sexta-feira, 25 de junho de 2010

Há um ano, a morte transformava Michael Jackson em mito

LOS ANGELES - Milhares de fãs em todo o mundo celebram vigílias para lembrar, esta sexta-feira, o primeiro aniversário da morte de Michael Jackson, o superastro do pop, último artista a bater recordes de venda de discos no planeta, mas que sucumbiu aos vícios de seu universo excêntrico.

De Tóquio a Nova York, museus, fãs e parentes do Rei do Pop homenagearão o artista de danças espetaculares que morreu aos 50 anos, em 25 de junho de 2009, vítima de uma parada cardíaca provocada por overdose de anestésicos na mansão, em Beverlly Hills, onde vivia com seus três filhos.

Em Gary, cidade de Indiana (centro-norte), onde nasceram os Jacksons, a matriarca da família, Katherine Jackson, celebrará o único ato oficial em homenagem ao músico de que se tem notícia e inaugurará um monumento ao seu filho mais famoso perto da pequena casa, de dois quartos, onde começou, há mais de 40 anos, a ser costurado o mito artístico.

Depois do ato será celebrada uma vigília com velas em frente à casa, onde confirmaram presença algumas figuras conhecidas para esta cidade operária e humilde a sudeste de Chicago.

Espera-se que milhares de fãs de Jackson visitem os jardins do cemitério Forest Lawn Memorial Park, no subúrbio de Glendale, ao norte de Los Angeles, onde repousam em um mausoléu, desde setembro, os restos mortais do intérprete de "Thriller".

No meio do dia também se espera a visita ao cemitério de alguns membros da família.

As autoridades deste parque informaram que os visitantes, esta sexta-feira, serão autorizados a caminhar nos arredores do mausoléu neoclássico, mas sem ter acesso diretamente ao local.

Na noite de quinta-feira, vários fãs do artista já tinham começado a chegar a este cemitério, ignorando as advertências da polícia sobre a proibição de acampamentos noturnos nos arredores do local.

Os seguidores de Jackson também esperam prestar um tributo na casa da família do cantor em Encino, arredores de Los Angeles, não muito longe do cemitério e por onde desfilaram multidões com oferendas florais, após a morte no ano passado.

Em Tóquio, por sua vez, os 50 fãs mais devotos de Jackson celebrarão o aniversário em uma festa do pijama que, mediante o pagamento de uma entrada de 1.100 dólares poderão dormir com algumas das peças mais apreciadas por seu ídolo.

As pessoas passarão a noite de sexta-feira velando as luvas cravejadas cristal de Jackson, roupas de show, prêmios e outras 300 peças do homem criador do "Moonwalk".

Os 50 fãs - um por cada ano de vida de Jackson - foram selecionados entre 10.000 candidatos que queriam passar a noite na Torre Tóquio onde está em exibição a Coleção da Terra do Nunca, disse Matt Taylor, porta-voz da organização.

"Vai ser uma noite maravilhosa para as 50 pessoas que chegarem a ficar com os acessórios mais queridos de Michael, as coisas que estavam mais perto dele", disse Taylor, acrescentando que várias organizações não-japonesas estão entre as eleitas.

Uma rede de televisão prepara um show, à noite, do qual participarão, entre outros artistas, Christina Aguilera e, no sábado, será organizado um concerto no hotel Beverly Hills, ao qual assistirão alguns integrantes da família Jackson.

Fonte: Agência AFP/Uol

Nenhum comentário: