sexta-feira, 22 de março de 2013

Yoko Ono protesta contra armas com foto dos óculos de Lennon ensanguentados


Na última quarta-feira (20), data que marca 44 anos do casamento de Yoko Ono e John Lennon, a viúva do ex-Beatle usou seu Twitter para pedir maior controle no uso de armas de fogo nos Estados Unidos.

Yoko publicou uma foto dos óculos de Lennon ensaguentados junto com uma série de três mensagens. "Mais de 1.057.000 pessoas foram mortas por armas nos Estados Unidos desde que John Lennon foi baleado e morto em 8 de dezembro de 1980", escreveu.

"31,537 pessoas são mortas por armas nos Estados Unidos todos os dias. Nós estamos transformando esse lindo país em uma zona de guerra", diz a segunda mensagem.

O terceiro post de Yoko diz: "Juntos, vamos fazer a América voltar a ser uma terra de paz. A morte de um ente querido é experiência que esvazia. Após 33 anos nosso filho Sean e eu ainda sentimos saudades".

A foto
A  imagem divulgada por Yoko em seu Facebook é um recorte de uma foto tirada por ela ao receber da polícia os pertences do marido, logo após Lennon ter sido assassinado por Mark Chapman do lado de fora do Edifício Dakota, em Manhattan, em 1980, aos 40 anos. Fã de Beatles, Chapman foi condenado à prisão perpétua.

A imagem original mostra os óculos de Lennon cobertos de sangue ao lado de um copo d'água. Ao fundo, é possível ver a paisagem de Nova York, a partir da janela do apartamento do casal.

Seis cópias da imagem foram feitas em 1994. Yoko Ono presenteou amigos com quatro cópias e guardou uma delas, que mais tarde foi usada na capa de seu disco "Seasons of Glass". 

Fonte: UOL

quarta-feira, 20 de março de 2013

Cantor Emílio Santiago morre no Rio


O cantor Emílio Santiago, de 66 anos, morreu na manhã desta quarta-feira (20) no Hospital Samaritano, em Botafogo, na Zona Sul do Rio. De acordo com o hospital, o artista morreu em função de complicações decorrentes de um acidente vascular cerebral isquêmico (AVC) que sofreu em 7 de março.

Emílio Santiago morreu às 6h30, após permanecer 13 dias internado no Centro de Terapia Intensiva (CTI). O velório do cantor será realizado no Memorial do Carmo, no Caju, na Região Portuária do Rio.

Vencedor de diversos festivais de música, Emílio iniciou a carreira na década de 70 e gravou grandes sucessos como "Saygon", "Lembra de mim" e "Verdade chinesa". O último disco do cantor foi "Só danço samba (ao vivo)", lançado em 2012, junto com um DVD.

Paixão pela música

Emílio Santiago nasceu em 1946 na cidade do Rio. Formou-se em Direito pela Faculdade Nacional de Direito, mas a paixão pela música fez com que ele iniciasse sua carreira participando de diversos festivais de música, sendo vencedor de muitos deles. "Transas de amor", seu primeiro compacto, saiu em 1973. A estreia em um álbum cheio aconteceu dois anos mais tarde. Autointitulado, o trabalho trazia interpretações de canções de nomes como Ivan Lins, Gilberto Gil, Nelson Cavaquinho e Jorge Ben.

Conhecido pelo tom de voz ao mesmo tempo grave e suave, o cantor apresentou diferentes gêneros durante sua carreira, mas esteve especialmente voltado para a música romântica, a MPB e o samba. Em 1988, lançou "Aquarela brasileira", o primeiro disco da série criada por Roberto Menescal e Heleno Oliveira. O álbum trouxe a releitura de 20 clássicos da música brasileira, como "Sampa" (Caetano Veloso), "Anos dourados" (Chico Buarque e Tom Jobim) e "Eu sei que vou te amar" (Tom Jobim e Vinicius de Moraes).

A série "Aquarela brasileira", responsável por aumentar consideravelmente sua popularidade no país, teve mais seis volumes, o último deles lançado em 1995. Um de seus mais importantes trabalhos, "Feito para ouvir", de 1977, foi reeditado pela Dubas Musica em 2009. Outro relançamento em sua carreira aconteceu em 1989 com "Brasileiríssimas", seu segundo disco, originalmente de 1976. Entre seus maiores sucessos estão "Saigon", "Verdade chinesa", "Lembra de mim", "Vai e vem", "Tudo que se quer" e "flor de lis".

Seu último disco saiu em 2012, uma versão ao vivo de "Só danço samba", de 2010 – que,  por sua vez, foi o primeiro trabalho do selo Santiago Music. O álbum é uma homenagem ao  "rei dos bailes" Ed Lincoln, trazendo canções que fizeram sucesso nos clubes do Rio de Janeiro nos anos 60, além de músicas atuais de artistas como Mart'nália, Jorge Aragão e Dona Ivone Lara. Ao todo, sua discografia conta com 30 álbuns e 4 DVDs.

Por Cristiane Cardoso / G1 Rio

sexta-feira, 15 de março de 2013

Há 15 anos Tim Maia saía de cena


Tim Maia chegou nos Estados Unidos em 1959, sem dinheiro, sem saber onde se hospedaria. Passou seis anos nos EUA, vivendo de bicos, e de contravenções. Foi expulso do país em 1964, depois de passar uma pequena temporada na cadeia, na Flórida, por posse de maconha. Hoje completam-se 15 anos da morte do cantor, que teve o primeiro disco lançado nos Estados Unidos, The Existencial soul of Tim Maia - nobody can live forever. Trata-se de uma compilação produzida pela Luaka Bop, gravadora de David Byrne, na série Brazilian Classics (iniciada nos anos 90).



Quando Tim Maia viajou para Nova Iorque, no final dos anos 60, ele já havia dado os passos iniciais na música profissional, com companheiros da Rua do Matoso, na Tijuca, Zona Norte do Rio. Participou do grupo Os Sputniks, com Roberto Carlos, Erasmo Carlos, Arlênio. Mas na época, o rock dava impressão de ser onda prestes a morrer na praia. O forte era a bossa nova. Tim Maia não fazia fé no futuro musical nem dele nem da turma da Tijuca, e foi embora. Em Nova Iorque ainda participou de um grupo de rhythm & blues chamado The Ideals.

De volta ao Brasil, descobriu, surpreso, que a turma da Tijuca, ou pelo menos parte dela, tinha vencido. Roberto e Erasmo Carlos eram ídolos do emergente iê-iê-iê. Ele continua na mesma, ou talvez pior. Demoraria alguns anos para Tim Maia ser descoberto apadrinhado por Elis Regina, seu vozeirão ecoar país afora, com o rhythm & blue e soul que bebeu na fonte em sua conturbada temporada americana. The Existencial soul of Tim Maia recebeu ótima acolhida da imprensa americana, enquanto paradoxalmente, dificilmente ele conseguiria visto de entrada para divulga-lo no país. Assim como as coletâneas anteriores da série Brazilian Classics, esta prima por fonogramas menos óbvios. As exceções são do Leme ao pontal, e Que beleza, Byrne escolheu uma maioria de canções em inglês, uma maneira mais fácil da música de Tim Maia ser tocada nos EUA. Boa parte destas é pouco conhecida no Brasil, a exemplo, de Let’s have a ball tonight (Tim Maia/Reginaldo Francisco), de um dos discos mais obscuros do “Síndico”, Tim, de 1978, lançado com selo Seroma, da época da Imunização Racional, quando o cantor caiu na independência. Outro álbum de que oram pinçadas alguns faixas para a coletânea da Luaka Bop foi o These are the songs (2001), coletânea de Tim Maia em inglês.

Por José Teles
Fonte: Jornal do Comércio

domingo, 10 de março de 2013

sábado, 9 de março de 2013

Dia Mundial do D.J.


Disc Jockey ou Disco-Jóquei, DJ ou Dee Jay. O nome já existe há muito tempo, a paixão concretizou essa arte como profissão. O que seria do mundo sem os DJs tocando as “nossas” musicas?

Em 2002 foi oficializado o dia Mundial do DJ. A idéia de criar um dia para celebrar essa arte partiu de uma iniciativa do Fundo Mundial de DJ (World DJ Found), que conta com o apoio da grande mídia do setor como, MTV, Radio 1, Galaxy etc, da Nordoff Robbins Music Therapy (uma organização Inglesa que usa a musica para o tratamento de adultos e crianças doentes,  além de vários DJs famosos do mundo inteiro, que costumam doar seus cachês para obras sociais em prol de crianças carentes.

O livro “Todo DJ já sambou” da autora Claudia Assef conta toda essa história e muitas outras.

sexta-feira, 8 de março de 2013

Dia Internacional da Mulher


Mulheres, personalidades honradíssimas
Temos nós, orgulho em tê-las.
Mãe, amada, irmã... Amiguíssimas
Impossível não percebê-las.
Desde as meigas, às extremistas,
Não há quem possa vencê-las.

Como mãe, semeia esperança
Como irmã, espalha fervor
Se esposa, há perseverança
Se sofrida, nos causa dor
Se trabalhadora, emite confiança,
Mas em tudo, cultiva amor.

Mulher, símbolo da vida,
Imagem da perfeição.
Tantas vezes abatida
Por causa da traição
De alguém que, “enlouquecida”
Entregou seu coração.

Com palavras vim demonstrar,
Da humanidade a gratidão,
Tu mereces compartilhar
De toda realização,
Pois está sempre a participar
Do que enaltece uma nação.
Independente do nome
Que você recebeu,
É a maior demonstração
De beleza, garra, amor... Fé.
Por tudo isso você conquistou
O Dia Internacional da Mulher.

quarta-feira, 6 de março de 2013

Vocalista do Charlie Brown Jr é encontrado morto em SP


O vocalista da banda Charlie Brown Jr, Alexandre Magno Abrão, o Chorão, foi encontrado morto em seu apartamento na Rua Morás, em Pinheiros, na Zona Oeste de São Paulo, na madrugada desta quarta-feira (6). Ele tinha 42 anos.

Chorão foi encontrado desacordado pelo seu motorista, que acionou o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). A unidade de resgate constatou que ele já estava morto. A Polícia Militar disse ter recebido um chamado às 5h18 para "verificação de morte natural em um apartamento". Chorão morava no oitavo andar do edifício.

No início da manhã, policiais civis e militares e peritos estavam no prédio do cantor. O delegado Luiz Romani, do 14º Distrito Policial, em Pinheiros, disse que ainda não é possível dizer a causa da morte do vocalista. A causa será determinada pela perícia. Romani disse apenas que Chorão estava sozinho em seu apartamento e que o caso será investigado pelo Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).

A apresentadora Sônia Abrão, prima do cantor, chegou ao prédio por volta das 8h.

O cantor e letrista liderava a banda que foi formada e estabelecida na cidade de Santos, no litoral de São Paulo, em 1992. Em 15 anos de carreira, a banda lançou nove álbuns de estúdio, dois discos ao vivo, duas coletâneas e seis DVDs.

Ao todo, o grupo vendeu 5 milhões de cópias. Além de vocalista, Chorão era o compositor das letras do Charlie Brown Jr, além de ser o responsável pelo direcionamento artístico e executivo da banda. Em 2005, o trabalho "Tâmo aí na atividade” foi premiado com o Grammy Latino de melhor álbum de rock brasileiro, o que se repetiu em 2010 com "Camisa 10 joga bola até na chuva".

No ano passado, o Charlie Brown Jr. lançou “Música Popular Caiçara”, álbum ao vivo que marcou o retorno dos integrantes Marcão e Champignon à banda. Eles haviam deixado o grupo em 2005. Das 15 faixas do CD, a única gravada em estúdio é "Céu azul".

Chorão foi o único integrante do Charlie Brown Jr que permaneceu no grupo em todas as suas fases. Paulistano, Chorão adotou a cidade de Santos desde a juventude, onde criou a banda. Seu apelido foi dado ainda na adolescência, quando ele não sabia andar de skate e ficava apenas olhando os amigos. Um deles, então, pediu que o jovem não chorasse. Segundo a GloboNews, a infância de Chorão foi difícil por conta da separação dos pais. Ele largou a escola na sétima na série.

O vocalista é também roteirista do filme "O magnata" (2007), do diretor Johnny Araújo, e do longa “O cobrador”, ainda em andamento. Como empresário, administrou marcas de skate, como a DO.CE, fundada por ele em 2009, e viabilizou a realização de grandes eventos de skate no Brasil, além de manter o espaço Chorão Skate Park na cidade de Santos desde 2006.

A estreia do Charlie Brown Jr aconteceu em 1997 com o lançamento do álbum "Transpiração contínua prolongada". O trabalhou conseguiu o certificado de disco de platina ao vender mais de 250 mil cópias e tem como singles os sucessos "O coro vai comê", "Proibida pra mim", "Tudo que ela gosta de escutar", "Quinta-feira" e "Gimme o anel".

Sempre envolvido em polêmicas, Chorão deu uma bronca no baixista Champingnon em pleno show na cidade de Apucarana (PR) no final do ano passado. "Você voltou [para a banda] por causa de dinheiro", disse, no palco. Poucos dias depois, Chorão compartilhou um vídeo ao lado do baixista comunicando que os dois já haviam feito as pazes.

Em 2004, Chorão agrediu Marcelo Camelo, do Los Hermanos, na sala de desembarque do Aeroporto de Fortaleza. Ele foi detido pela Polícia Federal e, mais tarde, processado por Camelo, sendo obrigado a pagar uma indenização por danos morais ao músico carioca.

O próximo show da banda estava marcado para o dia 22 de março, em Campo Grande, no Rio de Janeiro.

Fonte: G1

terça-feira, 5 de março de 2013

Rock in Rio anuncia brasileiros do Palco Mundo e homenagem a Cazuza


Foram anunciados nesta tarde de terça-feira (5), em evento realizado no Rio, todos os artistas nacionais do Palco Mundo do Rock in Rio 2013. Ivete Sangalo, Skank, Jota Quest, Frejat e a banda Kiara Rocks entram na programação do evento. As datas de cada apresentação serão divulgadas em breve. Com exceção do Kiara Rocks, todos os outros artistas tocaram na edição de 2011 do festival.

"Fazendo coisa boa ou m..., vai reverberar que é uma beleza", disse Samuel Rosa, do Skank, ao falar da importância do festival. "Você sai maior ou menor, alguma coisa vai acontecer", brincou Dinho Ouro Preto, do Capital Inicial. "A analogia com o carnaval é a mais adequada. Todos vão para celebrar o rock n' roll", completou Dinho.

Entre os nomes nacionais do Palco Mundo, já haviam sido confirmados o Capital Inicial, com show no dia 14 de setembro; e Sepultura com Tambour Du Bronx, atração do dia 19.

Em 2011, o Rock in Rio recebeu o Concerto Sinfônico Legião Urbana. A primeira noite do festival de 2013 será aberta pelo show Cazuza - O Poeta Está Vivo. A curadoria será de Frejat, parceiro do cantor no Barão Vermelho. A direção musical terá assinatura do produtor Liminha. No ano passado, o Barão comemorou 30 anos de seu primeiro disco.

A homenagem vai contar com Ney Matogrosso, Maria Gadu, Bebel Gilberto, Rogério Flausino (do Jota Quest) e Paulo Miklos (do Titãs). O repertório terá canções como “Exagerado”, “Codinome Beija Flor”, “Ideologia”, “O Tempo Não Para” e “Bete Balanço”.

Dois dias com Palco Mundo completo

Apenas dois dias de Rock in Rio têm as quatro bandas do Palco Mundo já confirmadas: 19 e 14 de setembro. Metallica, Alice in Chains, Ghost e Sepultura com Tambours du Bronx são as atrações do dia 19. Florence and The Machine, 30 seconds to Mars, Capital Inicial e Muse foram anunciados para o dia 14.

A lista de grupos que tocarão no espaço principal do evento tem ainda Iron Maiden, Bruce Springsteen, John Mayer, Bon Jovi, Nickelback, Matchbox Twenty, Iron Maiden, Avenged Sevenfold, Slayer e Beyoncé.

Foto: Alexandre Durão/G1
Fonte: G1

segunda-feira, 4 de março de 2013

Bon Jovi é atração confirmada no Rock in Rio 2013


O Bon Jovi é uma das atrações principais do Rock in Rio 2013, segundo a organização do festival divulgou neste domingo (3).

A banda de Nova Jérsei será a última a se apresentar no dia 20 de setembro, que também terá shows de Nickelback e Matchbox Twenty.

Liderado pelo vocalista Jon Bon Jovi, o grupo levará ao festival a turnê "Because we can", com clássicos da carreira de 30 anos, além de canções do álbum "What about now", que tem lançamento marcado para 11 de março.

Bon Jovi já tocou no Rock in Rio Lisboa, em 2008, e no Rock in Rio Madrid em 2010, mas nunca no Rio de Janeiro. Em 2013, o festival acontece de 13 a 15 e de 19 a 22 de setembro.

Beyoncé, Bruce Springsteen, Iron Maiden, Muse e Metallica também estão entre os artistas confirmados.

Foto: Reuters
Fonte: G1