segunda-feira, 3 de outubro de 2011

Rock in Rio - Com Amy Lee tímida, Evanescence alterna músicas novas e velhas







Como o Coldplay na noite anterior do festival, o Evanescence também escolheu ter seu ainda não lançado disco como base do show deste domingo no Palco Mundo, antes de Guns N' Roses e System of a Down.

Em uma hora e dez minutos, a vocalista Amy Lee e seus companheiros tocaram 13 canções, sendo seis de "Evanescence", terceiro CD do quinteto que será lançado no dia 11 deste mês.

Na maior parte da apresentação, a banda americana alternou músicas novas e as dos dois primeiros discos, "Fallen" (2003) e "The open door" (2006), que tiveram 20 milhões de cópias vendidas em todo mundo.

Amy passa o show inteiro com a boca escancarada e não decepciona nos vocais. "Bring me to life", última canção do show, foi o ponto alto da interação com os fãs. Sem o ex-guitarrista John LeCompt para dividir os refrões com ela, a plateia entoou as partes cantadas pelo músico, que saiu da banda.

A terceira vinda do Evanescence ao Brasil mostrou novas candidatas a hits como as agitadas "What you want", que abriu a apresentação, e "Sick", as duas na linha de "Going under", hit cantado sem tanto entusiasmo pelos fãs. Tocada logo após a balada "My immortal", a emotiva "My heart is broken" tem boas frases de piano. Na próxima turnê do Evanescence, talvez a recepção seja um pouco mais acalorada.

Por Braulio Lorentz Do G1, no Rio
Fotos: Felipe Dana/AP - Flavio Moraes/G1

Nenhum comentário: