter medo dos ouvidos menos preparados e tornar o Distrito Federal um lugar diferente do que apenas a capital política do país. Câmbio Negro tornou nacional a discussão sobre opressão, preconceito racial e segregação social.

ZÉLIA DUNCAN por Marina Alves

Zélia Duncan, para Brasília, era Zélia Cristina. Apesar de carioca, a cantora carrega em sua carreira uma sementinha da cidade que hoje completa 50 anos. Foi na Sala Funarte – onde novos artistas ganhavam espaço para se apresentar – que, segundo a própria Zélia, recebeu “uma opção de vida definitiva” e um destaque especial graças a sua voz rouca.

Das terras candangas decolou para o resto do Brasil: depois e se apresentar no Teatro Municipal de Brasília abrindo para Luiz Melodia, Zélia foi selecionada para representar a cidade no Projeto Pixinguinha por vários estados e não parou até se consolidar, atualmente, como uma das mais respeitadas artistas da MPB.

E sempre é bom lembrar que muito poucas teriam condições de substituir Rita Lee nos Mutantes e fazer bonito. Zelia fez.

LOW DREAM por Stefanie Gaspar

O trio Low Dream, formado por Giulliano, Giovanni e Samuel, surgiu em 1991, inspirado no som de grupos como My Bloody Valentine. Os músicos estouraram após o lançamento da demo Dreamland, um aperitivo antes do lançamento do primeiro álbum oficial da banda, intitulado Between My Dreams and the Real Things.

A sonoridade da banda fazia sucesso, e logo se tornou bem conhecida fora do circuito brasiliense - mas a festa durou pouco, já que o grupo terminou logo após o lançamento de seu segundo e último CD, Reaching For Balloons. Giulliano Fernandes, entretanto, continuou na ativa, investindo nas picapes sob o pseudônimo de DJ Hopper.


MÓVEIS COLONIAIS DE ACAJU por Tiago Agostini

O Móveis Coloniais de Acaju construiu sua reputação em cima dos palcos. Formado em 1998, o grupo sabe fazer um show divertido, participativo e empolgante como poucos artistas no Brasil, graças à energia e disposição de seus integrantes ao vivo e, sem dúvida, ao carisma e simpatia do vocalista Andre Gonzalez.

Fã confesso de Wilson Simonal, André leva para o Móveis boa parte dos truques de seu ídolo, como a famosa divisão de vozes que o cantor promovia em Meu Limão, Meu Limoeiro. A mistura suingada de ska e ritmos do leste europeu do primeiro disco, Idem, lançado em 2005, contribuiu significativamente para as performances. Faltava ao Móveis, no entanto,um grande disco de canções como cartão de visitas.

Para isso, recrutaram o produtor Carlos Eduardo Miranda, importante figura para o rock de Brasília ao produzir o Little Quail e o Raimundos. Junto com ele, o Móveis concebeu e gravou C_mpl_te, lançado ano passado e que foi figurinha fácil em todas as listas de melhores de 2009. Você confere a performance contagiante do grupo no vídeo abaixo, registrado no show de gravação de um DVD para o Canal Brasil, que será lançado em breve.

NEGO MOÇAMBIQUE por Vitor Ângelo

Se existe uma tradução musical da ginga das curvas arquitetônicas de Oscar Niemeyer, ela seria feita por Nego Moçambique.

O produtor musical de Brasília tem dois álbuns lançados, Nego Moçambique, de 2003, e La Rumba Computer, de 2007, ambos uma bela síntese da fusão dos ritmos africanos e brasileiros com a batida eletrônica, sem cair em nenhum folclore ou regionalismo em um trabalho extremamente autoral.

Shakira vai se apresentar no Festival de Glastonbury

Após anunciar a maior parte de suas atrações na semana passada, a organização do Festival de Glastonbury revelou hoje que Shakira também fará parte de suas atrações, informa o site NME.

"Glastonbury é famoso por ter um dos melhores públicos de festival. Tenho certeza de que me divertirei muito", afirmou a cantora, segundo o site do "Daily Mirror".

A cantora colombiana deve subir ao palco Pyramid no dia 26 de junho, um sábado.

Além dela, o festival terá atrações como Muse, U2, e Stevie Wonder.

Foto: Kerstin Joensson/AP
Fonte: Folha Online

Lady Gaga grava disco novo no ônibus de turnê

Lady Gaga está gravando seu disco novo dentro do ônibus da sua atual turnê "The Monster Ball".

A cantora tem um estúdio em seu ônibus, e segundo o cantor Akon, Gaga já gravou algumas músicas "loucas" para seu terceiro disco.

Em entrevista à revista norte-americana "Vibe", Akon revelou que vai se encontrar com a cantora na Europa para gravarem algumas faixas.

"Gaga é como eu. Ela tem um ônibus de turnê com um estúdio. Algumas das músicas que ouvi são loucas. Ela está ficando melhor e maior", contou o cantor.

Segundo Akon, que contratou Gaga para seu selo Kon Live Distribution em 2008, trabalhar com Lady Gaga é fácil, pois a cantora é muito focada em seu trabalho.

"No fim das contas, tudo o que eu faço é ouvir as músicas que Gaga escreveu e as aprovo para o disco. Ela trabalha com outros produtores além de mim que estão fazendo músicas incríveis", disse Akon.

"A beleza disso é que ela sabe exatamente o que quer. Então tudo fica mais simples para mim."

Lady Gaga, de 24 anos, disse anteriormente que tem escrito músicas novas durante a turnê, e que achou a cidade de Liverpool particularmente inspiradora.

Da Bang Music, em Londres
Fonte: Uol

Kylie Minogue está de volta com single e novo álbum

LONDRES (Reuters) - A popstar australiana Kylie Minogue volta à cena musical em junho com uma nova canção, "All the Lovers", a primeira faixa de seu álbum "Aphrodite". É o primeiro álbum com novas canções desde "X", de 2007, e seu 11o gravado em estúdio.

"O single foi uma das últimas faixas compostas para o álbum. Quando eu o estava gravando, sabia que 'All the Lovers' tinha de ser o primeiro. Ele condensa a euforia do álbum perfeitamente", disse a cantora, de 41 anos, em um comunicado.

"Cheguei a ficar com alergia na pele, por isso estou muito ansiosa por saber o que todo mundo achou", disse.

Segundo um comunicado de sua gravadora Parlophone, que integra a EMI, a cantora celebra "suas raízes na pista de dança" neste álbum, que teve como produtor executivo Stuart Price.

Além de Minogue, a lista de compositores inclui Price, Calvin Harris, Jake Shears, Nerina Pallot e Tim Rice-Oxley, do Keane. "All the Lovers" chega às lojas britânicas em 28 de junho e "Aphrodite", em 5 de julho.

Minogue está constantemente nas paradas de sucesso de seu país e da Grã-Bretanha, onde vive. Ela vendeu mais de 60 milhões de discos, mas ainda tem de conquistar o mercado dos Estados Unidos, onde fez shows pela primeira vez em 2009.

A cantora teve câncer de mama em 2005, mas retomou a vida artística depois de recuperada da cirurgia e quimioterapia. Em 2008, ela fez uma turnê mundial por mais de 20 países.

Por Mike Collett-White
Fonte: Reuters/Uol

segunda-feira, 19 de abril de 2010

Rihanna vai para a liderança das 10 mais tocadas do Brasil

Rihanna volta a liderar as paradas nacionais. Seu sucesso internacional, Rude Boy, sobe para a primeira posição do ranking. A dupla sertaneja Bruno & Marrone permanece firme no segundo lugar das paradas com o hit Pode ir Embora. A dupla dinâmica Lady Gaga e Beyoncé caem para a terceira posição com a canção Telephone.

Veja o restante das 10 mais ouvidas da Hot 100 Brasil:

1. Rihanna
Rude Boy

2. Bruno & Marrone
Pode ir Embora

3. Beyoncé & Lady Gaga
Video Phone

4. Rihanna ft. Young Jeezy
Hard

5. Justin Bieber ft. Ludacris
Baby

6. Parangolé
Rebolation

7. Black Eyed Peas
Imma Be

8. Iyaz
Replay

9. Edward Maya ft. Vika Jigulina or Alicia
Stereo Love

10. Pitty
Fracasso



Por Jean Felipe
Fonte: Virgula