Rubenildo Metal: Cidadão comum que faz coisas incomuns

Cidadão comum que faz coisas incomuns


Em 1989, a Av. Presidente Dutra na BR 116, conhecida como Rio Bahia, cortando Vitória da Conquista ao meio, era chamada Avenida da Morte, pelo número assustador de acidentes com vítimas fatais, seqüelas irreparáveis, perdas e danos etc. Naquele ano, André Cairo deitou na Rodovia, fazendo as carretas pararem, enquanto o chamavam de doido. No outro dia criou o Movimento Contra a Morte Prematura - MCMP, realizando protestos, apoio da Imprensa, resultando na instalação de quebra molas, resolvendo o problema, enquanto o MCMP solicitava um desvio. Em seguida, o Movimento interferiu nas questões ecológicas, estruturais, trânsito, deficiente, segurança, saúde, AIDS, cumprimento rigoroso das Leis, etc., e continuavam chamando André de doido, maluco.

Completados 25 anos sem tirar férias, saindo do trabalho para trabalhar como um doido, e 22 anos com o MCMP, alcançando 215 vitórias em benefício da comunidade, reconhecido pelos Três Poderes, por Homens de Consciência, Entidades, Instituições, Órgãos de Imprensa, etc., André Cairo, palestrante com 12 Temas, 38 Personagens pela vida, Ufólogo, Ambientalista, Astrônomo, Músico, Compositor, Poeta, Escritor, Artista Plástico etc., continua sendo chamado de maluco. Afinal, com tantos resultados transformadores, que maluquice é essa? “Nesse contexto, se as doidices que faço obtêm resultados positivos, o que falta para os faltosos?“ Conclui!

ASCOM do MCMP

Charge:
Luciano